/Entenda a sintaxe do Período Composto


Entenda a sintaxe do Período Composto

141

por: Equipe Flávia Rita

Muitos alunos acabam tendo dificuldade em classificar sintaticamente alguns termos na frase por não entenderem a matéria de período composto. Aqui, você irá ver os tipos de orações que podem compor o período, com foco nas orações subordinadas e em suas classificações. Além disso, de modo a garantir uma oportunidade para você treinar, selecionamos e comentamos 11 questões de análise sintática do período simples, as quais tratam, direta ou indiretamente, das matérias aqui abordadas. Vamos dominar de uma vez por toda essa parte essencial da sintaxe e garantir aqueles pontos para sua aprovação!

A matéria análise sintática do período composto é bastante complexo para muitos alunos, pois é necessário possuir boas bases teóricas. Portanto, se quiser se aprofundar mais na matéria, não deixe de conferir o curso online Português Total 2020, ou, se preferir, o curso presencial! Nele, você irá rever toda a matéria de língua portuguesa com foco nas principais bancas organizadoras de concurso público.

O que é um período composto?

Para entender o que é um período composto, é importante esclarecer três conceitos básicos antes:

  • Frase
  • Período
  • Oração

Por frase, entende-se qualquer enunciado que apresente sentido completo. Ou seja, é possível haver uma frase mesmo que não exista verbo no trecho. A isso, chama-se frase nominal. Observe os seguintes exemplos:

 Socorro!

Que coisa mais interessante para os dias de hoje.

 Os dois casos apresentam frases nominais, pois inexiste, em sua composição, qualquer elemento verbal.

Quando, ao contrário, houver ao menos um verbo, será ela classificada como uma frase verbal. Como se vê nos seguintes exemplos:

 PARE!

As coisas que acontecem na vida das pessoas que praticam o bem são justificadas por suas ações.

No primeiro caso, há uma frase composta por uma única palavra, na qual é expressada uma ordem (modo imperativo). No segundo, nota-se um período composto por três orações.

Por sua vez, período corresponde a um enunciado que, constituído por uma ou mais orações, apresenta sentido completo. Nesse caso, poderá ser um período simples ou um período composto.

Por fim, oração equivale ao enunciado construído em torno de um verbo ou de uma locução verbal, embora nem sempre apresente sentido completo.

 Análise do Período Composto e Classificação das Orações

 Para se analisar um período composto, é necessário examinar, antes, as orações que o compõem. Nesse caso, elas poderão ser classificadas de duas formas:

  • Orações Coordenadas
  • Orações subordinadas

Orações Coordenadas

As orações coordenadas são aquelas que independem sintaticamente umas das outras. Semanticamente, contudo, as orações coordenadas estão articuladas entre si.

As orações coordenadas dividem-se em dois grupos:

  • Orações Coordenadas Assindéticas (sem conector) e
  • Orações Coordenadas Sindéticas (com conector).

Atente-se que, embora não haja oração principal nos períodos compostos por coordenação, prevalece a noção semântica da oração introduzida por conector.

São exemplos de orações coordenadas assindéticas e sindéticas:

Ouviu um barulho, levantou-se, não era nada.

Ele trabalhava demais e não progredia.

Todos trabalhavam: ora limpavam, ora sujavam.

O governo é eleito pelo povo, deve, pois, representá-lo.

Orações Subordinadas

As orações serão subordinadas, por sua vez, quando se mostrarem sintaticamente dependentes umas das outras. Nesse caso, desempenharão funções diferentes no período, a depender das relações de sentido que expressarem. Assim, poderão ser classificadas como:

  • Orações subordinadas substantivas, sempre que desempenharem uma função;
  • Orações subordinadas adjetivas, sempre que impuserem uma referência;
  • Orações subordinadas adverbiais sempre que expressarem uma circunstância.
ORAÇÕES SUBORDINADAS
 

ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS

Exercem função sintática na oração principal.
São introduzidas por conjunção integrante (que, se), pronomes indefinidos (quem, qual, quanto, onde, quando, por que, para quê…) ou advérbios interrogativos.
ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS Referem-se a um termo da oração principal (que, quem, cujo, o qual, onde…).
São introduzidas por um pronome relativo.
 

