/Português para concurso: aprendendo conjunções!


Português para concurso: aprendendo conjunções!

2143

por: Equipe Flávia Rita

Aqui você irá rever o conteúdo de conjunções e, finalmente, irá entender a importância desses termos para o desenvolvimento da coesão textual. Além disso, verá algumas questões ao final, para poder treinar e conseguir fixar melhor o conteúdo! Vamos lá?

#1 O que são conjunções e qual a importância das conjunções para o seu texto?

As conjunções são uma classe gramatical composta por termos invariáveis utilizados para articular duas ou mais orações entre si, de forma a estabelecer um sentido específico – conclusivo, final, concessivo, conformativo, etc. Apenas por curiosidade, a palavra conjunção tem origem no latim conjunctio, o que significa união. Ou seja, é por meio das conjunções que é estabelecida a coesão textual.

De acordo com a classificação vigente, há duas espécies de conjunções:

  1. CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
  2. CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS

Quer saber mais sobre como fazer um texto coeso, coerente e articulado? Então não deixe de conferir nossos outros conteúdos:

Se quiser aprofundar mais a respeito dos diferentes mecanismos de estruturação frasal, faça uma revisão sobre os sinais de pontuação!

#2 As diferentes espécies de conjunção: Conjunções que você deve saber!

Agora que o conceito e a função estão claros, vamos ver quais são as conjunções de cada grupo e, talvez mais importante, quais são as que mais costumam aparecer nas provas de concursos públicos. Para isso, deve-se entender o valor semântico de cada uma das conjunções, de maneira que se consiga verificar a possibilidade de uma ser substituida por outra, pois essa é a forma preferida de cobrança pelas bancas.

Então, dito isso, as seguintes conjunções devem ser estudadas com maior afinco, de maneira a não tropeçar no dia da prova!

A) CONJUNÇÕES COORDENADAS

Conjunções coordenadas ou coordenativas ligam orações que são semanticamente independentes uma da outra e que podem unir os núcleos de um mesmo termo da oração. São divididas em:

  • Aditivas: e, nem, bem, como, não só, mas também, não apenas, como ainda, entre outras.
  • Adversativas: mas, porém, todavia, contudo, não obstante, no entanto, entretanto, etc.
  • Alternativas: ou..ou…quer…quer… ora…ora…já…já.. seja…seja..
  • Explicativa: que, porque, pois ( antes do verbo), porquanto, etc.
Fig.1 – conjunções coordenadas

 

B) CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS

Conjunções subordinativas, como o próprio nome indica, são conjunções que indicam dependência de um elemento a outro. Podem ser:

  • CAUSAIS: haja vista, que, porque, pois, porquanto, visto que, uma vez que, entre outras.
  • COMPARATIVAS: como, que nem, que ( depois de mais, menos, melhor, pior, maior), entre outras.
  • CONCESSIVAS: embora, conquanto, ainda que, mesmo que, em que pese, posto que.
  • CONDICIONAIS: se, desde que, caso, contando que, a menos que, somente se, etc.
  • CONFORMATIVAS: conforme, como, segundo, de acordo com, consoante.
  • CONSECUTIVAS: que ( depois de tal, tanto, tão), de modo que, de forma que, de sorte que.
  • FINAIS: para que, a fim de que, etc.
  • PROPORCIONAIS: à proporção que, à medida que, quanto mais..mais, quanto menos..menos.
  • TEMPORAIS: quando, enquanto, assim que, até que, mal, logo que, desde que, etc.
  • INTEGRANTES: que, se, como.
Fig.2 – conjunções subordinadas

Não se esqueça de que as conjunções integrantes não possuem carga semântica e visam a introduzir uma oração subordinada substantiva. (ANOTE ISSO E DESTAQUE NO SEU RESUMO).

#3 Valor habital e valor contextual das conjunções

Uma dúvida que muito aparece na cabeça dos estudantes é o emprego “inadequado” de conjunções, ou seja, quando elas exprimem, contextualmente, um sentido diferente do habitual. Vamos ver um exemplo?

“[…] E assim quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa lhe dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure”.

