fbpx

Cacofonia – conceito, origem e exercícios

Equipe Flávia Rita

Um dos vícios mais comuns na língua oral é a famosa cacofonia. Resultado da junção de sons silábicos, esse vício pode produzir sentidos indesejados no texto. Vamos entender aqui em que consiste especificamente esse vício e como podemos evitá-lo. Ao final, separamos algumas questões para que você possa treinar um pouco do conteúdo e ver como as bancas costumam cobrá-lo em provas objetivas.

A cacofonia é um desvio linguístico estudado no conteúdo de vícios de linguagem, o qual é visto, normalmente, nas aulas de interpretação de texto. Como interpretação de texto é um conteúdo certo de aparecer na quase totalidade dos concursos públicos, montamos um curso específico para os alunos que necessitam melhorar seus conhecimentos de interpretação de texto para concursos público e, mais do que isso, que precisam treinar questões específicas para entenderem os principais tipos de questões mais recorrentes em prova. Não deixe de conferir nosso curso Curso on-line de Interpretação de Textos para Concursos.

Se você sentir que precisa de um curso mais amplo, que abarque a totalidade da matéria de Língua Portuguesa para concursos públicos, confira nosso Português GOLD 2020. Veja nossa aula de degustação dobre interpretação de texto. Você pode ver também no nosso canal do YouTube clicando AQUI.

#1 O que é cacofonia?

Cacofonia, também conhecida como cacófato, corresponde a um vício de linguagem em que ocorre a produção de um som “feio”. A própria etimologia da palavra permite essa compreensão, já que o termo “caco” (do grego kako) exprime o sentido de algo feio ou ruim, ao passo que “fonia” (phóne, gr.) equivale a som ou sonoridade. Logo, o significado exato seria algo próximo de malsonônancia ou “som ruim”. Opõe-se ao que é denominado de eufonia, que seria exatamente a produçãod e sons belos.

Em termos mais práticos, a cacofonia corresponde à sonoridade produzida pelo encontro casual das sílabas finais de um vocábulo com as iniciais de outro, cuja junção gera um efeito diferente daquele intencionado pelo falante. Em casos graves, os sons podem formar palavras com sentidos inconvenientes ou mesmo criar ambiguidade nos trechos. Vamos ver alguns dos exemplos mais comuns de cacofonia:

  • Ela estendeu-lhe uma mão com a intenção de ajudar. (uma mão X um mamão)
  • Ao distribuir o prêmio, a organização avisou que as medalhas seriam uma por cada participante. (uma por cada x uma porcada
  • Já que tinha pensado nele, não podia se conter. (ja que tinha x jaquetinha)
  • Vi ela entrando na loja. (Vi ela x Viela)
  • Amo ela com todas as minhas forças. (amo ela x amoela)
  • Na vez passada, eu acabei bebendo muito. (vez passada x vespa assada)
  • Ele te tinha falado sobre seus planos. (te tinha x tetinha)

#2 Dicas para evitar a cacofonia

Dicas de como não cair em cacofonia.
Tomando notas para não fazer cacófatos.

A) Leia o texto em voz alta

Após a leboração do texto, dos parágrafos, das frases ou das orações, a melhor forma de se identificar algum desvio sonoro é, obviamente, ler o que se escreveu em voz alta. Entretanto, esse recurso não é infalível e, sem um bom domínio da prosódia, o leitor pode sequer perceber os cacófatos criados.

Prosódia, para esclarecer, corresponde à parte da gramática normativa responsável pelo estudo da emissão de sons da fala, tais como as regras de acentuação e entonação. Nesse caso, se o leitor possuir alguns desvios de pronúncia, seja por regionalismo ou por desconhecimento, poderá ele incorrer no vício de linguagem, por maior que seja seu esforço.

B) Tenha noções da oralidade da língua

Como dito, a prosódia, ou seja, o conhecimento da acentuação e da entonação silábica dos vocábulos, é essencial para não se incorrer em cacofonia. Todavia, a prosódia sozinha não ajuda muito, pois, mais do que saber das regras de emissão sonóra, deve-se entender qual a produção correta dos sons. A esse conhecimento, a gramática chama de ortoepia – estudo da boa pronúncia a partir dos caracteres fônicos considerados cultos ou relevantes. Quando se desvia da ortoepia, incorre-se na cacoepia, ou seja, na produção de sons incorretos. A cacoepia é um desvio textual que pode colaborar para a cacofonia.

C) tenha atenção com as sílabas

Caso o domínio gramatical não seja amplo e o esmero com a prosódia e com a ortoepia apresentem pouca valia, pode-se recorrer a uma abordagem mais prática para se evitar a cacofonia textual. Aqui, o escritor deverá procurar não escrever frases em que uma palavra compartilhe com a seguinte sílabas em comum. Observe os exemplo:

  • Ela estendeu-lhe uma mão com a intenção de ajudar. (uma mão X um mamão)

O erro poderia ser evitado caso se procurasse outras palavras, compostas por sílabas diferentes.

D) Conheça os casos mais mais frequentes de cacofonia

Agora, caso essas dicas não sirvam para evitar a cacofonia textual, você poderá se socorrer de uma estratégia mais prática, que é conhecer os principais casos de cacofonia da Língua Portuguesa. Ovbviamente há uma pluralidade de exemplos, mas alguns deles são mais recorrentes e conhecê-los pode ser útil para não os cometer.