ORAÇÕES SUBORDINDADAS ADVERBIAIS

Exprimem circunstância.
São introduzidas por conjunção subordinativa: causais, consecutivas, condicionais, conformativas, concessivas, comparativas, temporais, proporcionais, modais, finais.

Orações Subordinadas Substantivas

As orações subordinadas substantivas poderão desempenhar diferentes funções sintáticas no período de que fazem parte, o que exigirá do candidato boa análise dos elementos do período. Para aprender mais sobre essa categoria de orações subordinadas, confira nossa aula Orações Substantivas! Você pode assistir também no nosso canal do YouTube clicando AQUI.

DICA: Para classificação de orações substantivas, recomenda-se olhar o que falta na oração principal.

A depender da situação contextual, as orações subordinadas substantivas poderão ser classificadas como:

  • Oração substantiva subjetiva
  • Oração substantiva objetiva direta
  • Oração substantiva objetiva indireta
  • Oração substantiva completiva nominal
  • Oração substantiva apositiva
  • Oração substantiva agente da passiva
  • Oração substantiva predicativa

As orações subordinadas substantivas subjetivas desempenham a função de sujeito da oração principal. Nesse caso, ocorrerá com verbos de ligação, quando seguidos de predicativo; com verbos transitivos diretos ou diretos e indiretos; e com verbos intransitivos.

É importante que você se dedique aos estudos.

Não se espera que isso aconteça.

Convém que ele se explique.

As orações substantivas subordinadas objetiva direta e objetiva indireta funcionam, respectivamente, como objeto direto ou indireto da oração principal. Portanto, acompanharam os verbos de acordo com o complemento necessário, ou seja, as objetivas diretas seguirão os verbos transitivos direto, ao passo que as objetivas indiretas acompanharão os verbos transitivos indiretos. Veja os seguintes exemplos:

Ele não espera que isso aconteça.

Tinha dúvida de que isso fosse verdade.

As orações subordinadas substantivas completiva nominal e apositiva desempenharão as funções de complemento nominal ou de aposto da oração principal. No primeiro caso, será composta por nome e preposição, enquanto no segundo, por sinais de pontuação (vírgula ou dois-pontos).

As orações subordinadas substantivas agente da passiva, por sua vez, serão construídas a partir de uma locução de passiva seguido pela preposição do agente (por, pelo ou de), por exemplo:

A casa foi construída por que moraria nela.

Finalmente, as orações subordinadas substantivas predicativas, como o próprio nome dá a entender, funcionam como predicativo do sujeito, de modo que exige, para sua construção, uma estrutura com sujeito mais verbo de ligação. Por exemplo:

O importante é que você se dedique aos estudos.

Oração Subordinada Adjetiva 

As orações subordinadas adjetivas tem por função estabelecer uma referência com relação aos termos que compõem o período. Nesse sentido, poderão ocorrer de duas formas:

  • Oração subordinada adjetiva explicativa
  • Oração subordinada adjetiva restritiva

As orações subordinadas adjetivas explicativas referem-se a um conjunto unitário ou a uma generalização, o que se realiza a partir do emprego de um pronome relativo precedido de vírgula.

As orações subordinadas adjetivas restritivas, por sua vez, exprimem um sentido de parte de um conjunto maior, o que se faz, também, pelo uso de um pronome relativo, porém, sem emprego de vírgula.

Observa-se, portanto, que o uso do sinal de pontuação poderá provocar alteração de sentido no período, pois a oração adjetiva passará da forma explicativa para a restritiva quando, por exemplo, suprimir-se a vírgula.

