/Tudo que você precisa saber de predicação verbal


Tudo que você precisa saber de predicação verbal

64

por: Equipe Flávia Rita

Muitos bons candidatos de provas de concursos públicos ou do Exame Nacional do Ensino Médio costumam tropeçar em algumas regras sintáticas referentes à função do verbo e à estruturação do predicado. E com razão, pois trata-se de uma matéria complexa e com muitas nuances. Aqui, iremos trabalhar alguns pontos da predicação verbal, dando ênfase à transitividade verbal e às diferentes espécies de predicados. Se você sentir que necessita de uma base teórica mais completa sobre o assunto, confira nosso curso online Português Total 2020, ou, se preferir, o curso presencial! Além disso, de modo a garantir uma oportunidade para você treinar, selecionamos e comentamos 11 questões de análise sintática do período simples, as quais tratam, direta ou indiretamente, das matérias aqui abordadas. Vamos dominar de uma vez por toda essa parte essencial da sintaxe e garantir aqueles pontos para sua aprovação!

O que é Predicação Verbal?

Primeiramente, merece ser esclarecido que predicação verbal corresponde à transitividade do verbo. Em outras palavras, trata-se do estudo a respeito dos aspectos sintáticos do verbo.

Aqui, deverão ser analisadas as formas vebais da oração de maneira a classificá-las correntamente. Segundo as gramáticas normativas, os verbos podem ser classificados como:

  • verbo transitivo direto (VTD),
  • verbo transitivo indireto (VTI),
  • verbo transitivo direto e indireto (VTDI),
  • verbo intransitivo (VI) ou
  • verbo de ligação (VL).

Se quiser aprender mais sobre as diferentes transitividade dos verbos, não deixe de conferir a aula da nossa série, Pensando com a Flavinha, em que tratamos de Análise Sintática (se quiser ver no nosso canal do YouTube, basta clicar AQUI):

Mas atenção! A transitividade não é fixa ao termo verbal, o que quer dizer que ela pode variar de acordo com o contexto. Veja os seguintes exemplos:

Ela (sujeito) ficou (verbo intransitivo) em casa (adj. adv. de lugar).

Ela (sujeito) fica (verbo de ligação) triste (predicativo do sujeito).

Ela (sujeito) ficou (verbo transitivo indireto) com a herança (OI).

Uma dica para se analisar a transitividade do verbo é seguir a seguinte ordem:

1)     Analisar primeiro o sujeito;

2)     Depois procurar os adjuntos adverbiais, que são as palavras ou expressões que exprimem sentido circunstancial ao texto;

3)     Identificar o predicativo, ou seja, o termo que apresenta uma característica, um estado ou uma qualidade do sujeito;

4)     E, por fim, localizar o verbo

Quais as espécies de verbos que podem aparecer nas orações?

#1 Verbos Transitivos

 Verbos transitivo são verbos que exigem um complemento, o qual poderá ser ou não preposicionado. Quando o for, será classificado como verbo transitivo indireto, porém, quando dispensar a preposição, será um verbo transitivo direto. Pode ocorrer também de o verbo transitivo exigir ambas as espécies de complemento, de modo que será classificado como verbo transitivo direto e indireto.

Além disso, os verbos transitivos podem vir acompanhados de adjuntos adverbiais e/ou predicativos.

Os verbos transitivos são empregados para responderem às perguntas “algo?” ou “alguém?”, de modo que basta identificar a presença de preposição na resposta para saber se se trata de um caso direto ou indireto.

Por fim, importante saber que há casos em que a oração irá trazer tanto complementos não preposicionados como complementos preposicionados. Nesse caso, o verbo será classificado como transitivo direto e indireto.

São, portanto, características dos verbos transitivos:

  • Apresenta complemento verbo, o qual poderá ser preposicionado, o que tornará o verbo transitivo indireto, ou não preposicionado, formando verbo transitivo direto.
  • Empregados para responder as perguntas “algo?” ou “alguém?”/
  • Podem ter adjuntos adverbiais ou predicativos.

Veja os seguintes exemplos a respeito dos verbos transitivos:

Livrei-o de explicações naquele momento.

