fbpx

Funções da Linguagem – O que são e para que servem

Equipe Flávia Rita

funções da linguagem

A linguagem é um recurso de comunicação entre interlocutores, em que um emissor transmite a um receptor suas ideias, sentimentos ou desejos. Suas funções estão relacionadas, portanto, com o estudo da língua e da comunicação. Aqueles que se ocupam com as diferentes funções da linguagem, costumam identificar seis tipos diferentes de uso. Aqui vamos ver e entender cada uma delas, além de treinar, ao fim, com questões comentadas, de maneira a fixar o conteúdo.

As funções de linguagem compõem parte do conteúdo normalmente estudado na interpretação de texto. Caso sinta necessidade ampliar seus estudos nesse assunto, treinando com resolução de questões, confira nosso Curso Online de Interpretação de Textos para Concursos. Se você ainda não conhece nossa metodologia, não deixe de conferir nossa aula de interpretação de texto no nosso canal do YouTube.

Tipos de Texto

Antes de entender as diferentes funções que a linguagem desempenha, deve-se destacar as duas categorias distintas de texto. A partir da compreensão de que os textos correspondem, de forma simplificada, ao conjunto de palavras organizadas segundo a intenção do autor de criar sentido, seja apresentando um determinado contexto, seja analisando-o, é possível identificar dois grandes grupos textuais:

  1. Texto literário
  2. Texto não literário

 Os motivos dessa divisão é permitir uma compreensão melhor das características e das finalidades de cada tipo de texto.

TEXTO LITERÁRIO X TEXTO NÃO LITERÁRIO

Os textos literários são aqueles escritos com intenção estética, quer para entretenimento, quer para contemplação. Portanto, são comuns a essa espécie os textos narrativos e poéticos, dotados de carga emotiva e expressos em linguagem mais conotativa.

  • Textos narrativos e/ou poéticos, envolve emoções.
  • Linguagem subjetiva.
  • Função principal: destinado ao entretenimento, à ficção e à arte.
  • Exemplos: Romances, poemas, poesias etc.

Texto não literário, por sua vez, correspondem à modalidade textual escrita de forma objetiva, cuja intenção é comunicar ou relatar um fato de maneira exata. Por isso, apresentam, predominantemente, linguagem denotativa ou referencial. São exemplos de textos não literários os manuais, as notícias de jornal, os artigos acadêmicos etc.

  • Textos objetivos. Relata fatos e informações.
  • Linguagem objetiva, referencial.
  • Função principal: informar, explicar.

Exemplos: Manuais, notícias, artigos etc.

Funções da Linguagem

A comunicação das intenções do locutor pode ocorrer por meio de uma linguagem verbal ou de uma linguagem não-verbal. Em cada uma dessas formas, a mensagem irá apresentar predomínio de uma das seis função específicas:

FUNÇÃO REFERENCIAL, DENOTATIVA OU INFORMATIVA

A função referencial é aquela empregada com o intuito de informar objetivamente acerca de um determinado assunto ou de um contexto específico. Para isso, emprega-se, de modo predominante, a terceira pessoa do discurso. Além disso, os fatos são apresentados por meio de uma linguagem conotativa, com pouca interferência do locutor, ou seja, evitam-se expressões adjetivas ou conotativas. Dessa maneira, o foco recai integralmente no assunto, tal como se vê em notícias, reportagens ou textos acadêmicos.

  • Em geral, em terceira pessoa.
  • Linguagem objetiva.
  • Pouca interferência do locutor.
  • Foco no assunto / conteúdo do texto.
  • Típico de notícias, reportagens ou artigos científicos.

Veja o seguinte exemplo de um texto jornalístico em que se emprega linguagem referencial ou informativa:

Sobe para 418 o número de casos confirmados de Covid-19 no RS

 Secretaria Estadual da Saúde divulgou nove novos casos em Porto Alegre. Estado tem registro de seis mortes.

 A Secretaria Estadual de Saúde do RS divulgou, neste sábado (4), o registro de 418 casos confirmados de coronavírus no estado, e seis mortes. São oito a mais do que na última atualização. Os novos casos positivos foram identificados em Porto Alegre.

De acordo com a SES, foram incluídos nove novos casos e excluído um que estava em duplicidade, também na Capital.

