fbpx

Adjunto adnominal e Complemento nominal

Equipe Flávia Rita

Adjunto adnominal e Complemento nominal

 

 O texto aborda o conteúdo de análise sintática, especificamente o referente ao complemento nominal e ao adjunto adnominal. São analisados aqui cada uma dessas espécies, abordando suas características, suas semelhanças e suas diferenças, de modo a não restar quaisquer dúvidas em sua identificação.  Além disso, separam-se 15 questões comentadas, a fim de se fixar a matéria com maior eficiência.

 

Uma das maiores dúvidas que candidatos de provas de concurso público e de exames vestibulares tem é como diferenciar, adequadamente, o complemento nominal do adjunto adnominal. Com certeza não é algo tão simples como muitos podem pensar, contudo, também não é um bicho de sete cabeças. Para esclarecer essa questão, separamos as principais características de cada um desses elementos sintáticos. com isso, você não irá mais errar questão alguma do gênero na hora da prova! Ao final, você encontrará dez questões comentadas para treinar e fixar o conteúdo!

Na construção oracional, podem ocorrer quatro tipos de termos ligados ao nome, a depender ou não da presença de pontuação. Se essa não existir, poderemos estar diante de um caso de adjunto adnominal ou de um complemento nominal. Contudo, se houver pontuação, será um uma hipótese de aposto ou de vocativo. Dito isso, vamos tratar aqui apenas os primeiros, ou seja, o adjunto adnominal e o complemento nominal.

Caso você queira aprofundar seus estudos em Língua Portuguesa para concursos, não deixe de conferir nossos cursos Português GOLD e Português Total! Nesses você verá toda a gramática direcionada para provas de concursos públicos e exames vestibulares!

 

ADJUNTO ADNOMINAL

Primeiramente, vamos fazer uma distinção importante. É provável que quando você escute a palavra adjunto, você referencie à partícula mais comentada nas questões – o adjunto adverbial. Nesse caso, tratar-se-á de um vocábulo empregado para modalizar o verbo, o adjetivo ou o próprio advérbio, podendo ocorrer de forma simples, ou seja, como uma palavra, ou como uma locução.

Em ambos os casos, o adjunto adverbial imprimirá um sentido aos termos modalizados, sendo, por isso, classificado como adjunto adverbial de tempo, adjunto adverbial de lugar, adjunto adverbial de modo, entre tantos outros.

Já quando falamos de adjuntos adnominais, estamos tratando dos termos de natureza ativa que acompanham determinado substantivo, o qual poderá ser concreto ou abstrato. Veja que, diferentemente dos adjuntos adverbiais, os adjuntos adnominais seguem um nome.

Veja, então, que os adjuntos adnominais acompanham elementos substantivos, contudo, são representados termos auxiliares, como artigos, adjetivos, pronomes, numerais ou locuções. Ocasionalmente, os adjuntos adnominais poderão ocorrer sendo precedidos de preposição. Por exemplo:

As duas últimas semanas de aula foram produtivas.

  • As duas últimas semanas de aula: sujeito
  • As: adjunto adnominal
  • duas: adjunto adnominal
  • ultimas: adjunto adnominal
  • semanas: substantivo concreto
  • de aula: adjunto adnominal precedido da preposição “de”.

Obs: Para lembrar, os substantivos abstratos são aqueles que exprimem um sentimento, uma ação, uma qualidade ou um estado. Você pode se lembrar desses casos usando o seguinte mnemônico – SAQE. Os substantivos concretos, por sua vez, expressam seres de existência independente.

COMPLEMENTO NOMINAL

Os complementos nominais, de maneira semelhante aos adjuntos adnominais, acompanharão os nomes da oração, ou seja, termos de natureza substantiva. Entretanto, diferentemente do adjunto adnominal, o complemento nominal ocorrerá apenas nos substantivos abstratos. Além desses, poderá referenciar qualquer adjetivo ou adjunto adverbial presente no trecho.

Os complementos nominais são obrigatoriamente preposicionados, tendo natureza passiva sempre que se referirem a substantivos abstratos. Confira os seguintes exemplos de complementos nominais:

Agiu contrariamente a seus princípios.