 Ao se analisar a sintaxe da oração, são identificados os seguintes elementos: o sujeito desinencial ou oculto “eu”; o objeto direto na forma do pronome oblíquo “o”; o objeto indireto “de explicações”; e o adjunto adverbial de tempo.

Nesse caso, trata-se de um verbo transitivo direto e indireto, uma vez que se percebe ambos os complementos. complementos.

A coisas fúteis, preferia o amor.

 Aqui, devem ser identificados o sujeito indeterminado, o complemento direto “o amor”, o objeto indireto “a coisas fúteis”, anteposto ao sujeito, e o verbo “preferia”, que, novamente, classifica-se como transitivo direto e indireto.

Não o vi naquele dia.

 No presente trecho, nota-se o adjunto adverbial de negação “não”, o objeto direto em forma pronominal “o”, o verbo transitivo direto “vi” e o adjunto adverbial de tempo. O sujeito, aqui, também se encontra oculto, porém é identificado na primeira pessoa do singular devido à flexão verbal.

 Isso nos interessa muito.

 Nesse exemplo, o pronome demonstrativo “isso” exerce a função de sujeito da oração e o pronome oblíquo “nos” atua como o objeto indireto do verbo “interessar”. A palavra “muito” é classificada como adjunto adverbial de intensidade.

Cabe notar que, embora a regência verbal exija a preposição “a”, ela não é expressa na frase por ter sido aglutinada pelo pronome obliquo.

#2 Verbos Intransitivos

Verbos intransitivos, por sua vez, são aqueles que não dependem de complemento para exprimirem sentido completo, nem direto nem indireto. Além disso, poderá ou não ser acompanhado de adjuntos adverbais ou de predicativos.

Características dos verbos intransitivos:

  • não apresenta complemento, nem direto, nem indireto;
  • Pode ou não ter sentido completo;
  • Pode ou não ter adjuntos adverbiais e/ou predicativos.

 Observe os seguintes exemplos:

 O governo esteve no evento conforme divulgado pela imprensa.

Nesse caso, há o sujeito “o governo”, o verbo intransitivo “esteve”, o adjunto adverbial de lugar “no evento” e o adjunto adverbial de conformidade “conforme divulgado pela imprensa”.

Ele saiu preocupado da sala naquele dia.

Aqui, nota-se o sujeito “ele”, o verbo intransitivo “sair”, o predicativo do sujeito “preocupado” e os adjuntos adverbiais “da sala”, que exprime sentido de lugar, e “naquele dia”, com sentido temporal.

Não se esqueça de que os adjuntos adverbiais são termos invariáveis, de modo que a palavra “preocupado” não poderá ser classificada como um, já que acompanhará o gênero do sujeito.

#3 Verbos de Ligação

 Os verbos de ligação são aqueles que ligam o sujeito ao seu predicativo. Contudo, nem todo verbo seguido de predicativo será considerado de ligação.

Para isso, o verbo deverá pertencer a seguinte “lista”: Ser, estar, permanecer, ficar, continuar, parecer, tornar-se, andar (empregado com sentido de estar), virar (empregado com sentido de tornar-se) e viver (empregado com sentido de estar)

Características dos verbos de ligação:

  • O verbo de ligação, como seu próprio nome indica, liga o sujeito ao predicativo do sujeito;
  • Não apresenta objeto direto nem objeto indireto;
  • Pode apresentar adjuntos adverbiais.

Vamos ver alguns exemplos para ficar mais claro:

Ela ficou nervosa na ocasião.

 Ao se proceder a análise sintática da oração, devem ser identificados o sujeito “ela”, o verbo “ficou”, o predicativo do sujeito “nervosa” e o adjunto adverbial de tempo “na ocasião”.

Observe, aqui, que há um verbo de ligação, pois todos os seus requisitos foram atendidos: o verbo “ficar” está presente na lista acima e há predicativo do sujeito.

A moça ficou em casa naquele dia.

 Aqui, devem ser identificados o sujeito “moça”, o verbo intransitivo “ficar”, e os adjuntos adverbiais de lugar e de tempo.

