fbpx

A nível de, ao nível de, em nível de…

Equipe Flávia Rita

A nível de, ao nível de, em nível de…_

“A nível de uso”, a Língua Portuguesa se mostra bastante mutável, certo? Embora a afirmação esteja correta no conteúdo, gramaticalmente ela acaba reproduzindo um modismo bastante criticado pelos estudiosos. Responsável por muitas dúvidas, a expressão “a nível de” vem se mostrando bastante presente na língua oral, sendo possível encontrá-la, hoje, em diversos textos. Mas afinal, qual a forma correta? Vamos entender agora!

A nível de…

Quem nunca se deparou com uma reportagem  trazendo uma mensagem como: “os preços seguem subindo a nível de atacado“.

É bastante comum, no nosso dia a dia, escutarmos a famigerada expressão “a nível de“. Essa locução, normalmente, empregada para exprimir ideia de relação, equivale às formas “em relação a”, “no que concerne a”, “quanto a”, dentre tantas outras.

Todavia, a despeito de seu conteúdo, o que muitos de nós ignoramos é que essa locução não é acolhida pelos dicionaristas e estudantes da Língua em geral, sendo, na verdade, bastante censurada.

Isso acontece porque a forma “a nível de” é considerada pelos gramáticos como um elemento desnecessário ou inútil à frase. Por essa razão, pode ela, para não dizer deve, sempre ser suprimida, uma vez que disso não decorre qualquer prejuízo ao sentido da ideia.

Veja a frase acima, por exemplo: Os preços seguem subindo a nível de atacado. Ela poderia muito bem ser reescrita como: “Os preços seguem subindo no atacado”.

Observe que, no caso da reescrita, não só a locução é retirada, como a sua supressão melhora a clareza do trecho, pois diminui o número de elementos frasais.

Essa mesma lição vale para a forma “a nível” (sem a preposição), expressão mais responsável por poluir a oração com elementos sintáticos desnecessários do que por construir uma estrutura realmente coesiva. Confira:

Conferência a nível internacional = Conferência internacional

Comércio a nível regional = Comércio regional

Pesquisa a nível estadual = Pesquisa estadual

Mas e quando falamos dos casos “ao nível de” e “em nível de”? Vejamos!

A nível de ou ao nível de?

Diferentemente da locução “a nível de”, a forma “ao nível de” é dicionarizada e aceita pelos gramáticos. Segundo o professor Domingos Paschoal, seria ela a legítima locução portuguesa, cujo sentido equivaleria a “à mesma altura”, “ao mesmo nível de”, “no nível de”, “no mesmo plano de” etc. Ou seja, ela possuiria um significado bem mais preciso, sendo, por isso, seu uso mais limitado a certos contextos. Por exemplo:

“As crianças pequenas, com a boca escondida pela mesa e os olhos ao nível desta, acompanhavam a distribuição com muda intensidade.” (Clarice Lispector, conto “Feliz aniversário”).

Marcos, colega de Luiza no ensino médio, jamais estará ao nível de minha filha.

Roubo é um crime que está ao mesmo nível da corrupção. 

O Rio de Janeiro é uma cidade litorânea, portanto, encontra-se ao nível do mar.   

Com a internet, os pequenos jornalistas estão ao nível dos grandes. 

A nível de ou em nível de?

Outro caso também aceito pela norma culta é o da locução “em nível de”. Conforme nos ensina o professor Evanildo Bechara, a expressão indica uma “esfera de ação ou pensamento”, de maneira que poderá ser substituida pelas formas “diz respeito a”, “em relação a”, ” no que pertence a” etc.

Veja que, aqui, também há uma limitação do sentido, o que restringe as possibilidades de uso da expressão. Confira os seguintes exemplos:

O problema do fisco foi resolvido em nível de governo estadual. 

Você não deve lidar com esses problemas apenas no nível da intuição. 

No nível da narrativa, o roteirista não necessitava mais trabalhar.

Vamos treinar para fixar!