  • contrariamente a seus princípios: adjunto adverbial de modo
  • contrariamente: advérbio
  • a seus princípios: complemento nominal

Amor de mãe é tão importante quanto amor à mãe.

  • Amor de mãe: sujeito
  • é: verbo de ligação
  • tão importante: predicativo do sujeito
  • quanto amor à mãe: adjunto adverbial de comparação
  • Amor: substantivo abstrato
  • de mãe: agente – adjunto adnominal
  • amor: substantivo abstrato
  • à mãe: paciente – complemento nominal

 

ADJUNTO ADNOMINAL ≠ COMPLEMENTO NOMINAL

A diferenciação entre um termo e o outro pode ser bastante difícil para alguns candidatos, o que pode lhes custar questões importantes para a aprovação. Tendo em mente essa dificuldade, devemos nos perguntar: como se identifica a função sintática de um termo, se adjunto adnominal ou complemento nominal?

Para essa finalidade, vamos considerar as principais diferenças entre os termos em questão:

  • O complemento nominal ocorre sempre precedido de preposição, ao passo que o adjunto adnominal pode ou não vir preposicionado.
  • O complemento nominal tem natureza passiva, ao passo que o adjunto adnominal apresenta natureza ativa.
  • O complemento nominal ocorre sempre com adjetivos, advérbios e com substantivos abstratos. O adjunto adnominal, por sua vez, acompanhará se apenas os substantivos concretos e os abstratos.

Confira nossa aula sobre o assunto e não deixe nenhuma dúvida te levar a erro!

Como analisar os termos ligados ao nome para identificar se trata de um adjunto adnominal ou de um complemento nominal?

Para identificar a correta função sintática de um termo, ou seja, se adjunto adnominal ou complemento nominal, deve-se fazer uma série de perguntas a fim de eliminar, gradativamente, as qualidades diferenciadoras de cada classe. Para isso, deve-se fazer as seguintes perguntas:

  1. Há preposição? Se não houver, será, necessariamente, um adjunto adnominal, já que os complementos nominais são obrigatoriamente preposicionados.
  2. Se houver preposição, deve-se, então, identificar a classe do termo vizinho, se substantivo concreto, substantivo abstrato, adjetivo ou advérbio.
  3. Se o termo vizinho for substantivo concreto, então a palavra em análise será um adjunto adnominal. Se, por outro lado, for um advérbio ou adjetivo, será ela um complemento nominal.
  4. Contudo, caso se trate de um substantivo abstrato, poderá ser tanto um adjunto adnominal quanto um complemento nominal e, nesse caso, deve ser analisada a natureza do termo.
  5. Caso se trate de um termo agente, ele será um adjunto adnominal. Contudo, se apresentar natureza paciente, será classificado como um complemento nominal.
Como identificar qual a natureza sintática dos termos ligados ao nome

 

Complemento nominal e adjunto adnominal. Exemplos:

O uso de medicamentos sem receita é prejudicial à saúde.

  • Análise: O uso (substantivo abstrato) de medicamentos sem receita (adjunto adnominal) é prejudicial (adjetivo) à saúde (complemento nominal).

A crítica atual à corrupção tem fundamento.

  • Análise: A crítica atual (adjunto adnominal) à corrupção (complemento nominal) tem fundamento.

Nosso potencial é compatível com o nosso esforço.

  • Análise: Nosso (adjunto adnominal) potencial é compatível (adjetivo) com o nosso esforço (complemento nominal).

O homem moderno é capaz de tudo.

  • Análise: O homem moderno (adjunto adnominal) é capaz de tudo (complemento nominal).

A experiência dos mais velhos pode auxiliar os jovens de hoje.

  • Análise: A experiência (substantivo abstrato) dos mais velhos (adjunto adnominal) pode auxiliar os jovens (adjunto adnominal – substantivo concreto) de hoje (adjunto adnominal).