E por que, aqui, o mesmo verbo será classificado como intransitivo e não como de ligação?

Simples! Porque não há predicativo do sujeito! Como dito, para ser verbo de ligação, ambos os requisitos devem estar presentes simultaneamente. Ou seja, deve o verbo estar na lista e ser seguido por predicativo do sujeito. Caso algum desses requisitos esteja ausente, será ele enquadrado em outra classificação.

A moça ficou com a herança.

Nesse último exemplo, há o mesmo sujeito simples “a moça” e o mesmo verbo “ficou”, porém, agora, classificado como verbo transitivo indireto. E por que isso?

Porque, agora, o contexto exige um complemento preposicionado para completar seu sentido, ou seja, agora há o objeto indireto “com a herança”.

Tipos de Predicado 

Esclarece-se, inicialmente, que predicado corresponde à parte estruturante da oração, sendo responsável por apresentar a ação do sujeito, seus complementos e seus aspectos circunstanciais.

Em linguagem mais simples, ao se retirar o sujeito da frase, todo o restante comporá o predicado. Trata-se, pois, de informação em torno de um verbo ou de uma locução verbal.

Existem três tipos de predicados:

  • Predicado verbal
  • Predicado nominal
  • Predicado verbo-nominal

A classificação de cada uma dessas espécies exige a presença de dois elementos:

  • predicativo ou
  • verbo de ligação.

Nesse sentido, se não existir nem predicativo, nem verbo de ligação, o predicado será classificado como predicado verbal. Por outro lado, se houver tanto o predicativo quanto o verbo de ligação, o predicado será nominal.

Por fim, a espécie mista, predicado verbo-nominal, apresenta predicativo, mas não verbo de ligação.

TIPOS DE PREDICADO
TIPOS VERBO PREDICATIVO SENTIDO
Predicado verbal VI, VTD, VTI, VTDI Nunca apresenta predicativo Exprime ação.
Predicado nominal Verbo de Ligação Apresenta predicativo do Sujeito Exprime qualidade, característica ou estado.
Predicado verbo-nominal VI, VTD, VTI, VTDI Pode apresentar tanto predicativo do sujeito, quanto do objeto. Exprime sentido de ação + qualidade, característica ou estado.

Exemplo: O juiz (sujeito) julgou (VTD) o réu (OD). à Predicado verbal, pois não apresenta predicativo.

Exemplo: O réu (sujeito) era (verbo de ligação) culpado (predicativo do sujeito). à Predicado nominal.

Exemplo: O juiz (sujeito) julgou (VTD) o réu (OD) culpado (predicativo do objeto). à Predicado verbo-nominal.

Questões comentadas de análise sintática do período simples

QUESTÃO 01. Todas as alternativas apresentam oração sem sujeito, exceto em:

a) Anos faz que eu o atravessei num

b) Há cochichos de vento no

c) Chegou a manhã, linda como um

d) Como fazia frio aquela noite!

Comentário. Ocorrerá oração sem sujeito em cinco situações: quando o verbo “haver” for empregado com sentido existencial; quando os verbos “fazer” ou “haver” exprimirem sentido de tempo decorrido; quando se tratar de fenômenos da natureza; quando o verbo “ser” for empregado para expressar hora, data, distância; e nos casos das expressões “chega de”, “basta de”, “passa de”. Salvo na hipótese do verbo “ser” indicando hora, data ou distância, a qual concordará com o numeral, todas as demais serão flexionadas na 3ª pessoa do singular. Com isso, percebe-se que a letra A não pode ser a resposta da questão, pois se enquadra no caso de verbo “fazer” expressando tempo decorrido, de modo que inexiste sujeito. A letra B também apresenta uma oração sem sujeito, uma vez que o verbo “haver” foi empregado com sentido existencial. Resposta correta – Letra C: A assertiva é o gabarito da questão, pois apresenta oração com sujeito simples “a manhã” (chegou). A letra D, por fim, não traz sujeito, dado ser caso de fenômeno da natureza.