Na sexta-feira (3), o número de casos confirmados estava em 410, de acordo com a SES. Apesar de 60% de casos e de mortes terem sido registrados em Porto Alegre, outras 58 cidades tiveram pelo menos um paciente diagnosticado com Covid-19.

 São Leopoldo

 A Secretaria Municipal de Saúde (Semsad) de São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre, confirmou mais quatro casos de coronavírus, neste sábado (4). Os exames foram feitos pelo laboratório da Universidade Feevale. Os novos casos no município ainda não estão no relatório divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde.

 Entre os novos quatro pacientes está um homem de 60 anos, e três mulheres de 14, 39 e 65 anos. Segundo a prefeitura, as mulheres têm relação com um outro paciente, um homem de 66 anos, que estava em estado grave na UTI Covid do Hospital Centenário e foi transferido para o Hospital de Clínicas de Porto Alegre[1].

[1] https://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2020/04/04/sobe-para-418-o-numero-de-casos-confirmados-de-covid-19-no-rs.ghtml

FUNÇÃO EMOTIVA OU EXPRESSIVA

A função emotiva, ao contrário da informativa, não tem a intenção de comunicar um fato objetiva. Sua finalidade é emitir uma opinião pessoal, um desejo ou um sentimento, de maneira que se fará predominante a linguagem conotativa, de caráter mais subjetivo, estruturada na primeira pessoa do discurso. São comuns nessa espécie as crônicas, os contos, as cartas e os poemas.

  • Em geral, é usada a primeira pessoa.
  • Há traços de subjetividade, como adjetivação.
  • Realiza-se um diálogo com o leitor por meio de perguntas retóricas e repetições, de forma a imprimir subjetividade no texto.
  • Há um amplo envolvimento do locutor.
  • Foco no autor.
  • Típico de crônica, charge, contos, textos literários.

Veja o seguinte poema de Fernando Pessoa, que representa um uso emotivo da linguagem:

Nevoeiro

Nem rei nem lei, nem paz nem guerra,

Define com perfil e ser

Este fulgor baço da terra

Que é Portugal a entristecer —

Brilho sem luz e sem arder

Como o que o fogo-fátuo encerra.

 

Ninguém sabe que coisa quer.

Ninguém conhece que alma tem,

Nem o que é mal nem o que é bem.

(Que ânsia distante perto chora?)

Tudo é incerto e derradeiro.

Tudo é disperso, nada é inteiro.

Ó Portugal, hoje és nevoeiro…

 

É a hora!

Fernando pessoa

FUNÇÃO CONATIVA OU APELATIVA

A função conativa ou apelativa coloca ênfase no emissor, uma vez que a finalidade é persuadir ou convencer o interlocutor. Para isso, a emprego de verbos no modo imperativo, de maneira a trazer comandos para a ação do outro. Trata-se de uma função muito comum em textos publicitários.

  • Típica de textos publicitários.
  • Objetiva persuadir o leitor.
  • Tipos de elementos que utiliza: imperativos, verbos no infinitivo, linguagem não-verbal.
  • Anúncios, propagandas.

A seguinte mensagem traz um exemplo da função conativa:

Propaganda do Estado de Pernambuco para o combate à dengue.

FUNÇÃO FÁTICA OU DE CONTATO

A função fática centra-se no canal de comunicação, de modo que corresponde se faz presente quando a intenção dos interlocutores é manter o ato comunicativo, ou seja, quando, num diálogo, o emissor procura sustentar sua interação com o emissor. É uma função muito comum em conversas coloquiais, cuja finalidade é apenas a comunicação desinteressada. São exemplos da função fática aquelas “conversas de elevador”, em que se pergunta despretensiosamente sobre o tempo.

  • Objetiva iniciar ou manter a comunicação.
  • Relaciona-se ao canal de comunicação.

FUNÇÃO METALINGUÍSTICA

A função metalinguística corresponde ao uso de um código (linguagem) para se explicar o próprio código (linguagem). São exemplos de metalinguagem as músicas que falam de música, os poemas que tratam do ofício poético, os dicionários que explicam o significado das palavras e, entre outros, os filmes que falam do cinema.