 

Questões de Adjunto Adnominal e Complemento nominal

Treinando questões de complemento nominal e adjunto adnominal
Resolvendo questões

Questão 01. (IBADE) Talvez porque o nosso temperamento seja realmente mais sujeito à melancolia do que à jovialidade?” A análise dos termos está correta em:

  • A) talvez – é um adjunto adverbial de negação.
  • B) à jovialidade – é adjunto adnominal.
  • C) seja – núcleo do predicado.
  • D) à melancolia – complemento nominal.
  • E) temperamento – é objeto direto.

Gabarito. Letra D. Comentário. Incorreta a letra A, uma vez que talvez se classifica como adjunto adverbial de dúvida e não de negação. A letra B está errada, pois a expressão destacada apresenta natureza passiva, referenciando um adjetivo, de maneira que somente poderia ser um complemento nominal. A letra C está incorreta, já que o verbo de ligação não pode ser núcleo de predicado verbal. A letra D está correta, sendo o gabarito da questão, dado ser à melancolia um complemento nominal, que acompanha o adjetivo sujeito. A letra E, por fim, está errada, porque temperamento é classificado como o sujeito do verbo de ligação.

Questão 02. (FCC) Analise as afirmativas abaixo sobre o enunciado a seguir: “A vida é singular ao tempo, pois que o tempo é eterno, e a criatura humana é botão de rosa, matéria orgânica falível na passagem do eterno”.

  1. O vocábulo “singular” funciona como predicativo do sujeito.
  2. Há a presença de predicados nominais em todas as orações do período composto.

III. O vocábulo “humana” funciona como complemento nominal.

  1. As palavras “orgânica” e “falível” funcionam como adjuntos adnominais.

Assinale a alternativa correta.

  • A) Apenas as afirmativas II, III e IV estão corretas.
  • B) Apenas as afirmativas I, II e IV estão corretas.
  • C) Apenas as afirmativas I, II e III estão corretas.
  • D) Apenas as afirmativas I, III e IV estão corretas.

Gabarito. Letra B. Comentário. Correto o item I, uma vez que singular atua como predicativo do sujeito a vida. O item II também está correto, pois todos os predicados do período são nominais – compostos por verbos de ligação, seguidos de predicativos do sujeito. O item III está errado, já que humana é termo não preposicionado, de modo que não atende aos requisitos para ser complemento nominal. O item IV é verdadeiro porque ambas as palavras, orgânica falível, funcionam como adjuntos adnominais dos respectivos substantivos que acompanham. Portanto, correta a letra B por identificar todos os itens verdadeiros.

Questão 03. (INSTITUTO AOCP) Assinale a alternativa que analisa corretamente a função sintática da expressão em destaque no seguinte período “Compreender as necessidades do consumidor […]”

  • A) Objeto indireto, pois complementa o sentido do verbo “compreender”.
  • B) Objeto direto, complementando o sentido do verbo “compreender”.
  • C) Sujeito do verbo compreender.
  • D) Agente da voz passiva.
  • E) Complemento do nome “as necessidades”.

Gabarito. Letra E. Comentário. A expressão do consumidor classifica-se como complemento do nome necessidades, o qual, por ser preposicionado, apresentar natureza passiva, não poderia ser um adjunto adnominal. Portanto, correta a letra E.

Questão 04. (INSTITUTO AOCP) Em relação às funções sintáticas, há duas que se referem a nomes: o complemento nominal e o adjunto adnominal. Considerando o exposto e seu conhecimento sobre o assunto, assinale a alternativa cuja classificação sintática (dentro dos parênteses) para o termo destacado está INADEQUADA.

  • A) “Com a inserção da tecnologia no dia a dia das pessoas, (…)” (complemento nominal).
  • B) “(…) um indivíduo com um perfil em uma plataforma social ser propagador de informações(…)” (adjunto adnominal).
  • C) “Este cenário de disseminação de ideias(…)”. (complemento nominal).
  • D) “(…) criticavam o técnico do seu time(…)” (adjunto adnominal).

Gabarito. Letra B. Comentário. Identificação adequada da letra A, uma vez que a expressão referencia substantivo abstrato e apresenta natureza passiva. A letra B está errada, sendo o gabarito da questão, uma vez que

Questão 05. (PREFEITURA DO RJ)Em “Seu garçom, faça o favor”, a palavra em destaque exerce função idêntica e tem o mesmo significado que se verifica em:

  • A) Seu poeta predileto é Fernando Pessoa.
  • B) Seu moço, preste atenção e procure compreender.
  • C) Seu feriado, impeça que algo ou alguém o estrague!
  • D) Seu filho, caçula querido, não lhe daria tal desgosto.