QUESTÃO 02. Todas as alternativas apresentam sujeito simples e verbo na voz passiva, exceto:

a) A vizinhança, os perigos que pudessem vir dela eram eliminados por abstração.

b) Mais cigarros foram fumados, os tocos jogados na água.

c) Já outros diziam que Amâncio não era homem para ser despachado da porta de ninguém.

d) Nessa altura, o burro já tinha parado

Comentário. Considera-se sujeito simples aquele composto por um único núcleo e voz passiva a estrutura oracional em que o sujeito sofre a ação do verbo. A voz passiva pode ocorrer de duas formas diferentes: a forma sintética, construída a partir do uso do pronome apassivador “se” em um verbo transitivo direto ou transitivo direto e indireto; e a forma analítica, formada por um verbo auxiliar (ser ou estar) seguido do verbo principal no particípio. Na letra A, observa-se o sujeito simples “os perigos” sofrendo a ação de “ser eliminado”, de maneira que o verbo se encontra na voz passiva analítica. A letra B também traz o sujeito simples “cigarros” em estrutura de passiva analítica, uma vez que ele sofre a ação de “ser fumado”. Por fim, a letra C apresenta o sujeito simples “Amâncio” em estrutura da voz passiva analítica “ser despachado”. Resposta correta – Letra D: A assertiva não traz oração na voz passiva, mas, sim, uma locução verbal em tempo composto. Portanto, é o gabarito da questão.  

QUESTÃO 03. Em todas as frases, há oração sem sujeito, exceto em:

a) Já passa das quatro horas.

b) Há muito colorido nas festas

c) Hoje, está escurecendo rapidamente.

d) Novembro começa.

Comentário. Ocorrerá oração sem sujeito em cinco situações: quando o verbo “haver” for empregado com sentido existencial; quando os verbos “fazer” ou “haver” exprimirem sentido de tempo decorrido; quando se tratar de fenômenos da natureza; quando o verbo “ser” for empregado para expressar hora, data, distância; e nos casos das expressões “chega de”, “basta de”, “passa de”. Salvo na hipótese do verbo “ser” indicando hora, data ou distância, a qual concordará com o numeral, todas as demais serão flexionadas na 3ª pessoa do singular. Na letra A, observa-se o caso da expressão “passa de”, a qual constrói oração sem sujeito. Na letra B, o verbo “haver” foi empregado com valor existencial, o que forma oração sem sujeito. Na letra C, há um caso de verbo exprimindo fenômeno da natureza (escurecer), o qual também prescinde de sujeito. Resposta correta – Letra D: A assertiva traz uma oração com o sujeito simples “Novembro”. Portanto, é o gabarito da questão.

QUESTÃO 04. O termo destacado não é sujeito em:

a) “Segundo os jornalistas, ocuparam-se indevidamente vários cargos durante a última administração.”

b) “Pela imprensa tem sido denunciado o enriquecimento veloz de um funcionário público.”

c) Se ele disser que não foram satisfatórias as contas, então que se o processe ”

d) “Se existissem empenho e seriedade, os acusados iriam certamente para a prisão.”

Comentário. Na letra A, observa-se uma oração na voz passiva sintética, sendo o termo destacado sujeito paciente do verbo “ocupar”. O sujeito não pode ser preposicionado. Resposta correta – Letra B: A assertiva apresenta uma oração na voz passiva analítica, composta pelo sujeito paciente “o enriquecimento veloz de um funcionário público” e pelo agente da passiva “pela imprensa”. Assim, o termo destacado não se classifica como sujeito, o que torna a alternativa o gabarito da questão. A letra C traz uma oração formada por verbo de ligação mais predicativo e destaca o sujeito “as contas”. A letra D, por fim, destaca o sujeito composto “empenho e seriedade”, que se encontra posposto ao verbo “existir”.