Veja os seguintes exemplos:

Meu irmão, que é médico, veio me visitar. Nesse caso, há um conjunto unitário, pois existe um irmão e ele é médico.

Meu irmão que é médico veio me visitar. Aqui, por outro lado, há mais de um irmão, mas apenas aquele que é médico foi visitar.

OBS: No caso das orações adjetivas, a colocação ou supressão de vírgulas implica alteração de sentido, logo, não se trata de uma faculdade.

Oração Subordinada Adverbial 

As orações subordinadas adverbiais, como mencionado, exprimem uma circunstância da oração principal, de modo que serão classificadas tal como os adjuntos adverbiais. Nesse caso, poderão ser, entre outras:

  • Oração subordinada adverbial causal
  • Oração subordinada adverbial consecutiva
  • Oração subordinada adverbial final
  • Oração subordinada adverbial temporal
  • Oração subordinada adverbial condicional
  • Oração subordinada adverbial concessiva
  • Oração subordinada adverbial comparativa
  • Oração subordinada adverbial conformativa
  • Oração subordinada adverbial proporcional

As orações adverbiais causais apresentam uma relação de causa com o acontecimento exposto na oração principal. São, normalmente, introduzidas por conjunções ou por locuções conjuntivas causais, como “porque”, “porquanto”, “visto que”, “uma vez que”, “já que”, “por isso”, entre várias outras. Observe os seguintes exemplos:

Hoje ele não foi à escola porque estava doente.

Como estava calor, ela decidiu ir à praia.

As orações adverbiais consecutivas, ao contrário das causais, trazem a consequência da oração principal. Por isso, são estabelecidas por conjunções ou locuções conjuntivas consecutivas, a exemplo de “de modo que”, “de forma que” e “tamanho… que”.

Não estudou o suficiente, de modo que foi mal na prova.

Ele pratica bastante atividades físicas, de forma que se mostra muito saudável para a idade.

As orações subordinadas adverbiais finais, por usa vez, estabelecem um sentido de finalidade com as ações da oração principal. Por isso, costumam ser iniciadas pelas locuções “a fim de” e “para que”. Por exemplo:

Todos os candidatos se esforçaram para passar na prova.

O médico se dedicou a fim de salvar a vida do paciente.

Com relação às orações adverbiais temporais, como se pode presumir, será estabelecido um sentido temporal com a oração principal, de modo que poderão ser identificadas locuções adverbiais de tempo em sua composição, como “antes que”, “sempre que”, “desde que”, “logo que”.

Sempre que a professora pedia, os alunos estudavam.

Quando ela fala, ele obedece.

As orações adverbiais condicionais apresentam uma condição para a ocorrência da oração principal. Logo, é introduzida pelas locuções conjuntivas ou pelas conjunções “se”, “caso”, “contanto que”, “a não ser que”…

Se ele me pagar, eu irei trazer o que você me pediu.

Caso isso não ocorra, não haverá nada que eu possa fazer.

Acerca das orações adverbiais concessivas, elas irão apresentar uma concessão à ideia principal, o que se fará a partir do emprego de uma conjunção concessiva, como, por exemplo, “embora”, “conquanto”, “apesar de” etc.

Embora ela não concorde, eu já tomei minha decisão.

Apesar de não ter obtido resultado, ele seguiu fazendo o que sempre fez.

Conquanto acredite na palavra dela, não deixarei de desconfiar de suas condutas.

As orações adverbiais comparativas, por seu turno, estabelecem uma comparação com a ideia expressa na oração principal, de modo que será introduzida por locuções conjuntivas como, entre outras, “mais do que”, “menos do que”, “assim como”, que nem”, “tanto quanto”.

Estudar é tão cansativo quanto trabalhar.

Seu irmão age como você sempre agiu.

Ela falou bem como você esperava.