O Soneto da Fidelidade, talvez um dos mais conhecidos poemas de Vinícios de Moraes, traz um exemplo claro de semântica contextual diferente da semântica habital da conjunção. A locução conjuntiva “posto que” exprime, normalmente, valor concessivo, sendo, por isso, equiparada a conquanto, embora, apesar de. Contudo, no soneto, ela foi empregada com valor de causa. Ainda que não se possa dizer que o emprego é reprovável, ele não é recomendado, sobretudo em textos sujeitos à avaliação gramatical, pois essa prática será considerada como um erro de morfossintaxe e poderá, também, ensejar dedução da nota nos quesitos de articulação e coesão textual.

Esse é o exemplo clássivo de uma alteração do sentido natural da conjunção, mas existem muitos outros. Vamos ver?

A conjunção COMO: poderá apresentar três diferentes valores semânticos – causa, comparação e conformidade. Exemplo:

  • COMO causal: Como trovejava, tirei minha cachorrinha do terreiro. Aqui, a conjunção “como” poderia ser substituída por “já que”.
  • COMO conformativo: Fiz o trabalho como me foi solicitado. A conjunção, aqui, exprime conformidade, e poderia corretamente ser substituída por “conforme”.
  • COMO comparativo: Como a irmã, ele não parou de chorar ao escutar não. Nesse caso, a conjunção “como” exprime uma comparação, sendo equivalente a “igual a”.

A conjunção SE: poderá ser empregada, também, com três sentidos diferentes – condicional, causal e integrante. Exemplo:

  • SE condicional: Se você estudar corretamente, irá passar mais rápido em sua prova. A conjunção “se”, aqui, equivale a “caso”, pois exprime uma condição ao resultado desejado.
  • SE causal: Se você sabia que não deveria comer gordura, por que comeu o torresmo?. A conjunção “se”, nesse caso, equiale a “já que”, de forma que tem sentido de causa.
  • SE integrante: Não posso dizer se vou reagir bem a isso. Aqui, a conjunção “se” introduz uma oração subordinada substantiva objetiva direta, não possuindo, por si, carga semântica. Por isso, é considerada como conjunção integrante.

Ao ler o conteúdo, você ficou curioso com a matéria de gramática? Sentiu a necessidade de rever a parte teórica da língua portuguesa com foco em concursos públicos? Então, não deixe de conferir nosso curso PORTUGUÊS GOLD 2019!

Assista esse vídeo também no nosso canal do YouTube, clicando AQUI! Lá, você terá acesso a mais informações sobre o curso e a promoções exclusivas!


# 4 Hora de treinar CONJUNÇÕES para sua prova

Depois de todas as dicas, você já deve estar entendendo bem melhor o conteúdo de conjunções, então, agora, é a hora de treinar!

Você já sabe que o conteúdo conjunções é cobrado por todas as bancas e é, por isso, uma matéria recorrente em português para concurso. Não importa a organizadora, se FUNDEP, FCC, Cespe, Cesgranrio, FUMARC, ESAF, a boa pontuação, tanto na prova objetiva quanto na dissertativa, dependerá dos conhecimentos acerca das conjunções coordenadas e subordinadas.

Para treinar, resolva as questões que selecionamos a respeito do tema! Com o tempo e com a prática, você irá se familiarizar com as diferentes formas de cobrança de cada banca, com o tipo de raciocínio que será exigido em cada questão e com as conjunções mais recorrentes. Vamos treinar?


2018 – UFPR – Assistente de Tecnologia da Informação 

No trecho: “O projeto havia sido aprovado na Câmara Municipal no mês passado. Ainda falta determinar o prazo para a entrada em vigor da medida.”, as duas frases poderiam ser unidas, sem perda do significado, por meio da conjunção:
A) se

que

pois

logo

porém

Gabarito: E

2018 – FUMARC – PC-MG Escrivão 

O conhecimento sobre a classificação das orações de um período composto pode ampliar o panorama de compreensão das redes argumentativas propostas nos textos, sejam profissionais ou não.

Analise o período: “Não se pode aceitar que a igualdade seja apenas formal, mas sim, efetiva e indispensável”.
Sobre o papel da conjunção “mas” no período acima, é CORRETO afirmar.

A)Imprime uma relação de proporcionalidade ao início do texto.

Conclui articulando causa e consequência.

C)Compara a relação temporal da Lei Maria da Penha.

Acrescenta uma argumentação contrária em relação à primeira oração.

