/Perfil da banca IBFC – Tudo que você precisa saber para gabaritar sua prova de português


Perfil da banca IBFC – Tudo que você precisa saber para gabaritar sua prova de português

450

por: Equipe Flávia Rita

Então você vai está de olho no concurso para o Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, mas não sabe como estudar português para o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação – IBFC? Quer direcionar seus estudos para a prova e garantir sua vaga dominando a banca? Então esse texto é para você! Aqui, você vai ver quais os conteúdos mais cobrados pela banca e terá a oportunidade de treinar com algumas questões dos últimos certames por ela organizados! Vamos lá?

Primeiramente, vamos fazer um pequeno resumo para esclarecer algumas confusões com relação ao concurso do TJMG:

Situação do Concurso

Considerado um dos tribunais de justiça mais aguardados pelos concurseiros, as bancas para os concursos da primeira e da segunda instância já estavam definidas, sendo o Instituto AOCP e a IBFC as responsáveis pelas organizações das provas.

Entretanto, no dia 8 de agosto de 2019, o Tribunal mineiro aprovou a minuta do projeto de lei que unifica as duas carreiras do Judiciário. Em razão disso, o órgão decidiu sobrestar a realização do concurso até que o Legislativo delibere acerca da questão.

Isso não quer dizer que não se deva continuar estudando ou, para os ainda indecisos, dar início à preparação. Muito ao contrário, o tempo a mais é muito bem-vindo, pois permitirá cobrir todo conteúdo editalício e chegar preparado para gabaritar as provas e fechar a redação.

Para a 2ª Instância, a banca definida era o IBFC, então vamos entender o que você deve estudar para dominar qualquer questão de português que ela decida cobrar.

A Banca Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação 

A banca conta com mais de 10 anos de história, tendo sido criada, originariamente, para o desenvolvimento de projetos sociais na área da educação.

Atua, hoje em dia, tradicionalmente, na organização de concursos municipais e estaduais.

Quanto ao grau de dificuldade, as provas organizadas pelo IBFC são consideradas fáceis em razão de seu perfil mais objetivo.

CARACTERÍSTICAS DA PROVA DE PORTUGUÊS

A prova de português se caracteriza por trazer enunciados diretos com alternativas curtas, em que se costuma perguntar, por exemplo, qual a classe gramatical do termo destacado ou sua figura de linguagem, sua função sintática na oração ou mesmo qual a regra de acentuação ou o processo de formação.

As provas costumam privilegiar questões com textos mais longo, de natureza narrativa ou informativa, mas, uma vez ou outra, podem aparecer dois ou mais textos curtos.

As questões objetivas trazem, normalmente, quatro ou cinco alternativas. Confira nossa aula teórica para o concurso do TJMG:

CONTEÚDOS DE PORTUGUÊS MAIS RELEVANTES PARA O IBFC

O IBFC tem preferência por alguns conteúdos, sendo, por isso, bastante recorrentes em suas provas.

Ao se dedicar à disciplina de Língua Portuguesa, o aluno deverá dar mais atenção às seguintes matérias:

  • Interpretação de texto, (faça uma aula gratuita clicando aqui) com foco nas figuras de linguagem, no emprego de sinônimos, nas tipologias textuais e nas questões de inferência simples;
  • As questões de gramática são muito variadas, de forma que não apresentam padrões de repetição. Entretanto, os conteúdos mais relevantes são:
  1. Análise sintática
  2. Transitividade
  3. Crase
  4. Regência
  5. Concordância
  6. Colocação pronominal

Vamos ver algumas questões para vermos como a banca cobra o conteúdo.

Últimas Questões Aplicadas pelo IBFC

(IBFC. MGS. Advogado. 2019)

VIA LÁCTEA

Soneto XIII

“Ora (direis) ouvir estrelas! Certo

Perdeste o senso!” E eu vos direi, no entanto,

Que, para ouvi-las, muita vez desperto

E abro as janelas, pálido de espanto…

 

E conversamos toda a noite, enquanto

A via láctea, como um pálio aberto,

Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,

Inda as procuro pelo céu deserto.