As orações adverbiais conformativas, diferentemente, irão estabelecer um aspecto de conformidade com a oração principal. Para isso, serão introduzidas pelas conjunções “conforme”, “consoante”, “segundo”, como” etc.

Minha mãe cozinha conforme às lições da minha avó.

Meu pai trabalha segundo as regras da empresa.

Por fim, as orações subordinadas adverbiais proporcionais exprimem uma ideia de proporção com a oração principal, construída pelo uso das conjunções “ao passo que”, “quanto mais… mais”, “quanto menos… menos” etc.

À medida que frequentava a academia, ele ficava mais forte.

Quanto mais rico ficava, mais ele gastava.

Questões comentadas de análise do período composto

1) O período é composto por coordenação em:

a) “Existem programas cujo orçamento passa da casa dos dois milhões de dólares”.

b) “Sabe-se que nem sempre a existência de dezenas de candidatos é sinônimo de democracia”.

c) “Expuseram suas propostas em praça pública, contudo o número de votantes foi baixo”.

d) “Os eleitores também conhecem o grande argumento dos candidatos para defendê-los.”

Comentário. A letra A traz uma oração subordinada adjetiva restritiva, construída a partir do emprego do pronome relativo “cujo”. Portanto, não atende o comando da questão. A letra B, por sua vez, apresenta uma oração subordinada substantiva subjetiva introduzida pela conjunção integrante “que”. Resposta correta – Letra C: A assertiva atende o comando da questão, pois o período é composto por uma oração coordenada assindética, seguida de uma oração coordenada sindética adversativa, construída pela conjunção “contudo”. Portanto, a letra C é o gabarito da questão. Por fim, a letra D não tem orações coordenadas entre si, mas, sim, uma oração subordinada adverbial final reduzida de infinitivo – “para defendê-los”.

2) Não está corretamente classificada a oração grifada em:

a) Tive a impressão de estar voando – completiva nominal.

b) Confessava ser culpado – objetiva direta.

c) O único empecilho era que as estradas não tinham acesso fácil. – predicativa

d) Convém que assim seja. – objetiva direta.

Comentário. A letra A está corretamente classificada, pois a oração “de estar voando” acompanha o nome “impressão”, de modo que será classificada como uma oração subordinada substantiva completiva nominal. A letra B também traz classificação adequada, pois o verbo “confessar” é transitivo direto, sendo a oração “ser culpado” subordinada substantiva objetiva direta.  A letra C, ao apresentar verbo de ligação (“era”) seguido de predicativo do sujeito (“que as estradas não tinham acesso fácil”), será classificada como oração subordinada substantiva predicativa nominal. Resposta correta – Letra D: A alternativa não classifica corretamente a oração, uma vez que o verbo “convir” é intransitivo, sendo seguido pelo seu sujeito oracional. Portanto, a classificação correta seria de oração subordinada substantiva subjetiva.

3) Como a questão anterior:

a) Tento esquecer-me de quem se esquece de – objetiva indireta.

b) Falou-se que não era preciso o – objetiva direta.

c) Não importa que a cidade fique – subjetiva.

d) Tento esquecer quem se esquece de – objetiva direta.

Comentário. A letra A apresenta classificação adequada, uma vez que o verbo “esquecer”, quando pronominal, será transitivo indireto, tendo a oração “de quem se esquece de mim” como seu complemento. Resposta correta – Letra B: A letra B é o gabarito da questão, pois o verbo “falar” encontra-se apassivado pelo pronome “se”, de maneira que a oração “que não era preciso o comprovante” exerce a função sintática de sujeito. Portanto, a classificação correta seria de oração subordinada substantiva subjetiva. A letra C acerta na classificação, dado ser o verbo “importar” intransitivo, o que faz com que o trecho “que a cidade fique vazia” exerça a função de sujeito oracional. A letra D, por fim, também se mostra correta, ao apresentar oração subordinada substantiva objetiva direta, correspondente a “quem se esquece de mim”. Não se trata de oração objetiva indireta, pois, como dito, o verbo “esquecer” não é pronominal no trecho, de modo que dispensará a preposição em seu complemento.