Gabarito. Letra B. Comentário. O pronome Seu foi empregado como pronome de tratamento em vocativo, de maneira que a letra B é a alternativa correta por apresentar sentido sintático equivalente do termo destacado.

Questão 06. (FEPESE) Assinale a alternativa que apresenta a função sintática correta do termo sublinhado, considerando o texto 1.

  • A) Construções e artefatos garantem aos seres humanos um lugar duradouro no meio da vida e da natureza (1° parágrafo) – objeto indireto.
  • B) O labor corresponde a uma das condições da nossa existência na Terra (2° parágrafo) – complemento nominal.
  • C) Assim, o ser humano fabrica artefatos, objetos de uso e espaços (3° parágrafo) – complemento nominal.
  • D) A ação é a atividade mais especificamente humana (3° parágrafo) – objeto direto.
  • E) A ação diz respeito à convivência entre seres humanos (3° parágrafo) – objeto indireto.

Gabarito. Letra A. Comentário. Correta a letra A, uma vez que a expressão sublinhada desempenha função sintática de objeto indireto, por completar o sentido do verbo transitivo direto e indireto garantir. A letra B está errada, já que também destaca um objeto indireto. A letra C erra ao considerar a expressão sublinhada como complemento nominal, uma vez que se trata de um adjunto adnominal. A letra D erra ao considerar objeto direto o trecho destacado, já que inexiste objeto direto em verbos de ligação. A letra E, por fim, está errada já que a locução destacada não completa o sentido do verbo.

Aluno revela o segredo que usou para ser aprovado em concursos públicos.

  • Questão 07. (UFBR) Assinale a alternativa em que a expressão destacada tenha a mesma função sintática que a expressão em destaque no seguinte trecho “Reina uma ideia de que temos o direito de ser “livres”…”.
    • A) As pessoas possuem o dever de cuidar uma das outras.
    • B) A vontade de crescer é o caminho para o sucesso.
    • C) A liberdade de expressão é assegurada pela Lei.
    • D) Os indivíduos precisam de liberdade.

    Gabarito. Letra A. Comentário. O segmento destacado no enunciado corresponde ao complemento nominal do substantivo direito. Dessa forma, está correta a letra A por trazer segmento sintaticamente equivalente. A letra B está errada por sublinhar o sujeito do verbo ser. A letra C erra por sublinhar a locução adverbial com função sintática de adjunto adnominal do substantivo liberdade. A letra D, por fiz, destaca o objeto indireto do verbo precisar, de forma que não se equivale à função sintática presente no segmento do enunciado.

    Questão 08. (IBADE) Na oração “O agito DAS PALAVRAS traduz as mudanças do mundo” a função sintática do termo destacado é:

    • A) aposto.
    • B) objeto indireto.
    • C) adjunto adnominal.
    • D) Objeto direto.
    • E) complemento nominal.

    Gabarito. Letra C. Comentário: A expressão destacada exerce função sintática de adjunto adnominal, uma vez que acompanha o substantivo agito, possuindo natureza ativa. Destaca-se que adjuntos adnominais poderão ocorrer preposicionados.

    Questão 9. (IBADE)

     “…tecia os delicados fios com que se fabrica a quietude.”

    “— Venha, meu filho, venha ajudar-me a ficar calado.”

    As palavras “quietude”, “filho” e “calado”, retiradas dos trechos em destaque, têm, respectivamente, as seguintes funções sintáticas:

    • A) núcleo do sujeito – núcleo do vocativo – predicativo.
    • B) objeto direto – núcleo do vocativo – predicativo.
    • C) objeto direto – aposto – adjunto adverbial
    • D) núcleo do sujeito – adjunto adnominal – predicativo.
    • E) predicativo – aposto – adjunto adverbial

    Gabarito. Letra A. Comentário: A palavra quietude possui a função sintática de núcleo do sujeito, uma vez que sofre a ação do verbo apassivado se fabrica, a qual equivale, na forma analítica, a ser fabricado. Filho, por sua vez, é um vocativo, já que traz um chamamento. A palavra calado desempenha a função de predicativo. Portanto, correta a letra A.

