fbpx

Pronome Relativo – Regras de uso

Equipe Flávia Rita

pronome relativo

O correto uso dos pronomes relativos ou a sua adequada identificação nas orações que compõem são uma das grandes dificuldades que candidatos de provas de concurso público e de exames vestibulares apresentam tanto em questões objetivas quanto nas dissertativas. Por ignorarem as relações sintáticas que regem o uso dos pronomes relativos e os sentidos por ele expressos, muitos alunos acabam perdendo pontos ao incorrerem em desvios gramaticais. Para esclarecer essa questão e  garantir a posse no tão sonhado concurso público ou na desejada universidade, separamos as principais regras de uso dos pronomes relativos. Ao fim, selecionamos cinco questões para que você possa treinar e entender como as bancas costumam cobrar a matéria!

Se sentir necessidade de uma visão teórica mais ampla sobre a Língua Portuguesa, não deixe de conhecer nosso Curso Português Total.

Se sua intenção for fazer uma abordagem mais rápida, confira nosso Intensivão Teórico + Curso Prático de Português!

EMPREGO DE PRONOMES RELATIVOS

Todo pronome relativo é um termo coesivo-remissivo que auxilia na construção de sentido lógico das orações a partir da retomada do termo anterior. Por isso, todo pronome relativo é considerado um termo anafórico (retoma o elemento antecedente), sendo dividido em dois grupos:

  • Pronomes relativos invariáveis – que, quem, onde e como.
  • Pronomes relativos variáveis – cujo, o qual e quanto

Veja como os pronomes relativos são empregados nos seguintes exemplos:

1) A moça sobre quem falávamos era bonita.

No presente caso, o pronome foi utilizado de maneira incorreta, já que as formas “que” ou “quem” somente admitem preposição monossilábica, como “a que”, “de quem”.

2) Houve uma época onde tudo era mais fácil.

O pronome relativo “onde” mostra-se incorreto no contexto, pois deve ser usado apenas com sentido locativo, ou seja, de forma a se referir a lugar. O verbo deverá, nesse caso, ser regido pela preposição “em”.

3) A reunião em que comparecemos foi produtiva.

O verbo comparecer deverá vir seguido da preposição a, tal como se vê em “A reunião a que comparecemos […]”. A preposição que acompanha o pronome relativo é dependente do verbo, uma vez que é determinada normativamente.

4) A moça de cujos sonhos falávamos esteve aqui.

A frase encontra-se gramaticalmente correta, já que o verbo falar exige a preposição de, a qual precederá o pronome relativo cujo – de cujos sonhos falávamos. Lembre-se de que o pronome relativo cujo obrigatoriamente vem entre dois substantivos, pois indica sempre posse.

5)  O rapaz cujo conheci estava preocupado para o cargo.

O pronome relativo cujo deve, obrigatoriamente, vir entre dois substantivos, uma vez que exprime sentido de posse. No caso da frase, em que o pronome se encontra entre um nome e um verbo, a forma mais adequada seria “que” ou “o qual”.

6) A casa de Pedro, que é empresário, foi demolida.

O pronome relativo “que” retoma o termo antecedente “Pedro”, pois com ele mantém relação de sentido, de maneira que a frase se encontra gramaticalmente adequada.

7) A casa de Pedro, que foi demolida, era bonita.

Observe que, ainda que semelhante à frase anterior, o sentido do pronome relativo que exprime sentido diferente, pois retoma, aqui, o núcleo do sujeito “casa”, dado ser com ele mantida a relação de sentido.

REGRAS DE USO DO PRONOME RELATIVO

Há regras específicas para o uso dos pronomes relativos, de forma a saber qual a relação de sentido é estabelecida a partir de qual termo está sendo retomado. Em decorrência das estruturas sintáticas da frase, o pronome relativo poderá ser precedido de preposição. Nesses casos, a preposição será determinada pela regência do verbo.

Para se aprofundar na matéria e conhecer nossa metodologia, não deixe de conferir essa aula que separamos sobre o tema!

Observe as 10 regras a seguir sobre como usar corretamente essa classe gramatical.

#1 Todo pronome relativo retoma um termo antecedente, com o qual ele mantém relação de sentido.

  • Jovens escolarizados e crianças que não tiveram acesso à educação formal têm os mesmos direitos.

Observação: O pronome relativo “que” retoma o termo “crianças”, pois com ele mantém uma relação de sentido (exclusão por critério semântico).

  • Homens e mulheres que historicamente foram vítimas de preconceito hoje têm direitos e deveres mais próximos.
  • Homens e mulheres, que defendem a democracia, devem se unir.

