/10 temas de redação consulplan!


10 temas de redação consulplan!

por: Equipe Flávia Rita

Treinando muita redação Consulplan? Para ajudar separamos 10 temas que foram organizados pela banca para ajudar você. Vamos lá?

Tema 1

CMBH – Coordenador de Processo Legislativo

A administração pública brasileira é pautada por princípios expressos no Art. 37 da Constituição Federal de 1988. Tais princípios norteiam e fundamentam todo o ordenamento jurídico pertinente ao funcionamento e atuação da Câmara Municipal de Belo Horizonte. Disserte abordando os cinco princípios constitucionais expressos da Administração Pública, conforme Art. 37 da CF/88, argumentando de forma coerente a correlação de cada princípio com um respectivo exemplo de sua aplicação no âmbito do funcionamento e atuação da Câmara Municipal de Belo Horizonte. Atenha-se a exemplos extraídos dos conhecimentos específicos exigidos no edital.

Tema 2

AJAA – TRE- RJ

Questão 01

Considerando o disposto na Lei nº 9.504/1997, analise o caso descrito a seguir posicionando-se claramente quanto ao embasamento legal dos argumentos utilizados pelo advogado contratado pelo pretenso candidato à Presidência da República. “Antônio Pedro, homem de boas intenções, semianalfabeto e razoável poder aquisitivo, cansado de efetuar consideráveis doações a candidatos que, segundo ele, não cumprem com as promessas feitas em época de campanha eleitoral, decide se candidatar à Presidência da República. Considerando que as próximas eleições ocorrerão a exatamente 12 meses e desejoso de fazer tudo dentro da lei, contrata Tarcísio, advogado indicado por um conhecido amigo vereador do mesmo partido ao qual é filiado, pois deseja, desde já, iniciar sua campanha eleitoral com divulgação de sua candidatura em rádio e demais veículos de propaganda. Tarcísio, agora advogado do Sr. Antônio Pedro, aconselha o futuro candidato a iniciar, imediatamente, a divulgação de sua pretensa candidatura, podendo inclusive pedir votos, explicitamente, em rádio e/ou televisão, mesmo antes da aprovação de seu nome pelo Partido Político, desde que não utilize recursos de terceiros para os devidos pagamentos, pois propagandas eleitorais são permitidas a partir do dia 15 de agosto do ano anterior ao ano de realização das eleições.”

Questão 02

Leia atentamente a conversa entre pai e filho a respeito das eleições no Brasil. “Preocupado com a responsabilidade de seu voto, Pedro, agora com 18 anos, pergunta ao seu pai, João Bosco, como funcionam as eleições para Deputados e Senadores no Brasil. João Bosco: – Filho, lendo a Constituição Federal, descobri que a Câmara dos Deputados compõe-se de representantes do povo, por isso, no Brasil, adota-se o sistema proporcional, em cada Estado, em cada Território e no Distrito Federal. Já o Senado Federal compõe-se de representantes dos Estados e do Distrito Federal, por isso adota-se o princípio majoritário. Pedro: – Pai, o que é Sistema Proporcional e o que é Princípio Majoritário? Rafaela e Lorenzo, amigos da família, que ouviam a conversa e acabaram de ser aprovados em concurso público para o Tribunal Regional Eleitoral, se dispuseram a sanar as dúvidas de Pedro.” Considerando a situação hipotética, posicione-se como os amigos da família presentes à discussão e redija um texto de forma a sanar, minimamente e corretamente, as dúvidas do cidadão Pedro. Esclarecendo, inclusive o que é Quociente Eleitoral e Quociente Partidário.

Tema 3

AJAA – TRF 2

Artigo 19º Todo o indivíduo tem direito a liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e ideias por qualquer meio de expressão. (Artigo 19º da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Disponível em: http://www.ohchr.org/EN/UDHR/Documents/UDHR_Translations/por.pdf. Acesso em janeiro de 2017.)

O limite da liberdade de expressão Conquistamos com dificuldade a liberdade de expressão. Ela é um direito constitucional e um esteio do pacto social. A própria lei já estabelece limites: não posso defender ou incitar crime. Não posso, em nome da liberdade de expressão, defender racismo ou violência contra mulheres ou pedofilia. A liberdade é ampla, mas não absoluta. (KARNAL, Leandro. Disponível em: http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/253780/Karnal-o-limite-da-liberdade-de-express%C3%A3o.htm. Acesso em janeiro de 2017. Fragmento.)

