/TÉCNICA DO POMODORO OU O TIMER DE TOMATE


TÉCNICA DO POMODORO OU O TIMER DE TOMATE

193

por: Equipe Flávia Rita

Aqui você verá os principais pontos da famosa técnica do pomodoro! Com certeza, se você está começando a estudar agora e a entrar nesse ambiente de concurso público, você já escutou falar nesse sistema de blocos curtos de estudo, com intervalos de cinco e quinze minutos. Então, vamos ver como ele funciona!

MÉTODO POMODORO

Todo concurseiro de primeira viagem sempre se vê frente a um problema comum a todas as pessoas que procuram realizar objetivos de longo prazo: como organizar o tempo de uma maneira efetivamente produtiva e passível de controle e diminuir a procrastinação?

Um desses estudantes foi o universitário italiano Francesco Cirillo, que, nos anos 1980, ainda nos primeiros anos de sua faculdade, viu-se em dificuldades de se organizar e estudar todo o conteúdo que lhe era exigido pelo curso. Frente a essa situação, ele colocou um desafio para ele mesmo: estudar por 10 minutos diretos! Sim, parece uma piada, mas é o que ele atesta em seu livro The Pomodoro Technique. Porém, foi dessa aposta consigo mesmo que a técnica nasceu!

Em razão da necessidade de controlar seu tempo de trabalho, Francesco buscou um cronometro em sua cozinha que, curiosamente, tinha o formato de um pomodoro. Com a utilização desse relógio de 25 minutos e que apitava a cada bloco, ele desenvolveu uma das melhores técnicas de produtividade disponíveis hoje em dia!

Mas você sabe como ela funciona? Pois bem, vamos aprender!

QUANTOS TOMATE? BLOCOS DOS POMODOROS!

A primeira coisa a ser feita com na técnica do pomodoro é estabelecer seus objetivos de longo prazo. Feito isso, divida-os em tarefas menores, possíveis de serem realizadas em algumas horas. Agora, pegue seu cronômetro de tomate!

Com ele na mão, você irá marcar três períodos diferentes com as seguintes finalidades:

  • 25 minutos de concentração intensa na tarefa a ser executada
  • 5 minutos de intervalo curto após o bloco de 25 min
  • 15 minutos de intervalo longo (10min + 5min do intervalo curto) após quatro blocos de 25 min.

O objetivo desse sistema é diluir os intervalos longos em blocos menores e, com isso, permitir uma melhor concentração nas tarefas. Além disso, esse período de 25 minutos permite que a concentração se mantenha por mais tempo ao longo do dia, o que não ocorreria com o uso de blocos maiores, como 50min ou 1 hora e 30 minutos.

QUANTIFICANDO O ESFORÇO

A partir da utilização dos pomodoros, você deve ir marcando quantos foram feitos ao todo, de maneira que, ao final, será possível quantificar o esforço demandado para a atividade. Isso auxilia na organização de longo prazo e na administração do tempo, pois o esforço necessário para cumprir determinada tarefa agora já é conhecido e mesurado, o que irá facilitar os futuros planejamentos.Portanto, as futuras tarefas poderão ser melhor organizadas a partir da previsão gerada pela técnica, pois a sua produtividade por período de tempo já é conhecida.

OTIMIZAÇÃO DA TÉCNICA DO POMODORO – ESPREMENDO OS TOMATES!

Uma maneira de se otimizar a técnica do pomodoro é separa um bloco de 25 minutos para realizar atividades de revisão e de fixação. Antes do início da tarefa, separe alguns minutos para fazer uma recapitulação do que foi estudado da última vez; ao final do período, faça uma revisão do que foi aprendido, sempre destacando os pontos principais e os que não ficaram tão claros e que, por isso, deverão ser revistos em outros dias. Caso o volume de matéria a ser revisto seja grande, separe um ou mais blocos de 25 minutos para a revisão. O importante é não se perder nas revisões, nem deixar de fazê-las.

BENEFÍCIOS DA TÉCNICA DO POMODORO

A técnica do pomodoro apresenta uma vantagem em relação aos outros métodos de gestão de tempo. Por estipular períodos de estudo de 25 minutos, ou seja, tempos menores do que os 50 minutos ou a 1 hora e 30 minutos normalmente recomendados, o sistema permite uma concentração maior nas fases de estudo. Ao longo de sua utilização, a técnica do pomodoro auxilia na construção de hábitos de disciplina de estudos, de forma que, durante o timer, o aluno não perderá o foco.

Além disso, como as pausas são intercaladas com períodos curtos de cinco minutos, o tempo de concentração se estende por mais horas ao longo do dia. Estudos já demonstraram que há uma curva decrescente da concentração à medida que se estendem as horas de estudo. Após 50 minutos, a concentração pode cair pela metade e, por isso, é o período em que normalmente se recomendam as pausas. Porém, em razão do desgaste decorrente da intensa concentração exigida ao longo do período, é muito provável que os blocos de estudo seguintes não sejam tão produtivos quanto o primeiro. Ao se utilizar períodos mais curtos de estudo, com mais intervalos, é possível prolongar a qualidade da concentração. E é exatamente isso que a técnica do pomodoro faz.


Espero que esse conteúdo tenha sido útil para você e que, agora, você esteja mais municiado para seguir com seus estudos e se organizar de uma forma mais eficiente! Lembre-se: estudar não é um evento, mas um projeto que exige planejamento e disciplina! Deixe duas opiniões nos comentários e nos diga o que mais você gostaria de ver aqui no blog!

Deixe seu Comentário

Comentários