    Questão 10. (IBFC) Analise os versos a seguir: “Já raiou a liberdade / No horizonte do Brasil” e assinale a alternativa correta.

    • A) O núcleo do sujeito determinado simples é a palavra liberdade.
    • B) O verbo “raiou” é transitivo indireto e “a liberdade” é o objeto indireto.
    • C) “No horizonte do Brasil”é um adjunto adnominal.
    • D) O complemento nominal do verbo “raiou” é “a liberdade”.

    Gabarito. Letra A. Comentário: A letra A está correta, já que liberdade é o núcleo do sujeito. O verbo raiar classifica-se como intransitivo, de forma que não há complementos de seu sentido. Portanto, incorreta a letra B. A letra C está errada, pois a expressão no horizonte do Brasil é um adjunto adverbial, não nominal. A letra D erra ao considerar a liberdade o complemento do verbo raiou, uma vez que, como dito, o substantivo é o sujeito do verbo.

    Questão 11. (IDECAN – ADAPTADA) Considere o seguinte trecho:

    Durante esse tempo, os pesquisadores testaram a preferência dos peixes por água limpa ou contendo metanfetamina e compararam com as respostas de peixes que nunca haviam sido expostos à droga.

    Os termos sublinhados no período acima exercem a função sintática, respectivamente, de

    1. complemento nominal, complemento nominal e complemento nominal.
    2. adjunto adnominal, adjunto adnominal e complemento nominal.
    3. complemento nominal, complemento nominal e adjunto adnominal.
    4. adjunto adnominal, complemento nominal e adjunto adnominal.
    5. adjunto adnominal, adjunto adnominal e adjunto adnominal.

    Gabarito. Letra D. Comentário: Os segmentos grifados no trecho do enunciado são classificados, respectivamente, como adjunto adnominal, complemento nominal e adjunto adnominal. No primeiro e no terceiro casos, há termos de natureza ativa, ao passo que a locução média apresenta natureza passiva. Assim, a única resposta possível para a questão é a letra D.

    Questão 12. (FAPEC) A questão refere-se ao seguinte fragmento de texto, extraído de uma reportagem que trata do trabalho de médicos-legistas em IML do Rio de Janeiro e suas diferentes demandas, incluindo os casos indevidamente encaminhados:

    A vítima daquele dia dera entrada na Unidade de Pronto Atendimento do Complexo do Alemão com fortes dores de cabeça e morrera duas horas depois. O corpo parecia saudável. Suspeitava-se de rompimento de um aneurisma. Por se tratar de morte natural, o corpo não deveria ter sido encaminhado para lá. Quando isso acontece, Gabriela fica indignada[…]: “Eles ficam com medo de assinar atestado de óbito e sofrerem processo depois. […]. Nós somos responsáveis por mortes não naturais, e ponto”, disse.

    (Fonte: BECKER, Clara. Ouvindo os mortos. Disponível em: https://piaui.folha.uol.com.br/ materia/ouvindo-os-mortos/jan. 2011. [Edição 52] Grifos nossos)

    Em qual das alternativas a análise do termo da oração está INCORRETA?

    1. “saudável”: predicativo.
    2. “de rompimento”: objeto indireto.
    3. “do Complexo”: adjunto adnominal.
    4. “por mortes não naturais”: objeto indireto.
    5. “de um aneurisma”: complemento nominal.

    Gabarito. Letra D. Comentário: A letra A identifica corretamente a função sintática do adjetivo saudável, visto que se trata de elemento qualificador do sujeito “corpo”. A letra B também se mostra correta, já que a locução “de rompimento” completa o sentido verbal da ação de “suspeitar”, sendo precedida de preposição. A letra C está correta, pois trata-se de um termo de natureza ativa que acompanha o substantivo concreto “Pronto Atendimento”. A letra D incorre em erro ao classificar “por mortes não naturais” como objeto indireto, já que se trata de um complemento nominal, dada a natureza passiva que apresenta ao acompanhar o adjetivo “responsáveis”. Por fim, a letra E mostra-se correta, por classificar a locução “de um aneurisma” como complemento nominal.