Trump contra a imprensa “Estou em guerra contra a imprensa”, declarou no sábado o presidente Donald Trump. Na segunda-feira, confirmando o confronto com os meios de comunicação, quase todos “desonestos” na opinião do sucessor de Barack Obama, e deixando clara a atitude autoritária com que a nova administração pretende conduzir o relacionamento com os jornalistas, o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, foi categórico a respeito das divergências sobre o tamanho dos públicos que compareceram à posse de Trump e à de seu antecessor, em 2009: ‘Este (o de Trump) foi o maior público que testemunhou uma posse. Ponto’. Como em uma guerra normalmente há um vencedor e um derrotado, tem-se que Donald Trump estaria empenhado em prestar à maior democracia do mundo o desserviço de impor à imprensa – e por extensão à liberdade de informação e expressão – uma fragorosa derrota. A medida da desimportância que Trump atribui à liberdade de imprensa – um dos esteios da democracia norte-americana – é revelada pelo fato de, entre as bravatas, exageros populistas, promessas grandiosas e defesa emotiva dos ‘valores’ culturais do país contidos em seu discurso de posse, não tenha sobrado espaço para uma simples menção, mesmo crítica, ao papel da imprensa. (Disponível em: http://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,trump-contra-a-imprensa,70001638875. 24 de janeiro de 2017. Fragmento.)

De acordo com os textos motivadores anteriores, redija um texto dissertativo acerca da temática: “A liberdade de expressão como um direito fundamental”

Tema 4

Câmara Municipal de Nova Friburgo/RJ – Auditor de Controle Interno

Fim da democracia na Venezuela Maduro elimina de forma sistemática a oposição e toma povo como refém. Comunidade internacional deve ajudar venezuelanos, mas agir com dureza contra o regime, opina a chefe do Departamento América Latina, Uta Thofern.

Venezuela: dezenas de milhar nas ruas para pedir mais democracia

Com base nos textos motivadores, redija um texto dissertativo-argumentativo acerca do tema: “O regime democrático e a ‘consciência política’, dois elementos fundamentais para a construção de sociedades justas e igualitárias.”

Tema 5

Conselho Federal de Nutricionista – Administrador

TEXTO I: O bicho Vi ontem um bicho Na imundície do pátio Catando comida entre os detritos. Quando achava alguma coisa, Não examinava nem cheirava: Engolia com voracidade. O bicho não era um cão, Não era um gato, Não era um rato. O bicho, meu Deus, era um homem. (Manuel Bandeira – Rio, 27 de dezembro de 1947)  

Apetite sem esperança Mãe eu tô morrendo de fome eu dizia eu gritava eu mugia minha vó zangada respondia você não está morrendo e nem tem fome Você tem é apetite Você sabe que vai comer, aonde comer, o quê vai comer. Fome não! A fome, minha neta, a fome, meu irmão, a fome, minha criança, é um apetite sem esperança. (Elisa Lucinda. In.: O Semelhante. Escrito especialmente para a Campanha Ação da Cidadania Contra a Miséria e Pela Vida/Betinho/93. Encenado pela Cia. Teatral do Movimento sob a direção de Ana Kfouri – fragmento).

O futuro da comida Somos 6,7 bilhões de habitantes que comemos os vegetais de um quarto das terras do planeta e a carne de um terço do mundo. Em 2050 poderemos chegar a 15 bilhões de pessoas (seremos no mínimo 10 bilhões). Mas a quantidade de terras é finita. Então, onde espalhar as pessoas e as fazendas para a produção de comida? Como alimentar uma superpopulação sem destruir o mundo? O cenário atual já é arrasador. A utilização da água dobrou desde os anos 60, e 70% do seu uso se destina à agricultura. No ritmo atual de pesca, dentro de 40 anos todas as espécies comerciais de peixe vão desaparecer. O aquecimento global e a devastação dos ecossistemas já mostraram que é insustentável toda essa produção e consumo de alimentos. A comida causa desequilíbrio ao planeta. Precisamos rever nossa relação com os alimentos. O ser humano come de três maneiras diferentes. A primeira é a que se preocupa apenas com a condição de ser vivo — vem dos alimentos o sustento e o prazer. Por isso a produção cara e delicada do caviar, do vinho (que pede esforço e demora anos até ficar pronto) ou do foie gras. Comer é essencial e é um prazer. A segunda maneira é alimentar-se procurando o que faz bem ao organismo. Cardápios equilibrados, alimentos saudáveis, compostos e vitaminas. Isso é comer 