Observação: O pronome relativo “que”, no primeiro caso, por razões semânticas, retoma o termo “mulheres”; já no segundo, retoma tanto homens quanto mulheres.

  • O Rio de Janeiro é uma cidade que investe em turismo.

Observação: O pronome relativo “que”, nesse caso, retoma o termo “cidade” (termo antecedente), e este retoma o termo “Rio de Janeiro”. Trata-se de um caso chamado de cadeia de anafóricos

  • A criação do imposto cuja decretação ocorreu ontem levou anos. 

Observação: Cujo é um pronome relativo que, como dito, expressa um sentido de posse. Desse modo, deve-se perguntar ao termo consequente “de quem?”. A resposta será o termo retomado pelo cujo. No exemplo, tem-se: Decretação de quem? Do imposto! Logo, “imposto” é o termo retomado pelo pronome relativo.

  • Pensou no que eu disse.

Observação: O “que” é um pronome demonstrativo? Caso DR – o “o” é um pronome demonstrativo (aquilo) e o “que” um pronome relativo.

#2 Usa-se preposição antes do pronome relativo sempre que o termo posposto a ele a exigir.

  • Esse é o doce de que mais gosto.

Observação: O verbo Gostar é regido pela preposição de, a qual deve preceder o objeto indireto retomado pelo pronome relativo.

  • A situação a que fiz alusão será resolvida em breve.

Observação: O nome alusão é regido pela preposição a (regência nominal). Tenha atenção de que o termo consequente não necessariamente será um verbo.

  • As coisas, de que somos capazes, nos definem.

Observação: A expressão Ser capaz obriga a preposição de.

#3 Os pronomes “que” e “quem” só admitem preposição monossilábica.

  • A vaga, para que me candidatei, foi preenchida.

Observação: A frase acima contraria os preceitos da gramática normativa, uma vez que é vedado o uso de preposição com mais de uma sílaba antes do pronome relativo que. Assim, seria correta a forma: A vaga, para qual me candidatei, foi preenchida.

ATENÇÃO! Na frase “Ele veio aqui para que o problema fosse resolvido”, a expressão “para que” não corresponde a um pronome, mas, sim, a uma conjunção. Logo, não há erro na locução.

#4 O pronome “quem”, quando seguido de verbo transitivo direto, exigirá a preposição “a” para efeito de ajuste fonético.

  • A pessoa a quem recorri era minha amiga.

Observação: O verbo Recorrer é transitivo indireto, regido pela preposição a. Trata-se, portanto, da regra descrita em #2.

  • A pessoa, a quem amei, não me deu valor.

Observação: O verbo amar é transitivo direto, de maneira que a preposição “a” surge por necessidade fonética do pronome “quem”. Trata-se, pois, de um caso de OD preposicionado.

#5 O pronome “quem” somente pode ser usado para se referir a pessoas ou entes personificados (exemplo: Justiça, Administração…).

  • A Justiça, a quem o cidadão comum recorre, nem sempre o recebe.

#6 O pronome “onde” e a sua variação “aonde” somente podem ser usados para se referir a lugar concreto. O pronome “onde”, nesse caso, será regido pela preposição “em”; ao passo que o pronome “aonde” terá regência na preposição “a” (CVC IR).

  • O local, aonde fomos, parecia deserto.

Observação: O verbo ir tem regência na preposição a, logo, exigirá, como pronome relativo, a forma aonde.

  • O local, onde moramos, parecia deserto. 

Observação: O verbo morar é regido pela preposição em, de forma que exigirá o pronome onde.

  • No momento no qual/em que nos encontramos, foi especial.

Observação: É impossível, nesse caso, o uso do pronome relativo onde, pois a frase não se refere a lugar.

  • O lugar onde/no qual/em que nos encontramos era especial.

Observação: Usa-se o pronome relativo onde, pois a frase refere-se a lugar, ainda que indeterminado.

ATENÇÃO! Nem todo lugar é geográfico. O coração, por exemplo, é um lugar concreto, embora não seja geográfico.

#7 “O qual” e variações apresentam artigo integrante, ou seja, o artigo faz parte do pronome, de forma que concordarão com o antecedente. Não há restrições de uso, além de serem admitidas contrações e combinações com preposições.

  • As pessoas das quais falei estão aqui.

Observação: O verbo Falar é regido pela preposição de, a qual sofre contração com o artigo feminino plural as, formando das.

#8 Cujo e variações indicam posse. Vêm entre dois substantivos e concordam com o consequente, mas retomam o antecedente. Além disso, não admitem posposição de artigo.

  • É um cidadão em cujos princípios confio.

