fbpx

Colocação Pronominal – Próclise, Mesóclise e Ênclise

Equipe Flávia Rita

Entenda agora as regras para a colocação pronominal, segundo cada caso: ênclise, mesóclise e próclise.
COMO USAR COLOCAÇÃO PRONOMINAL?

Em redações para concursos e exames vestibulares, assim como em diversas provas objetivas, muitos bons candidatos acabam sendo penalizados pela errônea colocação dos pronomes. A chamada colocação pronominal traduz o conjunto de regras que regem a posição do pronome em relação ao verbo e é motivo de diversas confusões. Por isso, compilamos aqui tudo que você precisa saber sobre a matéria. Ao final, separamos algumas questões para você poder treinar e fixar ainda mais o assunto!

Pronomes e Colocação Pronominal

A gramática normativa estabelece diversas regras para a colocação do pronome em relação ao verbo. A isso, chama-se de colocação pronominal. Confira nossa aula prática de Correção de 1000 Frases em que tratamos do assunto!

Gostou da nossa aula? Assista também as aulas gratuitas do Português Total, um curso completo de Língua Portuguesa que aborda todo o conteúdo cobrado em editais de nível médio e superior.

 

Primeiramente, cabe esclarecer dois aspectos básicos da colocação pronominal:

  1. O que se coloca na frase?
  2. Onde se coloca?

As regras de colocação aplicam-se para os chamados pronomes oblíquos átonos, os quais poderão gravitar em diferentes posições do verbo:

PRONOMES OBLÍQUOS ÁTONOS

me, te, se, nos, vos

lhe, lhes

o, a, os, as(lo…/no….)

Com isso dito, tem-se que poderá assumir uma posição proclítica, mesoclítica ou enclítica.

PRÓCLISE: o pronome é colocado antes do verbo.

  • Não me disse isso.
  • Esta informação me ajudou bastante.
  • Ninguém me falou nada.

MESÓCLISE: Quando o pronome vier interposto na forma verbal, ou seja, encontrar-se entre o radical e a terminação do verbo, será um caso de mesóclise.

  • Dar-me-á explicação.
  • Dir-lhe-ia que estava certo.
  • Fá-lo-á amanhã de manhã.

ÊNCLISE: por fim, quando o pronome oblíquo for deslocado para depois do verbo, haverá um caso de ênclise.

  • Deu-me explicações.
  • Zanguei-me com tal atitude.
  • Enerva-me

CASOS PROIBIDOS EM COLOCAÇÃO PRONOMINAL

Em alguns casos, a gramática impede determinada posição do pronome na frase.

#1 No Início de frase, é vedada a colocação proclítica.

  • Se dedicou ao trabalho voluntário.
  • Dedicou-se ao trabalho voluntário.

#2 Não se usa pronome oblíquo proclítico após ponto-e-vírgula.

  • Tinha se lembrado do fato; se esqueceu de comentá-lo.
  • Tinha se lembrado do fato; esqueceu-se de comentá-lo.

#3 Não se usa pronome oblíquo enclítico depois de particípio.

  • Havia expressado-se com clareza.
  • Havia se expressado com clareza.

#4 Não se usa ênclise após futuros do indicativo – futuro do pretérito (-ia) e futuro do presente (-á).

  • Daria-me uma chance.
  • Dar-me-ia uma chance.
  • Contarão-me o erro.
  • Contar-me-ão o erro.

 ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE COLOCAÇÃO PRONOMINAL

#1 No Infinitivo, a colocação pronominal é sempre facultativa, ou seja, a forma enclítica pode ocorrer mesmo na presença de palavra atrativa.

  • Teve vontade de me ajudar.
  • Teve vontade de ajudar-me.
  • Isso é importante para livrá-lo do mal.
  • Isso é importante para o livrar do mal.

#2 Quando houver vírgula, evita-se a próclise.

  • Hoje, fala-se em política.

#3 Casos de apossínclise: apossínclise traduz a possibilidade de colocação do pronome antes da palavra atrativa. Trata-se de um CASO SEMPRE FACULTATIVO.

  • O governo se não manifestou sobre o fato.
  • O governo não se manifestou sobre o fato.

CASOS DE PRÓCLISE

 MNEMÔNICO: NASG RID OIE à Os cinco primeiros casos são atrações fortes; os cinco últimos, fracas.

#1 Palavra de sentido negativo (não, nunca, jamais, nem, ninguém, nenhum…) impõe colocação proclítica.

  • Não se (colocação proclítica – partícula negativa atrativa) manifestou nem se (colocação proclítica – partícula negativa atrativa) posicionou sobre o fato.