funcionalmente, cuidando para que o que chegue ao corpo seja bom. Durante muito tempo escolhemos entre essas duas formas. Mas, agora, existe uma novidade que pode nos salvar: é tornar a ação de comer algo cidadão. É comer tentando, de alguma forma, aliviar a pressão humana sobre o planeta, agindo, individualmente, em favor da sociedade. Praticamente isso quer dizer comer alimentos locais, que não gastam tanto combustível e recursos naturais e geram riquezas ao redor da região de produção. É saber de onde vem sua comida, como ela é criada. Um dos grandes problemas alimentares de hoje é que os homens estão desconectados da natureza e, por consequência, da comida. A reeducação é necessária. Nos moldes em que estamos hoje, o resultado será catastrófico. (Alex Atala – Revista Galileu abril/2010 – fragmento)

Com base na leitura dos textos motivadores, redija um texto dissertativo-argumentativo sobre o seguinte tema: “Combate à fome: uma questão atemporal de sobrevivência”.

Tema 6

CODERN – Administrador

Isso também pode lhe interessar:
  Consulplan: aprenda a fazer uma boa redação!

Texto I

Um ciclo do mal […] Assistimos, de um lado, à morte de centenas de pessoas por armas químicas na Síria e, de outro, o experimento do exoesqueleto de Miguel Nicolelis e seu projeto Walk Again, que talvez possibilite a uma pessoa com deficiência controlar sua prótese por neurochips traduzidos em sinais elétricos cerebrais. Mais uma vez abordamos a questão dos benefícios das tecnociências versus o perigo que esses avanços podem oferecer quando mal empregados – o que parece ocorrer com mais frequência. Podemos dizer, diante dos fatos, que o saldo é positivo? (Thomaz Wood Jr., Carta Capital, 21/04/2013. Disponível em: http://www.cartacapital.com.br/author/twood/.)

Texto II

Valores e atividade tecnocientífica Tecnociências e descontrole tecnológico serão alguns dos temas abordados por Hugh Lacey, um dos filósofos mais renomados nesse imbricado campo de atuação filosófica. FILOSOFIA: Num mundo cada vez mais tecnicizado, como poderemos garantir a manutenção dos valores que acreditamos serem os mais significativos e importantes de nossa humanidade? Lacey: Não poderemos garantir o fortalecimento ou a manutenção dos valores da justiça social, sustentabilidade, bem-estar de todos e democracia participativa. As tendências socioeconômicas atuais, enraizadas profundamente em instituições poderosas, enfraquecem a manifestação desses valores; e a Ciência, conduzida como tecnociência, que serve aos interesses ligados ao capital e ao mercado, contribui para fortalecer essas tendências. A Ciência poderia ser conduzida de uma maneira diferente, em que visaria à geração do conhecimento e que serviria a projetos que incorporam os valores já mencionados, e assim contribuiria no sentido de introduzir condições nas quais tais valores pudessem ser fortalecidos. Mas a Ciência não pode ser conduzida de outra maneira sem um processo de transformação que envolveria colaboração com uma multiplicidade de agentes, movimentos e instituições. Embora tal processo não garanta que os valores da justiça social (e os outros) sejam mantidos, ainda assim contribuiria para nutrir a aspiração de que uma transformação social é possível, gerando arranjos em que estes valores seriam incorporados mais adequadamente. (Disponível em: http://filosofiacienciaevida.uol.com.br/ESFI/Edicoes/89/valores-e-atividade-tecnocientifica-tecnociencias-e-descontroletecnologico-serao-302328-1.asp. Adaptado.)

Com base nos textos motivadores, produza um texto dissertativo-argumentativo tendo como tema: “Efeitos do avanço tecnológico na sociedade: o limite entre os perigos e benefícios”.  

