fbpx

Fonética – O que é e como funciona?

Equipe Flávia Rita

fonética o que é e como funciona

Algumas bancas são famosas por pesarem mais a mão nas matérias de fonética. Entretanto, muitos bons alunos acabam negligenciando essa parte da gramática, seja pela aridez do conteúdo, seja por não ser tão cobrado nas principais bancas do país, como FCC e Cespe. Se você tem dificuldade em Fonética e nos conteúdos que a integram, então esse texto é para você! Siga lendo e vamos aprender o que é um fonema, um dígrafo, os encontros consonantais e vocálicos.

Caso você não conheça nossa metodologia, não deixe de conferir nossa aula sobre Conceitos Fonéticos:

https://www.youtube.com/watch?v=65N1EcErhJs

Você também pode assistí-la no nosso canal do YouTube clicando AQUI. Se você gostar do conteúdo e tiver interesse em fazer cursos completos, não deixe de conferir nosso Português Total e Português GOLD. Vamos ver a matéria agora!

Fonema

Trata-se da menor unidade sonora na constituição de uma palavra ou, em outros termos, da representação gráfica de um som mediante letras ou conjuntos de letras. É comum não ocorrer a coincidência entre o número de letras e o de fonemas, já que muitas vezes mais de uma letra é necessária para a construção sonora. Por exemplo:

  • Problema – pro.ble.ma = 8 letras/8 fonemas
  • Tanto – tã.to = 5 letras/4 fonemas
  • tato – ta.to = 4 letras/4 fonemas
  • hoje – o.je = 4 letras/3 fonemas
  • trabalho – tra.ba.ʎo = 8 letras/7 fonemas
  • cinquenta – cĩ.que͂.ta = 9 letras/7 fonemas
  • tranquilo – trã.qui.lo = 9 letras/8 fonemas
  • quero – qe.ro = 5 letras/4 fonemas
  • táxi – ta.ksi = 4 letras/5 fonemas
  • adapto – a.dap.tp = 6 letras/6 fonemas

Observação: em fonética, o “x” com som de “ks” representa uma dispersão sonora, pois é o único caso em que se acrescenta um fonema à palavra.

Para fixar: O número de letras pode ser igual, maior ou menor que o número de fonemas.

Casos de pronúncias oscilantes

Há casos em que algumas letras apresentarão pronúncias oscilantes, ou seja, poderão emitir sons diferentes a depender das palavras que formarem. Veja os três casos mais comuns.

Pronúncia oscilante da letra X

  • X com som de X – xícara = 6 letras/6 fonemas
  • X com som de S – ex-marido = 8 letras/8fonemas
  • X com som de Z – exame = 5 letras/5 fonemas
  • X com som de KS – tóxico = 6 letras/7 fonemas

Pronúncia oscilante das letras M e N

  • Letras nulas: quando as letras “m” e “n” forem nulas, elas apresentarão som nasal, não sendo consideradas nem uma consoante, nem uma vogal. – quando = quã.do = apresenta duas consoantes: “q” e “d”.
  • Semivogais: quando a palavra terminar em “m” ou “n”, haverá um caso de semivogais compostas por “i” ou “u” em encontros vocálicos. – amavam/a.ma.vãu – hífen/i.fe͂i  – bem/be͂i.
  • Consoantes: As letras “m” e “n” formaram sons de consoantes quando seguidas de vogais. – mato/ma.to – nada/na.da

Pronúncia oscilante das letras GUE/GUI/QUE/QUI (Pronúncias para a letra U)

  • Haverá um caso de pronúncia nula, com diferente número de letras e de fonemas, quando a letra “U” não for emitida. – guerra – ge.ra = 6 letras/4 fonemas.
  • Quando a letra U for pronunciada de forma fraca, será classificada como uma semivogal. – cinquenta – cĩ.que͂.ta – 9 letras / 7 fonemas.
  • Quando a letra U for pronunciada de forma forte, será classificada como uma vogal. – averigue – a.ve.ri.gu.e.