 

Direis agora: “Tresloucado amigo!

Que conversas com elas? Que sentido

Tem o que dizem, quando estão contigo?”

 

E eu vos direi: “Amai para entendê-las!

Pois só quem ama pode ter ouvido

Capaz de ouvir e de entender estrelas.”

Olavo Bilac

Observe:

I. “E abro as janelas…” 4º verso

II. “Capaz de ouvir e entender estrelas” Último verso

III. “Inda as procuro pelo céu deserto.” 8º verso

IV. “A via láctea, como um pálio aberto, cintila.” 6º verso

Assinale a alternativa que apresenta, respectivamente, as funções sintáticas dos termos destacados.

  • a) objeto direto, objeto direto, adjunto adverbial, aposto.
  • b) adjunto adverbial, objeto indireto, aposto, vocativo.
  • c) vocativo, predicativo do sujeito, adjunto adnominal, objeto indireto.
  • d) objeto direto, complemento verbal, adjunto adverbial, objeto direto.

Gabarito: letra A.

Comentário: Os termos “As janelas”, “estrelas”, “pelo céu deserto” e “como um pálio aberto” exercem a função sintática, respectivamente, de objeto direto do verbo abrir, objeto direto dos verbos “ouvir” e “entender”, adjunto adverbial de lugar e aposto explicativo. Portanto, está correta a alternativa A, sendo o gabarito da questão.

(IBFC. 2019. Prefeitura de Cuiabá – MT. Oficial Administrativo) Fonema é o menor elemento sonoro capaz de estabelecer uma distinção de significado entre as palavras. Analise os vocábulos: tóxico, galho, hoje. Assinale a alternativa que apresenta, correta e respectivamente, a quantidade de fonemas das palavras destacadas.

a) sete, quatro, três.

b) seis, cinco, quatro.

c) três, dois, dois.

d) seis, cinco, três.

Gabarito: letra A.

Comentário: A palavra tóxico tem a letra x” apresentando o som de duas letras – “ks” –, logo, contam-se sete sons e sete fonemas. A palavra galho, apresenta um dígrafo – “lh” (duas letras com um só som) – e, por isso, possui quatro fonemas. Na palavra hoje, o “h” não possui som, de maneira que são percebidos apenas três fonemas. Portanto, a alternativa que apresenta o número correto de fonemas é letra A.

(IBFC. 2019. Prefeitura de Cuiabá – MT. Oficial Administrativo) Assinale a alternativa em que o uso de letra maiúscula está incorreto.

a) Para aqueles que estudam, Julho e Dezembro são meses de lazer e descanso.

b) No sábado, a jovem recebeu um belo buquê de flores porque era o Dia dos Namorados.

c) Avenida 15 de Novembro, 1025. Este é o endereço do curso de Administração gratuito.

d) O Sistema Único de Saúde passa por vários problemas. Faltam médicos e equipamentos.

Gabarito: letra A.

Comentário: A letra A apresenta erro ortográfico, pois os meses do ano, assim como os dias e as estações, devem ser grafados com letra minúscula. A letra B está correta, já que, de acordo com a norma-padrão, em datas comemorativas, devem ser usadas letras maiúsculas. A letra C não apresenta qualquer incorreção de ortografia, dado que, para nomes de ruas ou campos do conhecimento, podem ser utilizadas, facultativamente, letras maiúsculas. A letra D, por fim, também não desrespeita qualquer regra de ortografia porque a grafia de “Sistema Único de Saúde” marca o nome próprio de um órgão do governo.

(IBFC. 2019. SESACRE. Agente Administrativo) Leia com atenção a tira de “Calvin e Haroldo”, criada pelo cartunista Bill Watterson, para responder à questão.

De acordo com a tira e com a Gramática Normativa da Língua Portuguesa, assinale a alternativa correta.

a) A palavra “mãe” no primeiro quadrinho é o sujeito simples da sua oração.

b) No segundo quadrinho, a expressão “os poluentes” é o sujeito do verbo “dizer”.

c) A expressão “um moleque” é o sujeito do verbo “vindo” no último quadrinho.

d) No último quadrinho, o sujeito do verbo “falaram” é classificado como indeterminado.