#2 Em advérbios curtos sem vírgula (hoje, já, agora…), haverá atração do pronome.

  • Já se (colocação proclítica – advérbio curto) sabe a importância do português para as provas.

#3 Conjunção subordinativa (se, que, quando, caso) exercerá atração sobre o pronome.

  • Se se (colocação proclítica – conjunção subordinativa) dedicar, será aprovado.
  • Quando o rapaz se (colocação proclítica – conjunção subordinativa) propuser a falar.

#4 Em gerúndios precedidos da preposição “em”.

  • Em se (colocação proclítica – gerúndio precedido de em) tratando de português, tudo é lindo.

#5 Pronomes relativos (que, o qual, onde, cujo, quem, como…) exercem atração sobre os pronomes oblíquos.

  • A mulher a cujos filhos me (colocação proclítica – pronome relativo – cujo) refiro é especial.

#6 Pronomes indefinidos (cada, tudo, nada, alguma, alguém…) exercem atração sobre os pronomes oblíquos.

  • Alguém se (colocação proclítica – pronome indefinido) manifestou sobre o fato.
  • Algumas pessoas se manifestaram./Algumas pessoas manifestaram-se.
ATENÇÃO! Ambas as opções estão corretas, pois a atração, nesse caso, não é forte.

#7 Pronomes demonstrativos (esse, este, esta, essa, aquilo, aquele, aquela…) exercem atração sobre os pronomes oblíquos.

  • Isso se (colocação proclítica – pronome demonstrativo) aprende na escola.

CASOS ENVOLVENDO FRASES

#8 Em frases optativas, ou seja, aquelas que exprimam desejo, o pronome será anteposto ao verbo.

  • Que Deus o (colocação proclítica – expressão de desejo) abençoe.

#9 Em frases interrogativas, o pronome ocorrerá em sua posição proclítica.

  • O governo se (colocação proclítica – frase interrogativa) manifestou?

#10 Em frases exclamativas, o pronome ocorrerá em sua posição proclítica.

  • O governo se (colocação proclítica – frase exclamativa) manifestou!
ATENÇÃO! Se o ponto de exclamação estiver muito longe do pronome, não ocorrerá atração proclítica.
Observação: Os casos de #1 a #5 são hipóteses de atração forte, o que significa que atraem o pronome oblíquo átono mesmo que exista termo intermediário.

CASOS DE MESÓCLISE

 Os casos mesoclíticos ocorrem apenas quando atendidas quatro condições simultâneas:

#1 A mesóclise somente poderá ser usada se não houver caso de próclise. Assim, a próclise prevalece sobre a mesóclise.

  • Ninguém expressar-se-ia desse modo.
Observação: Não é possível o uso de mesóclise, pois a partícula negativa enseja a colocação proclítica. à Ninguém se expressaria desse modo.

#2 A mesóclise somente pode ser usada com futuros do indicativo – futuro do pretérito e futuro do presente do indicativo.

#3 A mesóclise somente será obrigatória se o verbo iniciar o período.

  • Expressaria-se desse modo. à “Expressar-se-ia”.

#4 Nos demais casos, será facultativo o uso de próclise/mesóclise.

  • O rapaz expressaria-se desse modo.
Observação: Não é possível ênclise com futuro do indicativo. É possível tanto a colocação proclítica quanto mesoclítica, embora esta não seja obrigatória, pois não se encontra no início da frase.

Exemplo: O rapaz se expressaria desse modo./O rapaz expressar-se-ia desse modo.

CASOS DE ÊNCLISE

A ênclise corresponde aos casos de colocação pronominal após o verbo. Há três regras básicas regendo os casos enclíticos:

#1 A ênclise somente será obrigatória se a próclise for proibida.

  • Me deu uma opinião. (Deu-me uma opinião).

#2 A ênclise é proibida em dois casos: quando houver futuro do indicativo (futuro do presente + futuro do pretérito) e após particípio.

  • Faria-me um favor. (Caso proibido) à Far-me-ia um favor.
  • Tinha manifestado-se. (Caso proibido) à Tinha-se/se manifestado.

#3 Nos demais casos será facultativo o uso de próclise ou ênclise.

  • O rapaz se dedicou/dedicou-se à tarefa.

COLOCAÇÃO EM LOCUÇÕES VERBAIS

 São sempre possíveis dois tipos de colocação para cada verbo, sendo uma delas proclítica e a outra ou enclítica ou mesoclítica.