    Questão 13. (OBJETIVA) Na frase  “Sabíamos  que  ele  tinha  necessidade  de  atenção.”,  a  expressão  sublinhada,  sintaticamente,  exerce  função de:

    1. Objeto indireto.
    2. Complemento nominal.
    3. Predicativo do sujeito.
    4. Adjunto adnominal.

    Gabarito. Letra C. Comentário: O termo sublinhado acompanha um substantivo abstrato, possuindo natureza passiva. Por essa razão, enquadra-se na classificação de complemento nominal, sendo correta a letra C.

    Questão 14. (CPCON – ADAPTADA) Confira o seguinte segmento, extraído da reportagem “O que é inovar na educação?”

    É uma enganação acreditar que o ensino digital é uma inovação. O alerta é de Paulo Blikstein, diretor do TLTL (Transformative Learning Technologies Lab) da Universidade Columbia, EUA, o qual acredita que a educação brasileira está sendo conduzida de forma equivocada, principalmente neste um ano de pandemia.

    Fonte: Disponível em: < https://revistaeducacao.com.br/2021/05/27/inovar-educacao-blikstein/> Acesso em 04/junho/2021.

    No enunciado, o segmento “diretor do TLTL(Transformative Learning Technologies Lab) da Universidade Columbia, EUA” funciona sintaticamente como

    1. adjunto adnominal, porque é atributo do interlocutor.
    2. vocativo, tendo em vista interpelar o interlocutor.
    3. aposto explicativo, pois se refere a um termo da oração para identificá-lo.
    4. complemento nominal, tendo em vista que complementa um nome.
    5. predicativo do sujeito, porque atribui características ao sujeito.

    Gabarito. Letra C. Comentário: Como dito no início do texto, adjunto adnominal e complemento nominal são termos desacompanhados de pontuação. Caso contrário, serão classificados ou como aposto ou como vocativo. Com isso em mente, são consideradas incorretas as alternativas A e D. Quanto à letra E, não se mostra correta por não se tratar de uma qualificação do sujeito, mas sim de uma explicação acompanhada do nome. Assim, correta a letra C, por identificar o trecho como aposto explicativo.

    Questão 15. (Ufersa – ADAPTADA) No período: “Enfatizar tanto o enorme mérito das atletas que conseguem voltar a treinar no nível máximo após parir ou que competem grávidas, como fez Serena Williams quando venceu um Aberto da Austrália sem que ninguém soubesse que estava esperando sua filha Olympia, poderia, segundo essa teoria, estar aumentando desnecessariamente as exigências e passando a mensagem de que ser apenas atleta, e não atleta e mãe, é menos importante”, a oração em destaque tem função sintática de

    1. Adjunto adnominal.
    2. Adjunto adverbial.
    3. Predicativo do sujeito.

    Gabarito. Letra C. Comentário: No trecho destacado, há uma oração subordinada adverbial temporal, a qual qualifica um aspecto da oração principal. Portanto, correta a letra C, por se classificar o trecho como um adjunto adverbial. Quanto ao adjunto adnominal, seria possível sua classificação, caso se tratasse de uma oração subordinada substantiva adjuntiva nominal, o que exigiria a precedência de uma conjunção integrante.  

    Aluno revela o segredo que usou para ser aprovado em concursos públicos.

    Depois dessa bateria de questões, ficou ainda alguma dúvida? Com certeza, você já conseguiu entender melhor os termos que acompanham o nome na oração e, agora, consegue diferenciá-los nas questões! Porém, se ainda tem alguma dúvida, não deixe de falar pra gente na seção de comentários! Caso queira saber sobre os cursos, não deixe de entrar em contato conosco pelos telefones

    Caso tenha algum assunto que gostaria de ler por aqui, deixe sua sugestão na seção de comentários.

Deixe seu Comentário

Comentários

CONTINUE LENDO