Dígrafo ou Digrama

Dígrafos, também chamados de digramas, correspondem ao encontro de duas letras responsáveis pela produção de um único som. Nesse sentido, é possível perceber a ocorrência tanto de dígrafos vocálicos quanto de dígrafos consonantais.

Dígrafo vocálico

Dígrafos vocálicos são aqueles formados por uma vogal seguida da letra M ou N, de maneira que ocorrerá a emissão de um som nasal. Por exemplo:

  • tempo – te͂.po
  • tanto – tã.to

Dígrafo consonantal

Dígrafos consonantais, por sua vez, são sempre formados com as letras NH[ɲ], CH[x], LH[ʎ], RR[R], SS[S]. Nos dígrafos consonantais, há também os chamados casos oscilantes, os quais dependerão da palavra em que se encontram. São os casos das letras: SC, XC, QU, GU…

Encontro consonantal

São casos de encontros consonantais as situações em que duas consoantes, ambas sonoras, encontram-se na palavra que compõem. Nesses casos, poderão ser classificados como encontro consonantal perfeito ou encontro consonantal imperfeitoimperfeito.Veja os exemplos:

  • encontro – e͂.cõ.tro (único encontro consonantal é o do tr)
  • tratamento – tra.ta.me͂.to (único encontro consonantal é o do tr)

Encontro consonantal perfeito

São chamados de encontro consonantal perfeito o fenômeno de duas ou mais consoantes que, na divisão silábica, ocupam a mesma sílaba. Por exemplo:

  • problema – pro-ble-ma

Encontro consonantal imperfeito

Por sua vez, os casos de encontro consonantal imperfeito aparecerão sempre que as consoantes, durante a divisão silábica, ocuparem sílabas distintas. Por exemplo:

  • teste – tes-te
Atenção!

Ambas – ã.bas – não há encontro consonantal, pois o M é nulo (nasal).

Encontro vocálico

Já os encontros vocálicos, como o nome sugere, descreve o fenêmeno em que os fonemas – a, e, i, o, u – são pronunciados com maior ou menor intensidade, imediatamente um após o outro. Nesse sentido, são possíveis três situações:

#1 Hiatos

Os hiatos são formados sempre que os encontros de vogais ocorrerem em sílabas diferentes. Exemplo:

  • hi-a-to
  • ba-ú
  • te-a-tro

#2 Ditongos

Os ditongos, por sua vez, traduzem o fenômeno de encontros vocálicos em que, na mesma sílaba, uma semivogal é seguida por uma vogal ou, ao contrário, uma vogal precede uma semivogal .

  • Lei
  • a-ni-mais
  • res-tau-ran-te

#3 Tritongos

Tritongos traduzem os encontros vocálicos em que uma semivogal é seguida por uma vogal, e essa, por uma outra semivogal, todas presentes na mesma sílaba. Por exemplo:

  • Pa-ra-guai
  • sa-guões
  • i-guais

Nos encontros vocálicos, é possível ocorrer dois tipos de fonemas: vogais e semivogais.

VOGAL / SEMIVOGAL

Semivogal corresponde a um fonema cuja pronúncia é mais fraca que a dasvogais. Uma semivogal jamais ocorre sozinha na palavra, ou seja, deve vir, necessariamente, precedida ou seguida de uma vogal.

As semivogais podem ser representadas pelas seguintes letras: e, i, o, u. Tenha atenção de que, por se tratar de um fonema fraco, pronunciado sempre em conjunto com outra vogal (fonema forte), as semivogais somente poderão ocorrer em ditongos e tritongos.