  • O governo (se – próclise do verbo auxiliar) pode(-se – ênclise do verbo auxiliar) (se – próclise do verbo principal) lembrar(-se – ênclise do verbo principal) disso.
  • O governo (se – apossínclise) não (se – próclise do verbo auxiliar) pode (se – próclise do verbo principal) (se – ênclise do verbo auxiliar) lembrar(-se – ênclise do verbo principal) disso.
  • O governo (se – próclise do verbo auxiliar) tinha (-se – ênclise do verbo auxiliar) (se – próclise do verbo principal) lembrado disso.

Questões de colocação pronominal

Questão 01. (IBFC) A respeito das normas de Colocação Pronominal, assinale a alternativa incorreta.
  • (A) A mesóclise é o uso do pronome no interior do verbo em frases no presente do indicativo.
  • (B) A próclise é o uso do pronome antes do verbo, quando houver conjunções subordinativas.
  • (C) A ênclise é o uso do pronome depois do verbo em frases iniciadas por verbo.
  • (D) A próclise é o uso do pronome antes do verbo em frases que possuam advérbios ou outras palavras atrativas.
Questão 02. (FCC) Observe a construção verbal do enunciado a seguir: “Tratar-se-ia apenas de amor próprio.” Quanto à norma de colocação pronominal utilizada, assinale a alternativa correta.
  • (A) Mesóclise – uso do pronome no interior do verbo no futuro do pretérito.
  • (B) Mesóclise – uso do pronome no interior do verbo no futuro mais-que-perfeito.
  • (C) Próclise – uso do pronome no interior do verbo no futuro do presente.
  • (D) Mesóclise – uso do pronome no interior do verbo no pretérito imperfeito.
Questão 03. (INSTITUTO AOCP) Considerando a colocação dos pronomes oblíquos na norma culta da Língua Portuguesa, assinale a alternativa correta.
  • (A) Em “A mente me mete medo.”, o pronome “me” poderia ser utilizado após o verbo “mete”, formando “mete-me”, visto que o sujeito “A mente” está explícito.
  • (B) Em “Estagnar-se em conluio com um adiantamento robusto de arrependimentos.”, o pronome “se” poderia vir no início da oração, formando “Se estagnar […]”, pois é um caso facultativo de colocação pronominal.
  • (C) Em “Então, há vezes em que ela se desapega de nós […]”, o pronome “se” deveria estar após o verbo “desapega”, formando “desapega-se”, para se adequar à linguagem formal.
  • (D) Em “Reviravoltas constantes me deixam com desejo aguçado de parar à porta da insanidade […]”, o pronome “me” deveria ser colocado após o verbo “deixam”, formando “deixam-me”, visto que o sujeito não está explícito.
Questão 04. (VUNESP) Encontra-se em conformidade com a norma-padrão da língua, quanto ao emprego e à colocação dos pronomes, a seguinte frase:
  • (A) Além de medir bem a palavra gravada, o profissional adequadamente calcula-a.
  • (B) Jornalistas sérios conheciam os gravadores de fita cassete, mas desprezavam-o.
  • (C) A privacidade começou a decair e não lhe protegem por causa dos interesses escusos.
  • (D) Os grandes furos nasciam de conversas, e os informantes eram quem os providenciava.
  • (E) As pessoas com seus pecados, muitos ou poucos, os levam para a internet, os tornando públicos.
Questão 05. (VUNESP) Assinale a alternativa em que, com a mudança da posição do pronome em relação ao verbo, conforme indicado nos parênteses, a redação permanece em conformidade com a norma-padrão de colocação dos pronomes.
  • (A) … há melhora nas escolas quando se incluem alunos com deficiência. (incluem-se)
  • (B) … em educação especial inclusiva, contam-se não muito mais que 100 mil deles no país. (se contam)
  • (C) Não se concebe que possa haver um especialista em cada sala de aula. (concebe-se)
  • (D) Aí, ao menos um profissional preparado se encarrega de receber o aluno… (encarrega-se)
  • (E) … que não se confunde com incapacidade, como felizmente já vamos aprendendo. (confunde-se)

GABARITO

  • Questão 01 – A
  • Questão 02 – A
  • Questão 03 – A
  • Questão 04 – D
  • Questão 05 –  D

 


Ficaram claros todos os pontos relacionados à colocação pronominal? Teve alguma dúvida nas questões ou gostaria de ver explicado algum ponto específico? Então não deixe de nos contar na seção dos comentários! Caso queira saber sobre os cursos e qual é o mais recomendado para você, não deixe de entrar em contato conosco pelos telefones

Deixe seu Comentário

Comentários

CONTINUE LENDO