  • Ocorre quando há convergência de elementos usados na elaboração / transmissão da mensagem.
  • Texto sobre a reforma ortográfica em português. (O tema é português, o código é em português).
  • Dicionário.

Observe os dois tipos de metalinguagem:

O Bugio, por Willian Raphael Silva

FUNÇÃO POÉTICA

A função poética é mais comum nas obras literárias que utilizam linguagem conotativa, uma vez que a preocupação do emissor recai mais na forma como a mensagem é passada. Ainda que o nome possa confundir, a função poética não é exclusiva de textos literários, sendo muito comum também na publicidade e na linguagem do cotidiano, em casos de uso frequente de metáforas.

  • Não se limita à poesia.
  • Trata-se de uma combinação estética e intencional de palavras.
  • Rimas, trocadilhos e metáforas são recursos recorrentes.
  • Efeitos figurativos (sinestesia, eufemismo…).
  • Poesia, crônica, conto… (prosa poética).

Veja esse poema de Millôr Fernandes em que se usa da função poética:

Exemplo de linguagem poética.

Questões comentadas de Função da linguagem

Questão 01 (IBADE) Leia o texto abaixo e responda ao que se pede.

Neologismo

Beijo pouco, falo menos ainda.

Mas invento palavras

Que traduzem a ternura mais funda

E mais cotidiana.

Inventei, por exemplo, o verbo teadorar.

Intransitivo:

Teadoro, Teodora.

Manuel Bandeira

O texto “Neologismo” pertence ao gênero discursivo em que predomina a linguagem:
  • referencial.
  • jornalística.
  • literária.
  • informal.
  • formal.
Comentário: O gênero discursivo do texto é literário, o qual emprega uma linguagem poética para construir o sentido subjetivo pretendido. Gabarito: Letra C

Questão 02 (IBADE) Quase metade (47,7%) das estações no país pertence a empreendimentos privados para fins de licenciamento ambiental. Ademais, somente dois estados, São Paulo e Espírito Santo, dispõem da comunicação da qualidade do ar em tempo real à população.

O trecho entre parênteses sublinhado no período destacado acima é exemplo de função

  • fática.
  • metalinguística.
  • referencial.
  • conativa.
Comentário: O trecho, integralmente considerado, apresenta uso de uma linguagem informativa ou referencial. Contudo, a questão exigiu a função desempenhada pelo segmento sublinhado, o qual demonstra um uso da metalinguagem ao se utilizar de um código (numeral cardinal – 47,7%) para explicar outro (expressão quase metade). Gabarito: Letra C

Questão 03 (IDIB) Texto II

Propaganda da Prefeitura de Santos contra acidentes no trânsito
Ao analisar o TEXTO II, depreende-se que seu objetivo comunicativo está baseado, predominantemente, na função de linguagem denominada
  • metalinguística.
  • referencial.
  • apelativa.
  • emotiva.
Comentário: O texto se utiliza de uma linguagem centrada no receptor, em que o emissor procura influenciar seu comportamento. Trata-se, portanto, de uma função apelativa, comum em propagandas. Gabarito: Letra C.

Questão 04 (INSTITUTO AOCP)