E) Reformule seu texto

A cacofonia corresponde a um vício de linguagem e, como tal, costuma ocorrer a partir de uma repetição inintencional de determinadas estruturas frasais. Logo, se há uma frequente ocorrência desse tipo de erro, procure variar seu estilo de texto. Diversificar as estruturas sintáticas e usar palavras mais variadas podem ser formas eficazes de se precaver de alguns vícios.

F) Amplie seu vocabulário

Como dito anteriormente, vícios decorrem de um uso repetitivo de estruturas linguísticas que resultam em um sentido não intencional da frase. Logo, um vocabulário mais amplo assegura mais possibilidades de produção e estruturação textual, o que, necessariamente, diminui as chances de se incorrer em vícios da língua. Usar sinônimos, por exemplo, é algo que não só protege seu texto de eventuais vícios, como também assegura uma maior expressividade. Por isso, se não souber como reestruturar determinado trecho, tente reescrevê-lo com outras palavras.

#3 Exerícios resolvidos de vícios de linguagem

O cacofonia, como falamos ao longo das seções acima, é uma espécie de vício de linguagem. Em provas de concurso, será mais comum ver questões desse conteúdo abarcando parcialmente as ocorrências de cacófatos. Por essa razão, separamas aqui 5 questões de vícios de linguagem em que os conhecimentos de cacofonia foram exigidos de alguma forma. Treine com as questões e veja como a matéria costuma aparecer nas provas objetivas de concursos públicos.

Questões objetivas

Questão 01. (FEPESE. 2019) Relacione abaixo os vícios de linguagem a seus exemplos.

Coluna 1 Vícios de Linguagem

  • Hiato
  • Cacofonia
  • Pleonasmo
  • Solecismo
  • Preciosismo

Coluna 2 Exemplos

( ) Haviam muitos concorrentes para poucas vagas.

( ) Creio que devemos encarar de frente este desafio.

( ) Traga a água.

( ) A formosa donzela ama muito sua progenitora.

( ) Eu vi ela na pracinha.

Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo.

  • 3 • 4 • 1 • 2 • 5
  • 4 • 1 • 3 • 2 • 5
  • 4 • 3 • 1 • 5 • 2
  • 4 • 3 • 2 • 5 • 1
  • 5 • 1 • 2 • 3 • 4

Gabarito: C

Questão 02. (FEPESE. 2019) Relacione as frases abaixo aos seus respectivos vícios de linguagem.

Coluna 1 Frases

  1. Eles advinharam que você viria.
  2. Fazem dois anos que ela aprendeu a dirigir.
  3. Todos foram unânimes quanto ao candidato.
  4. Não me preocupei, já que tinha pago a prestação.

Coluna 2 Vícios de linguagem

( ) solecismo.

( ) cacofonia.

( ) cacografia.

( ) pleonasmo.

Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo

  • 1 • 2 • 4 • 3
  • 2 • 1 • 3 • 4
  • 2 • 4 • 1 • 3
  • 3 • 4 • 1 • 2
  • 4 • 2 • 1 • 3
Gabarito: C
Questão 03. (FEPESE. 2019) Leia as frases a seguir.
  1. Na sala ao lado, alguns trabalhadores ficam à espera de clientes para serem contatados.
  2. Afrânio querido, para que destino segues assim tão lesto, circunspecto e assaz atribulado?
  3. Atualmente Vicente está bem diferente, pois já não sente tantas dores de dente quanto antigamente.
  4. A questão é que o gerente foi apanhado com a mão na botija, apropriando-se indevidamente de uma vultuosa quantia de dinheiro.
  5. Dei um rolê na área, ganhei a mina, mas acabei dançando: a mina estava a fim de outra parada.
De cima para baixo, as frases são exemplos dos seguintes vícios de linguagem:
  • arcaísmo • redundância • preciosismo • cacofonia • ambiguidade
  • cacofonia • barbarismo • ambiguidade • galicismo • solecismo
  • plebeísmo • solecismo • galicismo • ambiguidade • cacofonia
  • barbarismo • eco • plebeísmo • preciosismo • arcaísmo
  • ambiguidade • preciosismo • eco • barbarismo • plebeísmo

Questão 04. (UFAC. 2019) Analisando os vícios de linguagem listados abaixo, relacione adequadamente:

I. ambiguidade

II. pleonasmo

III. cacófato

IV. eco

V. solecismo

( ) A boca dela tinha dentes cariados.

( ) Aquele era o pai da moça que estava doente.

( ) Vou te contar uma novidade inédita.

( ) Aqueles rapazes estava sem rumo.

( ) Teve vontade de ir à cidade só por maldade.

Está correta a sequência:

  • III, I, II, V, IV.
  • III, I, V, II, IV.
  • III, I, II, IV, V.
  • V, I, II, IV, III.
  • IV, II, III, I, V.

Gabarito: A.

Questão 5. (RBO. 2015) Observe a frase abaixo, nela há um desvio do padrão culto da língua, conhecido como vício de linguagem, denominado: O Professor achava, desde a mocidade, que era preciso valorizar a maturidade.
  • Pleonasmo vicioso
  • Cacófato
  • Colisão
  • Eco

Gabarito: D


Depois dessas explicações e do treino com as questões selecionadas, aposto que não ficou nenhuma dúvida sobre esse vício de linguagem, não é mesmo? Mas dúvidas são algo bastante persistente, então, se ainda tiver algum ponto que não ficou claro, conte para a gente na seção de comentários! Além disso, caso queira saber sobre os cursos e escolher aquele que é melhor para você, não deixe de entrar em contato conosco pelos telefones

Caso tenha algum assunto que gostaria de ler por aqui, deixe sua sugestão na seção de comentários. 🙂

Deixe seu Comentário

Comentários

CONTINUE LENDO