Para se identificar corretamente as vogais e as semivogais, deve-se seguir a seguinte escala escala de sons:

Para se utilizar a escala acima, deve-se ter em mente que a vogal sempre possui maior valor sonoro do que a semivogal. Portanto, pela lógica decrescente da escala, inicia-se do som mais aberto (A) aos mais fechados (Ü). Observe os seguintes exemplos:

  • ra-i-nha (a=vogal, i=vogal, a=vogal / a-i=hiato) OBS: Como se trata de um hiato, ou seja, de um encontro vocálico em sílabas diferentes, não há semivogal, já que essa somente pode ocorrer em ditongos ou tritongos, por seguir, necessariamente, uma vogal.
  • vo-o (o=vogal, o=vogal / o-o=hiato)
  • co-ra-ção (o=vogal, a=vogal, ã=4=vogal, o=3=semivogal / ão=ditongo)

OBS: Como há ditongo, ou seja, um encontro vocálico na mesma sílaba, ocorrerá, necessariamente, uma vogal e uma semivogal, já que é impossível dois sons fortes, ou seja, suas vogais na mesma sílaba.

  • que-ro (u=não é vogal, nem semivogal, logo não forma ditongo e não apresenta classificação numérica na escala de timbre, por não ser pronunciado qe͂-ro, e=2=vogal, o=vogal)
  • es-pon-tâ-neo (e=vogal, o=vogal, â=vogal, e=2=semivogal, o=3=vogal / eo=ditongo crescente)
  • cons-trói (o=vogal, ó=3=vogal, i=1=semivogal / ói=ditongo decrescente)
Atenção!

Quando aparecer as letras “U” ou “I” na mesma sílaba (mesmos valores na escala de timbre), o que vier primeiro deverá ser considerado a vogal, ao passo que o segundo será a semivogal.

  • mui-to (u=1=vogal, i=1=semivogal / ui=ditongo decrescente)
  • ca-iu (a=vogal, i=1=vogal, u=1=semivogal / iu=ditongo decrescente)

Observações Importantes sobre encontros vocálicos:

  1. Lembre-se de que não existe sílaba sem vogal;
  2. Toda sílaba terá, apenas e somente, uma vogal;
  3. Os demais sons vocálicos de uma sílaba serão chamados sempre de semivogal;
  4. Em caso de mais de um som vocálico na mesma sílaba, a vogal será sempre a de maior número na escala tímbrica acima apresentada;
  5. Em encontros formados pelas letras “IU” ou “UI”, a vogal será sempre a primeira, formando ditongo decrescente.

Exemplos:

  • tranquilo – trã.qui.lo (ã=4=vogal; u=0, pois é o antigo ü=semivogal; i=1=vogal / ui=ditongo crescente)
  • gratuito – gra.tui.to (a=vogal; u=1=vogal, pois, pela regra da escala de timbre, aparece em primeiro lugar na sílaba; i=1=semivogal, pois, pela regra da escala de timbre, aparece em segundo lugar na sílaba, junto ao “u”, que tem o mesmo valor numérico; o=vogal / ui=ditongo decrescente)
  • ideia – i.dei.a (i=vogal, e=2=vogal, i=1=semivogal, a=vogal / ei=ditongo decrescente / i.a=devido ao conceito, não forma hiato, pois não se trata do encontro de vogais em sílabas separadas, mas sim do encontro da semivogal I com a vogal A em sílabas diferentes)
  • saiu – sa.iu (a=vogal, i=1=vogal, u=1=semivogal / iu=ditongo decrescente / a.i=hiato, pois são vogais em sílabas separadas)

Questões de fonética para treinar

Questão 01. (Quadrix) A partir das informações “Erradicar a extrema pobreza e a fome” e “Melhorar a saúde materna”, assinale a alternativa que apresenta apenas encontro(s) consonantal(is).

(A) erradicar

(B) pobreza

(C) fome

(D) melhorar

(E) saúde

GABARITO:

Questão 02. (AOCP) É comum na língua portuguesa algumas palavras não apresentarem correspondência perfeita entre o número de letras (elemento gráfico) e o número de fonemas (elemento sonoro). Assinale a alternativa em que ocorre essa correspondência.

(A) Hospital.