Gabarito: letra D.

Comentário: A letra A está errada, pois a palavra “mãe”, no primeiro quadrinho, é um vocativo, não um sujeito simples. A letra B apresenta incorreção gramatical ao identificar o sujeito do verbo “dizer”, o qual se classifica como sujeito indeterminado. O termo “os poluentes” atua como sujeito da locução “irão reter”. A letra C erra ao considerar “moleque” como sujeito do verbo “vir”, o qual é, na verdade o pronome demonstrativo “Isso”. A letra D traz afirmativa adequada a estrutura sintática da frase.

(IBFC. 2019. IDAM. Técnico – Analista de Redes) De acordo com a leitura atenta do cartaz publicado abaixo e com a Norma Padrão da Língua Portuguesa, analise as afirmativas abaixo e assinale a alternativa correta:

I. A partir da análise textual do cartaz acima, é correto dizer que, com exceção do gato e do cachorro expostos na primeira coluna, todos os donos dos animais foram responsáveis por abandoná-los.

II. Na frase “A culpa não é deles. É de quem os abandonou” os termos destacados retomam termos enunciados no texto e têm o mesmo referente.

III. Na frase “A minha dona é alérgica” o termo destacado é um predicativo do objeto.

IV. A oração “Roí um sapato” é formada, sintaticamente, por um verbo transitivo direto e um objeto direto.

a) Apenas as afirmativas I, II e III são corretas.

b) Apenas as afirmativas II e IV são corretas.

c) Apenas as afirmativas III e IV são corretas.

d) Apenas a afirmativa IV está correta.

Gabarito: letra B.

Comentário: O item I está errado, pois o cartaz imputa a culpa do abandono, em todos os casos, aos donos, independentemente do comportamento dos animais. O item II apresenta afirmação correta, já que ambos os pronomes retomam os animais. O item III traz assertiva incorreta acerca da função sintática do termo destacado – “alérgica” –, o qual atua como predicativo do sujeito, uma vez que há verbo de ligação. O item IV, por fim, apresenta análise correta da sintaxe dos termos. Com isso, o gabarito é a letra B, por ser a única que apresenta os itens corretos.

(IBFC. 2019. MGS. Técnico Contábil) 

Na charge, aparecem por quatro vezes a letra o de forma isolada, no 1º e 3º balão de fala. Analise as afirmativas abaixo e assinale a alternativa correta sobre a função sintática desta letra isolada no texto.

I. O 1º e 3º uso têm a função de acompanhar o pronome interrogativo quee substitui uma intenção.

II. No 2º e 4º uso são classificados como pronomes pessoais do caso reto e substituem o nome do interlocutor.

III. O 2º e 4º uso são classificados como pronomes pessoais oblíquos e aparecem corretamente no texto na forma proclítica.

IV. O 1º e 3º têm a função de pronomes e o 2º e 4º têm a função de artigos que acompanham verbos.

Estão corretas

a) I e IV apenas

b) II e III apenas

c) I e III apenas

d) II e IV apenas

Gabarito: letra C.

Comentário: O primeiro e o terceiro uso da letra “o” têm a função de acompanhar o pronome interrogativo “que”. Já o segundo e o quarto uso correspondem a um pronome pessoal do caso oblíquo, pois atua, sintaticamente, como objeto direto dos verbos, respectivamente, “fazer” e “motivar”. Assim, a única alternativa que apresenta resposta cuja análise se mostra de acordo com a norma culta é a letra C.

(IBFC. 2017. Câmara Municipal de Araraquara. Assistente Técnico Legislativo) A análise morfossintática da oração “há variações nos tipos e qualidades dos equipamentos, controles operacionais e, principalmente, nos níveis gerenciais” permite concluir que, quanto à tipologia do sujeito, observa-se tratar-se de sujeito:

a) inexistente

b) indeterminado

c) composto

d) simples

Gabarito: letra A.