QUESTÃO 05. Os verbos dos períodos abaixo estão corretamente classificados quanto à predicação, exceto:

a) “Alfredo colocou as mãos sobre os ombros da ” (transitivo direto)

b) “Jogavam, animadamente, na Pensão Paraíso, seu Tuci e ” (transitivo direto)

c) “O sargento comunicou aos oficiais a ” (transitivo direto e indireto)

d) “Rogério não desistiria assim, tão” (intransitivo)

Comentário. A letra A apresenta classificação correta quanto a predicação, pois o verbo “colocar” é transitivo direto, seguido pelo objeto direto “as mãos” e por um adjunto adverbial de lugar – “sobre os ombros da mulher”. Resposta correta – Letra B: A assertiva traz classificação incorreta para o verbo “jogar”, o qual, na oração, é intransitivo, dado inexistir complemento direto. Além disso, os demais termos são considerados, respectivamente, adjunto adverbial de modo (animadamente), adjunto adverbial de lugar (na Pensão Paraíso) e sujeito composto (Seu Túcio e Ernesto). Na letra C, o verbo “comunicar” é seguido de seus complementos direto (a captura) e indireto (aos oficiais), de modo que se percebe correta sua classificação como verbo transitivo direto e indireto. Na oração da letra D, identifica-se o sujeito “Rogério”, seguido do adjunto adverbial de negação “não”, do verbo intransitivo “desistir” e de dois adjuntos adverbiais de modo – “assim” e “tão depressa”. Por isso, considera-se correta a classificação do enunciado.

QUESTÃO 06. Examinei-lhe a roupa; era um pobre diabo, que nunca jamais vira uma moeda de ” Os verbos sublinhados no período acima são, respectivamente:

a) transitivo direto e indireto – de ligação – transitivo

b) transitivo direto e indireto – transitivo direto – transitivo direto.

c) transitivo direto – transitivo direto – transitivo

d) transitivo direto – de ligação – transitivo direto.

Comentário. Os pronomes oblíquos “me”, “te”, “se”, “nos”, “vos”, “lhe” e “lhes” serão classificados, sintaticamente, como adjuntos adnominais sempre que indicarem sentido de posse. Percebe-se que o pronome “lhe” exprime, no enunciado, exatamente a ideia de posse do objeto direto “roupe”, de modo que não poderá ser considerado objeto indireto, mas, sim, adjunto adnominal. Resposta correta – Letra D: Com isso, tem-se que os verbos “examinei”, “era” e “vira” classificam-se, respectivamente, como verbo transitivo direto, verbo de ligação e verbo transitivo direto. Portanto, correta a letra D por indicar adequadamente a transitividade de cada um deles.

QUESTÃO 07. O termo sublinhado é objeto direto em:

a) Por mais que se acumulem provas, não há possibilidades de ele ser

b) Faltou mais atenção para que os resultados fossem considerados

c) O ridículo foi que as suas acusações trouxeram desespero para os

d) O ministro seguiu o conselho: repreendeu o general, mas acabou desautorizado pelo

Comentário. Na letra A, o termo sublinhado exerce a função de sujeito paciente, pois o verbo “acumular” encontra-se apassivado pelo pronome “se”. A letra B, por sua vez, inverte a ordem dos termos oracionais, de maneira que o substantivo “atenção” exerce a função sintática de sujeito e não objeto direto. A letra C apresenta, no termo grifado, também um sujeito, responsável pela a ação de trazer – “acusações trouxeram”. Resposta correta – Letra D: Por fim, a assertiva atende ao comando da questão, pois o termo sublinhado “o conselho” classifica-se, sintaticamente, como objeto direto.

QUESTÃO 08. Há predicado nominal em:

a) “Concluiu que o casamento esterilizara uma inspiração que só tinha ambiente na liberdade do ”

b) “Em vez de perder o tempo e a inspiração em coisas fúteis, comporia obras de fôlego, nas boas ”

c) “Quisemos ainda assim propor-lhe outro livro, recolhendo o que havia sido feito por ”

d) “Ainda que os seus escritos não fossem versos, contentava-se em ouvi-lo para admirá-lo.”