Tema 7

MAPA –  Agente de Atividade Agropecuária

Êxodo rural. Aqui e agora Colônia Miranda é um núcleo rural no planalto gaúcho, próximo à cidade de Coxilha, a 327 quilômetros de Porto Alegre. Em torno da igreja e do centro comunitário agrupam-se pequenos produtores de soja. Dali, onde também está localizada a Escola Municipal de Ensino Fundamental Colônia Miranda, é possível avistar grandes silos metálicos que refletem o Sol e estão cercados por muitos hectares de plantação. Todos pertencem a um único proprietário, que vem comprando terras dos pequenos agricultores. Com capacidade de armazenar a produção por mais tempo, o fazendeiro só desova seu estoque no fim do ano, quando o preço do cereal dobra. Os que não têm essa possibilidade são obrigados a vender no início da safra, por metade do valor. Por isso, a Colônia Miranda vem minguando. Em três anos, o número de alunos da escola caiu de 92 para 45. “Nesse ritmo, corremos o risco de fechar”, diz o diretor André Ghelen, preocupado. (Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/.)

 

Texto III

Em Santa Catarina, agroturismo ajuda a frear o êxodo rural Com a intenção de valorizar o modo de vida no campo e, consequentemente, reduzir o êxodo rural em Santa Catarina, a engenheira agrônoma Thaise Guzzatti, de 37 anos, fundou a associação de agroturismo ecológico Acolhida na Colônia, em 1999. Hoje, são 180 famílias de agricultores associadas, que recebem os turistas em suas propriedades, compartilhando seu modo de vida, sua rotina de trabalho e a cultura local. “Nós promovemos a agricultura familiar, com a manutenção do homem no campo e geração de renda alternativa”, diz Lucilene Assing, de 28, engenheira agrônoma e técnica da Associação. “Um dos princípios da Acolhida é o respeito à natureza, com incentivo à produção orgânica, à preservação das águas e à reciclagem do lixo.” (Disponível em: http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,em-santa-catarina-agroturismo-ajuda-a-frear-o-exodo-rural,1062023,0.htm.)

Sabe-se que o Brasil presenciou alguns períodos de êxodo rural sendo o maior deles entre as décadas de 60 e 80, em que pessoas abandonaram o campo e foram em direção à urbanização. Efeitos negativos puderam ser percebidos, entre eles, o inchaço das cidades e as condições inadequadas de vida. Na atualidade, diante da importância e necessidade de valorização do campo, ações têm sido planejadas e aplicadas. Considerando o os textos anteriores como motivadores, redija um texto dissertativo-argumentativo, posicionando-se acerca do seguinte tema: “Valorização do trabalho no campo: uma prática necessária diante da atual realidade”.

Tema 8

MAPA – Bibliotecário

Isso também pode lhe interessar:
  Por que é importante praticar redação?

Ao supor acerca de serviços de referência, pensa‐se em um lugar físico, em geral um espaço onde pessoas são acolhidas por um serviço especializado para receber informações. Esse serviço pode ser concedido em um espaço da biblioteca, no serviço de documentação, no arquivo, no lugar de um serviço à distância, ou em conjunto com ele.   Serviço de referência, portanto, trata‐se de um serviço de assistência pessoal fornecido por um bibliotecário ao leitor (cliente) que busca informações, de maneira satisfatória. Neste serviço, se incluem respostas às perguntas substanciais, capacitação do usuário na utilização das ferramentas apropriadas e das técnicas de recuperação da informação, na presença do usuário ou, em seu lugar, instrução do usuário quanto aos recursos existentes na biblioteca ou fora dela, ajudando na avaliação da informação e no levantamento de estatísticas e participação no desenvolvimento das coleções de obras de referência. O objetivo principal do serviço de referência é auxiliar e orientar o usuário (cliente) na busca da informação pertinente, de forma rápida, adequada e especializada. Já o serviço de referência virtual refere‐se a um prolongamento do serviço de referência presencial, podendo ser considerado como um serviço a parte, sendo visto como um meio de aliviar a frequência ao serviço presencial. Esses serviços dificilmente são comparáveis, pois, ao utilizar meios equivalentes para pesquisa da informação, os métodos de trabalho, a organização e os públicos são diferentes, sendo o serviço online possuidor de um público mais volátil, com menor regularidade, diferente do presencial que mantém um público regular. (Accart, Jean‐Philippe. Serviço de referência do presencial ao virtual. Brasília: Briquet Lemos, 2012. p. 312. Adaptado.)

Disserte sobre o que é serviço de referência virtual e quais são os elementos básicos para definição de um serviço desta modalidade.