(B) Chovia.

(C) Equivocado.

(D) Estabilidade.

(E) Alguém.

Questão 03. (Instituto AOCP) Referente aos aspectos fonológicos, assinale a alternativa correta.

(A) Em “geração” e “precisarem”, a letras destacadas representam o fonema /s/.

(B) Em “impregnam”, destaca-se um encontro consonantal perfeito e um ditongo nasal.

(C) Em “afetuosa”, há quatro vogais e um hiato.

(D) Em “encerra”, as vogais “e” possuem a mesma pronúncia, evidenciando a mesma abertura vocálica.

(E) Em “Sobrevieram”, identifica-se um hiato, um encontro consonantal e dois ditongos.

Questão 04. (FUNDATEC) Assinale a alternativa que NÃO apresenta dígrafo.

(A) Sombra.

(B) Cratera.

(C) Ninho.

(D) Exceção.

(E) Ganho

Questão 05. (IBFC) Fonema é o menor elemento sonoro capaz de estabelecer uma distinção de significado entre as palavras. Analise os vocábulos: tóxico, galho, hoje. Assinale a alternativa que apresenta, correta e respectivamente, a quantidade de fonemas das palavras destacadas.

(A) sete, quatro, três.

(B) seis, cinco, quatro.

(C) três, dois, dois.

(D) seis, cinco, três.

Questão 06. (QUADRIX) Assinale a alternativa em que a palavra apresenta dígrafo.

(A) Terra

(B) Primeiro

(C) Fruto

(D) Flor

(E) Gleba

Questão 07. (FCM) Acerca da classificação dos fonemas em vogais, semivogais e consoantes, preencha corretamente as lacunas do texto a seguir.

Enquanto a palavra “pneu” apresenta um _______________, “assar” possui a combinação de duas letras que representam um único fonema, ou seja, um _______________. Já na palavra “enjoar” ocorre o encontro de duas vogais que ficam em sílabas diferentes e, por isso, trata-se de um _______________.

A sequência que preenche corretamente as lacunas do texto é

(A) encontro vocálico / dígrafo / hiato.

(B) tritongo / encontro vocálico / hiato.

(C) dígrafo / dígrafo / encontro vocálico.

(D) encontro vocálico / encontro vocálico / ditongo.

Questão 08. (AOCP) Assinale a alternativa em que todas as palavras apresentam dígrafo.

(A) Resposta – graças.

(B) Estressado – resposta.

(C) Cerebral – dispositivo.

(D) Estressado – carro.

(E) Amor – dispositivo

Questão 09.(AMEOSC) Das palavras que apresentam encontros vocálicos e consonantais em ambas as palavras:

(A) Apareceu – Nascer.

(B) Barulhão – Multidão.

(C) Muitos – Montanha.

(D) Começou – Repente.

Questão 10. (FAU) Assinale a alternativa cuja palavra não apresente um dígrafo:

(A) churrasco

(B) agradável.

(C) cozinha.

(D) possível.

(E) melhor.

GABARITO

  • Questão 01 – Letra B
  • Questão 02 – Letra D
  • Questão 03 – Letra B
  • Questão 04 – Letra B
  • Questão 05 – Letra A
  • Questão 06 – Letra A
  • Questão 07 – Letra A
  • Questão 08 – Letra D
  • Questão 09 – Letra B
  • Questão 10 – Letra B

Acertou todas as questões? Achou que a aula e as explicações ajudaram a clarear um pouco a matéria de fonética? Ou sentiu que ficou algum ponto ainda mal explicado? Fale para a gente suas impressões, deixando sua opinião na seção de comentários, logo abaixo 🙂 Estamos sempre acompanhando e ficaríamos muito felizes em ter um feedback de nossos alunos. Se houver algum tema que gostaria de ler por aqui, sinta-se à vontade! O blog é feito para você em primeiro lugar!

Deixe seu Comentário

Comentários

CONTINUE LENDO