Comentário: O verbo “haver” empregado com sentido de existir é impessoal e forma oração sem sujeito. Portanto, a oração do enunciado apresenta sujeito inexistente, o que torna a letra A o gabarito da questão.

(IBFC. 2018. SEAP-MG. Assistente de Segurança Penitenciário) Observe as orações.

  1. A vida nas cidades se tornou difícil.
  2. Despertou cedo e começou o árduo trabalho.
  3. Vamos ao cinema ou qualquer outro programa.
  4. Confesso que não sei a resposta.
  5. Ele abriu o envelope e leu a informação de que fora demitido.

Analisando as orações em sua classificação quanto aos períodos Simples e Composto, é possível afirmar.

I. As orações 1 e 4 sinalizam um Período Simples, já que ambas nos apresentam uma oração absoluta.

II. Apenas a oração 2 apresenta um período Composto por Coordenação.

III. A Oração 3 nos apresenta um período Composto por Coordenação, sendo uma Oração Coordenada Sindética Alternativa.

IV. A oração 5 pode ser classificada como, período Composto por Coordenação e Subordinação ou também período Misto.

V. Entre as orações descritas não há período Composto por Subordinação ou período Misto.

Assinale a alternativa correta.

a) I e V, apenas.

b) II e V, apenas.

c) III e V, apenas.

d) III e IV, apenas.

e) III, apenas.

Gabarito: letra D.

Comentário: A letra A está errada, pois, conquanto o item I apresente afirmação sintaticamente correta, o item IV não traz uma oração absoluta, mas um período composto por duas orações. Na letra B, percebe-se incorreto o item II, já que as orações 3 e 5 também trazem períodos compostos por coordenação, e o item V, uma vez que a oração 4 se estrutura com um caso de subordinação (oração subordinada substantiva objetiva direta). A letra C também incorre em erro ao considerar correta o item V. A letra D é o gabarito da questão, dado que tanto o item III quanto o V fazem afirmações gramaticalmente corretas. A letra  E está errada porque não é apenas o item III que está correto, uma vez que o item V mostra-se também sintaticamente adequado.

Texto

No Brasil, entre o “pode” e o “não pode”, encontramos um “jeito”, ou seja, uma forma de conciliar todos os interesses, criando uma relação aceitável entre o solicitante, o funcionário-autoridade e a lei universal. Geralmente, isso se dá quando as motivações profundas de ambas as partes são conhecidas; ou imediatamente, quando ambos descobrem um elo em comum banal (torcer pelo mesmo time) ou especial (um amigo comum, uma instituição pela qual ambos passaram ou o fato de se ter nascido na mesma cidade). A verdade é que a invocação da relação pessoal, da regionalidade, do gosto, da religião e de outros fatores externos àquela situação poderá provocar uma resolução satisfatória ou menos injusta. Essa é a forma típica do “jeitinho”. Uma de suas primeiras regras é não usar o argumento igualmente autoritário, o que também pode ocorrer, mas que leva a um reforço da má vontade do funcionário. De fato, quando se deseja utilizar o argumento da autoridade contra o funcionário, o jeitinho é um ato de força que no Brasil é conhecido como o “Sabe com quem está falando?”, em que não se busca uma igualdade simpática ou uma relação contínua com o agente da lei atrás do balcão, mas uma hierarquização inapelável entre o usuário e o atendente. De modo que, diante do “não pode” do funcionário, encontra-se um “não pode do não pode” feito pela invocação do “Sabe com quem você está falando?”. De qualquer modo, um jeito foi dado. “Jeitinho” e “Você sabe com quem está falando?” são os dois polos de uma mesma situação. Um é um modo harmonioso de resolver a disputa; o outro, um modo conflituoso e direto de realizar a mesma coisa. O “jeitinho” tem muito de cantada, de harmonização de interesses opostos, tal como quando uma mulher encontra um homem e ambos, interessados num encontro romântico, devem discutir a forma que o encontro deverá assumir. O “Sabe com quem está falando?”, por seu lado, afirma um estilo em que a autoridade é reafirmada , mas com a indicação de que o sistema é escalonado e não tem uma finalidade muito certa ou precisa. Há sempre outra autoridade, ainda mais alta, a quem se poderá recorrer. E assim as cartas são lançadas.