4) “Os investigadores descobriram uma sucessão de golpes que sangraram a Previdência em bilhões de cruzeiros, num ambiente onde estariam atuando trinta quadrilhas diferentes.” As orações sublinhadas, no período acima, são:

a) subordinadas substantivas

b) subordinadas adjetivas

c) subordinadas adverbiais

d) coordenadas assindéticas.

Comentário. As orações sublinhadas são introduzidas, respectivamente, pelos pronomes relativos “que” e “onde” e qualificam os nomes antecedentes “golpes” e “ambiente”. Com isso, devem ser classificadas como orações subordinadas adjetivas restritivas, já que não são separadas por vírgulas. Resposta correta – Letra B: A assertiva é o gabarito da questão, pois apresenta a classificação correta dos trechos sublinhados no enunciado.

5) Classifique as orações grifadas, de acordo com a tabela abaixo:

(A) Concessiva

(B) Condicional

(C) Consecutiva

( ) Você nada fará, sem que o deixemos.

( ) Por mais que depressa ande não chegará a tempo.

( ) Era tal sua calma, que nada o atormentava.

( ) Caso ainda não disse, faça-o agora.

( ) Desde que deixassem, conseguia terminar o serviço a tempo.

A sequência encontrada é:

a) B, B, C, A,

b) B, A, C, B, B.

c) B, A, C, B,

d) A, B, C, A, B.

Comentário. No item I, o trecho destacado classifica-se como uma oração condicional, dado estabelecer uma condição para a conduta do interlocutor. No item II, observa-se destacada uma oração concessiva, pois a preposição “por” estabelece ideia semelhante à “embora” ou “apesar de”. No item III, há uma ideia de consequência, uma vez que exprime o resultado do comportamento calmo. No item IV, tal como em I, tem-se uma condição para o agir do interlocutor. Por fim, no item V, percebe-se também uma relação condicional estabelecida no trecho destacado, em razão do emprego da locução “desde que”. Resposta correta – Letra B: Portanto, sendo preenchidos os itens com as letras B, A, C, B e B, correta a alternativa B, por corresponder à sequência de respostas dada.

6) “O eclipse foi mais espetacular que outros prometidos fenômenos espaciais como a frustrada passagem do cometa Halley, que acabou sendo um chumaço embaçado em meio às estrelas”

A classificação das orações sublinhadas foi feita corretamente, respectivamente, em:

a) subordinada adjetiva – subordinada

b) subordinada adverbial – subordinada

c) coordenada explicativa – subordinada

d) subordinada substantiva – principal

Comentário. A oração “O eclipse foi mais espetacular que outros prometidos fenômenos espaciais como a frustrada passagem do cometa Halley” classifica-se como oração subordinada adverbial comparativa, pois estabelece uma comparação entre os dois eventos – “o eclipse” e “outros prometidos fenômenos espaciais”. Já a oração “que acabou sendo um chumaço embaçado em meio às estrelas” é introduzida por um pronome relativo anteposto de vírgula, de maneira que é classificada como uma oração subordinada adjetiva explicativa. Resposta correta – Letra B: Assim, por apresentar a classificação adequada das orações, a letra B é o gabarito da questão.  

7) “Ao acordar pela manhã, notou que os amigos haviam ido embora”. No período, a 1ª e 3ª orações são, respectivamente:

a) subordinada substantiva e subordinada

b) subordinada substantiva e

c) principal e subordinada

d) subordinada adverbial e subordinada

Comentário. O trecho é composto por três orações, sendo a primeira classificada como uma oração subordinada adverbial temporal, uma vez que a locução “ao + verbo no infinitivo” exprime a ideia de tempo; a segunda, considerada a oração principal do trecho; e a terceira, iniciada pela conjunção integrante “que”, por completar o sentido do verbo “notar”, é classificada como oração subordinada substantiva objetiva direta. Resposta correta – Letra D: Assim, por trazer a identificação adequada, respectivamente, da primeira e da terceira oração, a letra D é o gabarito da questão.