Tema 9

Técnico TRF 2

Polícia de SP prende dois homens que mataram ambulante no metrô A polícia de São Paulo prendeu os dois homens que espancaram até a morte um ambulante, dentro de uma estação do metrô, no dia de Natal. A prisão dos responsáveis pela morte do ambulante Luiz Carlos Ruas, o Índio, levou uma multidão revoltada à delegacia que apura crimes dentro do metrô. A passagem deles provocou tumulto. A polícia reagiu. Ricardo Martins do Nascimento foi preso na noite desta terça-feira (27), em Itupeva, no interior de São Paulo, e levado para a capital. Na chegada, quase foi agredido. Ele falou sobre o crime. “Cara, a gente estava alterado. Cachaça… Não justifica, não. O certo é a gente pagar”, diz Ricardo. Ricardo e o primo, Alípio Rogério dos Santos, aparecem nas imagens das câmeras do metrô espancando até a morte o ambulante conhecido como Índio. Ele tentou defender dois homossexuais, também agredidos pelos dois rapazes. […] (Disponível em: http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2016/12/policia-de-sp-prende-dois-homens-que-mataram-ambulante-no-metro.html/. Acesso em: 28/12/2016.)

Em entrevista à BBC Brasil, Dunker – psicanalista, professor e escritor –, que ganhou o Prêmio Jabuti por sua obra sobre psicologia, psicanálise e comportamento, classifica o ato do ambulante como uma “transgressão ao nosso modo muito covarde de existir”. A seguir um trecho da entrevista: BBC Brasil: Nesse contexto de banalização da violência, como se destaca o modo de agir de Índio, que, segundos as testemunhas, tentou conversar com os jovens e não agredi-los?

Dunker: O verdadeiro ato de combate à violência foi o de Índio que, sozinho, em desvantagem, quis usar a palavra. É o que está faltando e é o que a gente, mesmo num episódio como esse, não consegue valorizar. Qual é a “arma” que o Índio tinha? A palavra. Ele foi falar com as pessoas. Ele podia ter algum instrumento de ameaça, mas não o usou. A gente desaprendeu a potência simbólica, mediadora, da palavra, porque é só lei contra lei, força contra força, e aí a violência vai se banalizando na mesma medida em que vai se silenciando. Diante do violento, a gente não fala, não negocia mais com a palavra. (Disponível em: http://www.bbc.com/portuguese/brasil-38471102. Acesso em: janeiro /2017.)

Quando o efeito espectador propicia que um crime ocorra, a situação fica mais complexa. Uma frase atribuída ao alemão Albert Einstein diz: “O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer”, assim, se um criminoso pode ser definido como uma pessoa com problemas psicológicos, uma pessoa com desprezo pelas leis e pela moral, uma pessoa com desprezo pela vida humana e pelo ser humano, o que dizer daquele que assiste um crime ser cometido e nada faz para impedir? O que uma pessoa que assiste um crime brutal quieta é? (Nathalia Dammenhain Barutti, advogada, pós graduada em direito constitucional pela PUC-SP.

Disponível em: http://justificando.cartacapital.com.br/2017/01/03/paralisia-coletiva-e-o-efeito-espectador-o-caso-genovese-e-o-caso-ruas/.)

De acordo com os textos motivadores anteriores, redija um texto dissertativo acerca da temática: “A solidariedade em uma sociedade individualista e injusta”.

Tema 10

AJAOJ – TRF 2

“Após sério acidente de trânsito que envolve viatura da Polícia Militar do Estado X, em que há perda total do veículo, verifica-se a culpa concorrente entre o Agente da Polícia Militar que dirigia a viatura, que além de circular à noite com faróis apagados, guiava o veículo imprudentemente, e de José, que dirigia em alta velocidade e realizava ultrapassagens irregulares. Proposta ação de ressarcimento pelo Estado vinte anos após o ocorrido, tanto José quanto o Agente Policial Militar suscitam a prescrição da pretensão de ressarcimento.” Sobre o caso, comente se é passível de prescrição a pretensão de ressarcimento com relação ao Policial Militar e, ainda, se é passível de prescrição a pretensão de ressarcimento com relação a José.

Agora, é só escolher um tema de redação consulplan e começar a treinar. Aproveite, para conhecer mais sobre o perfil da banca!

Confira o e-book com 100 questões comentadas de português!

Qual concurso você está se preparando? Envie o seu comentário para a gente!

 

 

 

Deixe seu Comentário

Comentários