(DAMATTA, Roberto. O modo de navegação social: a malandragem e o “jeitinho”. O que faz o brasil, Brasil?. Rio de Janeiro: Rocco, 1884. P79-89, (Adaptado) .

No início do texto, o emprego da vírgula que segue a expressão “No Brasil” deve ser justificado por tratar-se de:

a) uma oração intercalada.

b) um aposto ilustrativo de lugar.

c) um objeto anteposto ao verbo que complementa.

d) um adjunto adverbial deslocado da ordem direta.

Gabarito: letra D.

Comentário: O trecho “No Brasil, entre o ‘pode’ e o ‘não pode’, encontramos um ‘jeito’, ou seja, uma forma de conciliar todos os interesses, criando uma relação aceitável entre o solicitante, o funcionário-autoridade e a lei universal” apresenta um caso de vírgula decorrente de adjunto adverbial de lugar deslocado para o início da oração. Portanto, o gabarito é a letra “a”.

(IBFC. Prefeitura de Cuiabá – MT. Oficial Administrativo. 2019) Considere os enunciados a seguir: 

I. Angélica conquistou amigos, sinceros companheiros e uma nova família em seu novo local de trabalho.

II. Angélica conquistou amigos sinceros, companheiros e uma nova família em seu novo local de trabalho.

Analise as afirmativas e dê valores Verdadeiro (V) ou Falso (F). 

( ) No 1° enunciado, o vocábulo “sinceros” exerce a função de adjunto adnominal do substantivo “companheiros”.

( ) No 2° enunciado, o vocábulo “sinceros” exerce a função de complemento nominal do substantivo “amigos”.

( ) A diferença de sentido entre os dois enunciados deve-se à posição da vírgula em cada uma dessas frases.

( ) A alteração na posição da vírgula alterou o tipo de predicado. Em I, tem-se predicado verbal e em II, verbo-nominal. Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta de cima para baixo.

a) F, F, V, V

b) V, F, F, V

c) F, V, F, V

d) V, F, V, F

Gabarito: Letra D.

Comentário: A primeira afirmativa mostra-se correta, pois o vocábulo “sinceros” acompanha e qualifica o nome “companheiros”, atuando sintaticamente, com isso, como seu adjunto adnominal. A segunda afirmativa é falsa, já que o termo “sinceros”, como dito, classifica-se como adjunto adnominal. A terceira afirmativa é correta, uma vez que o uso da vírgula alterou o termo qualificado pelo adjetivo “sinceros”. A quarta afirmativa está incorreta, pois, em ambas as frases, percebem-se verbos nocionais constituintes de predicados verbais. Assim, tem-se como gabarito da questão a letra D.

(IBFC. Prefeitura de Cuiabá – MT. Oficial Administrativo. 2019) Analise o enunciado: “Todo esforço tem a sua recompensa”. Assinale a alternativa que preencha correta e respectivamente as lacunas abaixo.

 

A expressão “todo esforço” funciona como _____ da oração; o termo “tem” é um _____ que é complementado com um _____ representado pela expressão “a sua recompensa”.

a) predicado / verbo intransitivo / complemento nominal.

b) substantivo / verbo de ligação / complemento verbal.

c) predicativo / verbo transitivo indireto / objeto indireto.

d) sujeito / verbo transitivo direto / objeto direto.

Gabarito: Letra D

Comentário: A expressão “todo esforço” classifica-se, sintaticamente, como sujeito simples do verbo “funcionar”; já o termo “tem” é um verbo transitivo direto, acompanhado de seu complemento “a sua recompensa”, considerada objeto direto. Assim, a única alternativa que apresenta todas as classificações corretas é a letra d.


Agora você já deve estar dominando a banca! Sabendo os principais pontos com maior recorrência, não deixe de apertar seus estudos neles, pois isso aumentará suas chances de conseguir os primeiros lugares nas provas. Nos vemos nos próximos textos 😉

Descubra outros concursos organizados pela IBFC:

Deixe seu Comentário

Comentários