Gabarito: B

2018 – AOCP – SUSIPE PA

Em “Além disso, entre eles, 24,1% disseram não ter interesse, e 8,2% já tinham concluído o nível de estudo que desejavam.”, a expressão em destaque imprime ao excerto uma ideia de

oposição.

explicação.

condição.

alternância.

acréscimo

Gabarito: E

2018 – FCC – Câmara Legislativa do Distrito Federal 

Por conseguinte, está relacionada com a existência de classes sociais. (2o parágrafo)
O termo sublinhado acima assinala no texto noção de

conclusão.

concessão.

oposição.

temporalidade.

finalidade.

Gabarito: A

2018 – VUNESP – Prefeitura de Ferraz Vasconcelos 

  • Se você deseja se relacionar saudavelmente, precisa aceitar e compreender os sentimentos e emoções das outras pessoas.

A alternativa que identifica o sentido da conjunção que inicia o trecho destacado e o reescreve corretamente, preservando o sentido original, é:

Concessão: Embora você deseje …

Tempo: Desde que você deseja …

Condição: Caso você deseje …

Causa: Como você deseja …

Conclusão: Portanto você deseja …

Gabarito: C

2018 – FAURGRS – TJ-RS

Indique qual é a oração iniciada por conjunção integrante nos exemplos abaixo.

Já não dá mais para escapar (l. 01)

quem cunhou a expressão (l. 02)

se o paralelo, contudo, é possível (l. 06)

que incomodava naquele início de Carnaval (l. 24-25)

porque isso só disfarça uma violência intolerável (l. 27-28)

Gabarito: C

2018 – VUNESP – PC/SP

Considere as frases:
• Ele me contou isso sem mágoa nenhuma, e se despediu ainda sorrindo. • … estava falando com um colega, ainda que menos importante.
As expressões em destaque nas frases exprimem, respectivamente, ideia de

inclusão; comparação.

tempo; concessão.

modo; finalidade.

adição; conclusão.

modo; condição.

Gabarito: B

CONFIRA O SEU E-BOOK GRATUITO DE CONJUNÇÕES PARA VOCÊ TREINAR! 


Português para concurso: Como otimizar os seus estudos?

Após esse texto, você decidiu apertar os seus estudos de língua português, mas ainda tem dúvidas de como o fazer? Então, não deixe de conhecer nosso curso de FICHAMENTO.

Nele, você irá aprender como utilizar a técnica das fichas curtas para otimizar suas revisões e, consequentemente, ampliar a fixação das matérias. Assista a uma aula GRATUITA do curso de FICHAMENTO e conheça a metodologia:

O curso também acompanha o livro de fichamento, em que você terá as fichas esquematizadas por matérias e prontas para serem preenchidas de acordo com conteúdos trabalhados em sala de aula.

 

O curso de fichamento é ideal para quem já tem base no conteúdo e precisa fazer uma revisão focada para relembrar as regras e os detalhes que são cobrados na língua portuguesa. Além disso, trabalha todos os assuntos cobrados em concurso públicos, organizados pelas bancas mais exigentes do país, como acentuação gráfica, concordância verbal e nominal, casos de regência, pontuação, casos proibidos, facultativos, especiais e obrigatórios de crase, análise sintática do período simples como termos ligados ao nome, tipos de predicado, termos do predicado, análise sintática do período composto como orações coordenadas, substantivas, adjetivas, adverbiais, reduzidas, ortografia como casos de homônimos e parônimos, noções gramaticas como adjetivo, adverbio, conjunções, verbo, pronome, tipos de QUE/SE, dentre outros. Além disso, o aluno recebe o livro de Fichamento, uma excelente ferramenta para potencializar o aproveitamento de todo o conteúdo ministrado.

A metodologia permitirá ao aluno estudar de forma dinâmica uma infinidade de matérias em prazos mais curtos de tempo de maneira mais constante. A metodologia consiste no desenvolvimento de fichas em que o aluno cria resumos por tópicos da disciplina de Português ou qualquer outra.

Além da parte de fichamento, o curso também conta com resoluções de provas. Desta forma, além de revisar a parte teórica, serão trabalhados vários exercícios para você treinar e testar os seus conhecimentos. Resolver exercício é essencial para conhecer o perfil da banca, os tipos de assunto mais cobrados e identificar os assuntos mais recorrentes.

QUERO FAZER MINHA MATRÍCULA NO CURSO DE FICHAMENTO!

Qual conteúdo de língua portuguesa você tem mais dificuldade? Compartilhe o post nas suas mídias sociais e muito sucesso nos seus estudos!

 

 

 

Deixe seu Comentário

Comentários