Complicado? Tenho certeza que não! Para evitar quaisquer dúvidas, vamos ver uma questão do concurso da UFOP, realizado em 2016. Nela, temos sintetizados os diferentes tipos de expressões, separadas conforme o sentido pretendido. Vejamos, então, como usar corretamente a expressão em diferentes contextos:

Questão (UFOP, 2016). Leia atentamente o sétimo parágrafo do texto.

Lembram-se da época em que todos usavam a expressão “a nível de”? Servia para qualquer coisa, como ouvi um entrevistado afirmar que, “a nível de ração para porcos, o melhor seria…” . Felizmente, essa mania passou, o que me faz crer que a língua termina por excluir de si as excrescências que nela se introduzem. Mas parece que nem sempre, porque, às vezes, o mau uso se generaliza e até mesmo se oficializa.

Considerando que a expressão mencionada no excerto por si não está errada, mas o seu uso precisa estar alinhado ao contexto, assinale a alternativa em que se verifica esse alinhamento e também o comprometimento com as normas gramaticais.

A) Não posso dizer que quem comete desvios gramaticais não está a nível de exercer um cargo jornalístico, mas que é necessário a devida cautela no que diz respeito às consequências destes desvios.

B) Hoje, os pequenos jornais estão ao nível dos de grande circulação nacional, ainda que se questionem a elegância e o trato com que se dirigem aos seus leitores.

C) O conhecimento do idioma ainda é um problema a nível nacional, embora as condições de aquisição de suas normas seja mais acessível em termos tecnológicos.

D) Os meios de comunicação também poderia se tornar veículos de aprendizagem em nível de divulgação do idioma nacional, ajudando a preservar a essência da língua materna.

Gabarito: letra B.

Alguma dúvida?

O qua achou? Simples, não é mesmo? Se ainda ficou alguma dúvida depois dessa explicação, você pode nos contar nos comentários! Além disso, caso você queira ver mais conteúdo de português sobre regência verbal, dicas de redação (introdução desenvolvimento), pontuação ou de escrita jurídica, confira nossos outros textos!

Precisa aprender português para o ambiente corporativo?

Então você estava escrevendo um texto e ficou em dúvida quanto a regência de uma palavra? Ou quando ao uso da vírgula? Bom, se você está começando uma carreira corporativa, com certeza já percebeu que o domínio da Lingua Portuguesa pode ser um diferencial no seu dia a dia, certo? Portanto, não atrase mais sua qualificação e seu futuro na empresa!

A professora Flávia Rita Coutinho Sarmento, referência na disciplina de Língua Portuguesa, oferece um curso específico de português para o ambiente corporativo. Ministrado na forma on-line, você poderá estudar de acordo com o seu tempo e com a sua disponibilidade.

Quer conhecer mais? Então confira uma de nossas aulas agora mesmo e conheça nossa metodologia!

Você pode assistir também diretamente do nosso canal do YouTube clicando AQUI.

O curso on-line português corporativo/empresarial tem foco nas questões práticas da Língua, conforme as dúvidas que surgem no dia a dia, de forma que você irá obter resultados rápidos e perceptíveis em pouco tempo. Assim, não há dúvida de que um bom domínio do português será um diferencial em sua carreira e em sua melhor colocação no mercado de trabalho. Aproveite a oportunidade para incrementar o seu currículo e aprender português sem dificuldade. No curso, você terá acesso a um conteúdo teórico e a uma parte prática, além de ter material de apoio em PDF. O objetivo é que você treine exatamente aquilo que precisará para o seu trabalho.

Clique aqui para conhecer o curso on-line português corporativo/empresarial.

Sobre o assunto português corporativo, não deixe de conferir:

Assim, caso ainda tenha interesse em outros cursos de Língua Portuguesa, não deixe de entrar em contato conosco pelos telefones

Se você ainda tem algum assunto que gostaria de ler por aqui, deixe sua sugestão na seção de comentários.

Deixe seu Comentário

Comentários

CONTINUE LENDO