Comentário. Para ser classificado como predicado nominal, é necessária a presença tanto de verbo de ligação quanto de predicativo do sujeito. Com isso, a letra A não atende o comando da questão, pois todos os verbos de seu período são transitivos diretos – “concluiu”, “esterilizara” e “tinha”. A letra B também não pode ser considerada a resposta certa, uma vez que os verbos “perder” e “compor” são ambos transitivos diretos. A letra C, por fim, não apresenta predicação nominal, dado serem os verbos “querer”, “propor”, “recolher” e “haver sido”, respectivamente, transitivo direto, transitivo direto, transitivo direto e verbo em locução de voz passiva. Resposta correta – Letra D: A assertiva é o gabarito da questão porque há verbo de ligação – “fossem” – seguido de predicativo do sujeito – “versos”. Portanto, trata-se de caso de predicado nominal.

QUESTÃO 09. “Não corria bem a pena, a letra era tremida. A consulta aos livros era feita com tal melancolia que entristecia o ” No trecho acima, as palavras destacadas são, respectivamente:

a) objeto direto – adjunto adnominal – objeto indireto.

b) objeto direto – adjunto adnominal – complemento

c) objeto direto – predicativo – complemento

d) sujeito – predicativo – complemento

Comentário. Ao se analisar o período do enunciado, percebe-se ser o primeiro trecho grifado o sujeito do verbo correr – “a pena”. A segunda palavra sublinhada – “tremida” – classifica-se, por sua vez, como predicativo do sujeito, dado que atribui uma característica ao sujeito “a letra”. Por fim, a locução “aos livros” exerce a função sintática de complemento nominal, uma vez que apresenta sendo paciente em relação ao nome “consulta”. Resposta correta – Letra D: Portanto, correta a letra D, por trazer classificação adequada aos trechos destacados.

QUESTÃO 10. “O cientista vê a preservação da Amazônia como algo necessário para a sobrevivência do homem moderno.” O termo sublinhado classifica-se como:

a) complemento

b) adjunto

c) adjunto adverbial.

d) objeto

Comentário. Importante destacar a diferença entre complemento nominal e adjunto adnominal. O primeiro ocorrerá obrigatoriamente preposicionado, ao passo que o segundo poderá ou não vir acompanhado de preposição. Além disso, o complemento nominal apresenta natureza passiva, acompanhando as classes gramaticais de adjetivo, advérbio e substantivo abstrato. O adjunto adnominal, por outro lado, tem natureza ativa e ocorre apenas com substantivos abstratos e concretos. Com isso em mente, percebe-se classificar-se o termo destacado como o complemento nominal do substantivo “preservação”, uma vez que, além de apresentar preposição, tem natureza passiva. Resposta correta – Letra A: Portanto, correta a classificação indicada na letra A.

QUESTÃO 11. “Os traficantes que vendem drogas nas escolas são estudantes, que têm boas roupas, comparecem às aulas e até tiram boas ” Os termos destacados, no período acima, são respectivamente:

a) predicativo do sujeito – sujeito – adjunto adnominal.

b) predicativo do sujeito – objeto direto – objeto

c) objeto direto – sujeito – adjunto

d) objeto direto – sujeito – objeto

Comentário. Na frase, percebe-se que o termo “estudantes” exerce, sintaticamente, a função de predicativo do sujeito, uma vez que qualifica o nome “os traficantes que vendem drogas nas escolas”. O pronome relativo “que”, por sua vez, retoma o termo “estudantes”, porém, atua sintaticamente como sujeito do verbo “ter”. Finalmente, a palavra “boas” classifica-se como um adjunto adnominal do substantivo “roupas”, dado possuir natureza ativa e não se encontrar preposicionado, o que impede seu enquadramento como complemento nominal. Resposta correta – Letra A: Portanto, a letra A, por trazer classificações corretas para os termos sublinhados, é o gabarito da questão.


Achou fácais as questões? Ou teve alguma que achou mais difícil ou que não entendeu? Sentiu que está dominando melhor a matéria de predicação verbal e análise sintática do período simples agora? Não deixe de nos avisar nos comentários 🙂 Se houver algum tema que você ache mais complicado e que, por isso, gostaria de ler aqui, conte pra gente nos comentário que iremos elaborar um texto sobre ela!

Deixe seu Comentário

Comentários