8) “Eu examinei uma paciente que apresentava a pele toda enrugada em decorrência da exposição ao sol durante um longo tempo”. No período acima, encontramos oração:

a) subordinada

b) subordinada

c) subordinada

d) coordenada sindética.

Comentário. O trecho da questão apresenta duas orações. A primeira – “Eu examinei uma paciente” – corresponde à oração principal do período, ao passo que a segunda – que apresentava a pele toda enrugada em decorrência da exposição ao sol durante um longo tempo” – classifica-se como uma oração subordinada adjetiva restritiva, iniciada pelo pronome relativo “que”. Resposta correta – Letra B: A assertiva está correta por trazer classificação adequada à segunda oração do enunciado da questão.

9) (ADAPTADA) No trecho “Ele tem experiência de mato e de cidade, sabe explorar os mundos, as horas“, o segmento em destaque pode ser classificado sintaticamente como uma oração:

a) coordenada assindética

b) coordenada sindética aditiva

c) coordenada sindética alternativa

d) coordenada sindética conclusiva

e) coordenada sindética explicativa

Comentário. Resposta correta – Letra A: A assertiva está correta, pois o trecho destacado não apresenta qualquer conector entre seus termos, de modo que se caracteriza como oração coordenada assindética. As demais alternativas, ao considerarem presente um “síndeto” (conectivo), incorrem em erro e, por isso, não podem ser o gabarito da questão.

10) (ADAPTADA) Dentre as alternativas a seguir, a que apresenta valor concessivo está em:

a) visto que causa danos irreversíveis ao meio ambiente

b) uma vez que traz a ideia de que a assim chamada civilização destrói a diversidade cultural

c) Contudo, há motivo para inquietação

d) Portanto, é absurdo tentar distingui-las

e) embora tenha sempre se preocupado em só falar como antropólogo

Comentário. A letra A apresenta uma oração introduzida pela conjunção subordinativa causal “visto que”. A letra B traz também uma ideia de causalidade, ao introduzir o período pela locução conjuntiva “uma vez que”. A letra C, por sua vez, é construída a partir do uso da conjunção coordenativa adversativa contudo, que exprime sentido de oposição. A letra D, ao empregar a conjunção coordenativa “portanto”, estabelece uma ideia de conclusão ao período. Resposta correta – Letra E: A assertiva é a única que traz valor concessivo, pois se emprega a conjunção subordinativa concessiva “embora”, o que atende ao enunciado.

11) (ADAPTADA) No trecho “A inscrição dessas duas mulheres no Panteão da Pátria não é apenas um reconhecimento das figuras históricas, mas significa uma pequena ruptura na historiografia com viés colonial […].”, as duas orações que compõem o fragmento apresentam uma relação semântica de

a) adição.

b) concessão.

c) conformidade.

d) explicação.

e) oposição.

Comentário. Resposta correta – Letra A: O trecho é articulado a partir de uma locução conjuntiva composta pelos termos “não é apenas… mas”. Embora a conjunção adversativa componha a construção desse conector, ela não impõe o sentido de oposição. Ao contrário, ela estabelece uma ideia de adição ao negar a negação anterior. Portanto, correta, a letra A por identificar a relação semântica presente na frase.


Acertou todas as questões? Teve alguma que achou mais difícil ou que não entendeu? Está dominando toda a matéria de período composto agora? Não deixe de nos avisar nos comentários 🙂 Além disso, se houver alguma matéria que você ache mais complicada e que gostaria de ler por aqui, conte pra gente nos comentário que iremos elaborar um texto sobre ela!

Deixe seu Comentário

Comentários