Médicos do Reino Unido recomendam cuidar de plantas para tratar depressão
Por Rafael Battaglia
Publicado em 09 set. 2019
        Cuidar de uma horta, por menor que ela seja, às vezes não é tão simples. É preciso escolher o local certo, a quantidade exata de adubo, tomar cuidado para não regar demais e por aí vai. Mas (com o perdão do trocadilho) pode render bons frutos: as plantas que você cultiva no sítio, no jardim ou mesmo no seu apartamento podem ajudar no tratamento da depressão.
        Recentemente, a revista Fast Company mostrou que médicos do Cornbrook Medical Practice, uma clínica médica em Manchester, no Reino Unido, começaram a sugerir a prática da jardinagem para pacientes que sofrem de depressão e ansiedade. A recomendação vem da ideia de que o contato com a natureza (mesmo que seja apenas um vaso de planta), pode fazer bem à saúde.
      Na clínica Cornbrook, há um jardim que os pacientes podem frequentar e, ainda, convidar amigos e familiares para ajudar a plantar ervas como a hortelã e a erva-cidreira. O projeto é uma parceria com a ONG Sow the City (algo como “Semeie a Cidade”, em português), que trabalha em conjunto com hospitais, escolas, prefeituras e empresas para desenvolver ações como jardins comunitários, pesquisas sobre agricultura urbana, iniciativas sustentáveis, entre outras.
        Ecoterapia
     Trocar remédios por sementes parece uma novidade, mas a Sow the City já desenvolve projetos na área da saúde há alguns anos. É o caso do programa “Hospital Beds”, que construiu canteiros na área externa de um hospital de Manchester para pacientes com doenças mentais. O objetivo é aumentar o tempo ao ar livre deles e estimular a socialização. “Há evidências de que pessoas socialmente isoladas têm piores resultados no tratamento”, disse à Fast Company Jon Ross, diretor da ONG.
       Ao realizar uma ação, a Soy the City trabalha em conjunto com os médicos para definir qual tipo de terapia será o mais adequado para o lugar. Depois, os profissionais recebem treinamento em jardinagem para que eles possam orientar os pacientes. As plantas prescritas são fáceis de cuidar.
      […] Aimee Gee, que trabalha na Mind, organização sobre saúde mental, disse ao The Guardian que os efeitos da ecoterapia vêm de uma junção de fatores: a atividade física, o convívio social e a melhora no humor que o contato próximo com a natureza oferece.
      Não mora perto de um jardim comunitário? Cultivar plantas dentro de casa pode ser uma boa opção – até a Nasa já falou sobre isso. A agência espacial norte-americana financiou parte da pesquisa do cientista ambiental Bill Wolverton, cujos trabalhos mostram que as plantinhas melhoram a qualidade do ar. Se você desistiu da jardinagem depois de deixar sua suculenta morrer, talvez seja hora de dar uma segunda chance.
Disponível em: <https://super.abril.com.br/saude/medicos-do-reino-unido-recomendam-cuidar-de-plantas-para-tratar-depressao/>. Acesso em: 03 out. 2019.

O excerto “Mas (com o perdão do trocadilho) pode render bons frutos […]” revela a utilização de uma função da linguagem que prioriza

  • o referente, visto que se destaca o assunto abordado no texto.
  • a mensagem, pois são destacados o jogo com as palavras e a ambiguidade de sentido.
  • o canal, porque a ênfase da comunicação está no contato estabelecido com o leitor.
  • o emissor, visto que a expressão utilizada demonstra a opinião do autor sobre a jardinagem.
Comentário: Quando se utilizou dos parênteses, o autor quis antecipar a ocorrência de uma ambiguidade de sentido, derivada do jogo de palavras: render bons frutos. Em sentido denotativo, a expressão indica a ocorrência de bons frutos, ou seja, de vegetais de qualidade. Figurativamente, contudo, ela exprime sentido de bons resultados. Gabarito: Letra B
Questão 05 (INSTITUTO AOCP) No trecho “O naturalista polonês Wojciech Jastrzebowski foi a primeira pessoa a usar o termo ergonomia – que em grego significa “princípios do trabalho” – num texto chamado The Science of Work (“A Ciência do Trabalho”), escrito em 1857.”, as informações intercaladas por travessões e parênteses revelam a ênfase em qual função da linguagem?
  • Metalinguística.
  • Poética.
  • Emotiva.
  • Fática.
Comentário: Os trechos em travessão e entre parênteses trazem, respectivamente, uma explicação etimológica de um termo de origem grega e a tradução do nome em inglês da obra citada, ou seja, por meio da língua, explica-se a própria língua (semelhante ao que se vê nos dicionários). Portanto, observa-se um caso de função metalinguística. Gabarito: Letra A. 

Depois dessas explicações e do treino com as questões selecionadas, as diferentes funções da linguagem ficaram claras, certo? Se ainda tiver algum ponto que ficou com dúvida, não deixe de falar pra gente na seção de comentários! Além disso, caso queira saber sobre os cursos e escolher aquele que é melhor para você, não deixe de entrar em contato conosco pelos telefones

Caso tenha algum assunto que gostaria de ler por aqui, deixe sua sugestão na seção de comentários.

Deixe seu Comentário

Comentários

CONTINUE LENDO