#9 “Como” somente será pronome relativo quando ocorrer depois de modo, maneira, forma, jeito e qualquer outro sinônimo.

  • Quero saber como isso aconteceu.

Observação: Não é caso de pronome relativo, pois não vem depois de modo, maneira, forma ou jeito.

  • O modo como ele agiu me agradou.

#10 “Quanto” somente é pronome relativo depois de “tudo”, “nada”, “ninguém”.

  • Tudo quanto quiser será seu.
Observação: Há duas outras regras referentes à partícula que:

  1. Todo pronome relativo exercerá uma função sintática na oração de que faz parte, equivalente àquela desempenhada pelo nome retomado.
  2. Todo pronome relativo introduz, necessariamente, uma oração adjetiva. Caso se trate de uma oração substantiva, será um caso de que empregado como conjunção integrante.

Questões de Pronomes Relativos para Treinar

 Questão 01. (IBADE)  Em: “Alguns aspectos que o programa procura…”, o pronome relativo foi empregado corretamente, obedecendo às regras de regência. Marque a opção em que o pronome relativo também foi corretamente empregado.

  • (A) Alguns aspectos de que o programa propõe…
  • (B) Alguns aspectos aos quais o programa se origina…
  • (C) Alguns aspectos com que o programa faz alusão…
  • (D) Alguns aspectos dos quais o programa se identifica…
  • (E) Alguns aspectos a que o programa se refere…

Questão 02. (INSTITUTO AOCP) Assinale a alternativa em que o termo destacado funciona como pronome relativo, ou seja, tem a função de retomar o termo antecedente.

  • (A) “Dados do IBGE indicam que a expectativa de vida do brasileiro […]”.
  • (B) “[…] o MP-PR lembra que desde a atenção e o amor da família até a implantação de políticas públicas para os idosos […]”.
  • (C) “[…] a promotora Terezinha Carula conta que cada vitória é importante.”.
  • (D) “[…] o Estatuto estabelece que“é obrigação da família […]”.
  • (E) “No Brasil, além das determinações constitucionais quanto aos direitos e garantias fundamentais que abrangem todos os cidadãos […]”.
Questão 03. (COPESE-UFPI) A única construção que NÃO contém nenhum tipo de deslize gramatical é:
  • A casa que me venderam está em mau estado de conservação.
  • A obra a qual me referi ontem está esgotada.
  • O cargo porque anseias está a cada dia que passa mais distante.
  • A mulher para que dedicaste-lhe aquela poesia não existe mais.
  • Certos autores, os cujos me nego a declinar, parecem não pisarem no chão.
  • letra a
Questão 04. De acordo com a norma-padrão da língua portuguesa, o pronome relativo onde está corretamente empregado em:
  • A descoberta da primeira página perdida, onde ocorreu em fevereiro de 2013, deflagrou a procura pelo restante do manuscrito.
  • A obra de Galeno, onde se intitula “Das misturas e poderes das drogas simples”, pode esclarecer como a Medicina se espalhou pelo mundo antigo.
  • Atualmente, os especialistas estão trabalhando para decifrar os textos, onde são praticamente invisíveis a olho nu.
  • Durante séculos, onde a leitura dessa obra de Galeno foi obrigatória para aspirantes à Medicina, surgiram diversas traduções do original.
  • Iniciou-se uma caçada global às folhas que faltavam e pesquisou-se em várias instituições mundo afora, onde elas finalmente foram encontradas.

Questão 05. Considere a seguinte frase: “A moda foi o primeiro sistema de comunicação que adotou a novidade como princípio motor”.

Assinale a alternativa em que, ao se substituir o termo em destaque, a frase permanece correta, de acordo com a norma-padrão da língua portuguesa, e com seu sentido original preservado.

  • do qual.
  • da qual.
  • a qual.
  • o qual.
  • no qual.

GABARITO:

  • Questão 01. Letra E.
  • Questão 02. Letra E.
  • Questão 03. Letra A.
  • Questão 04. Letra E.
  • Questão 05. Letra D.

Depois dessas explicações e do treino com as questões selecionadas, ainda restou alguma dúvida acerca do uso de pronomes relativos? Com certeza, você está entendendo melhor a matéria! Porém, se ainda tiver alguma dúvida, não deixe de falar pra gente na seção de comentários! Além disso, caso queira saber sobre os cursos e escolher aquele que é melhor para você, não deixe de entrar em contato conosco pelos telefones

Caso tenha algum assunto que gostaria de ler por aqui, deixe sua sugestão na seção de comentários.

Deixe seu Comentário

Comentários

CONTINUE LENDO