/Dicas para fazer um texto coeso e articulado


Dicas para fazer um texto coeso e articulado

245

por: Equipe Flávia Rita

DICAS PARA MANTER SEU TEXTO ARTICULADO

Se você estuda para concursos ou para exames vestibulares, muito possivelmente já viu um comentário do corretor dizendo “melhore a articulação textual”, “coesão prejudicada” ou também “cuidado com o encadeamento das ideias”. Todos esses comentários querem dizer algo parecido! Aqui, você vai entender o que se quer dizer quando falamos de articulação e como fazer para mantê-la consistente ao longo do texto!

O QUE É ARTICULAÇÃO TEXTUAL?

Primeiramente, vamos esclarecer: articulação textual é o atributo decorrente de um texto estruturado de maneira coesa, ou seja, com ideias encadeadas, coerentes e com a progressão adequada. Trata-se, portanto, da maneira como se desenvolvem os argumentos e como eles são entrelaçados.

A articulação textual é um quesito de avaliação presente em todas as provas de concursos públicos e exames vestibulares. Ainda que não esteja expressa nos critérios de correção, ela será avaliada a partir do uso de conectores no texto, da própria organização dos períodos e, algumas vezes, dentro do próprio conteúdo, uma vez que a clareza dos argumentos decorrerá dessa coesão.

Então, fica a pergunta: o que devemos e não devemos fazer para construir um texto articulado? Vamos ver algumas dicas!

COMO FAZER UMA TEXTO COESO OU ARTICULADO?

O primeiro a ser feito para se garantir que o texto esteja articulado é usar conectores. Também chamados de articuladores, esses termos têm a função de relacionar logicamente duas palavras ou duas orações com expressão de um determinado sentido.

São considerados conectores intraoracionais as preposições, uma vez que elas ligam duas palavras entre si, de maneira a construir locuções com um sentido próprio. Por exemplo, há alguns casos em que a carga semântica do verbo é fixada a partir do uso de preposições, como se percebe em:

  • Ao + infinitivo = sentido temporal = quando
  • A + infinitivo = sentido condicional = se
  • Por + infinitivo = sentido causal = porque
  • Para/a fim de + infinitivo = sentido de finalidade = para que
  • Apesar de + infinitivo = sentido concessivo = embora

Por outro lado, há conectores que podem ser utilizados para ligar duas ou mais orações, de maneira, também, a articulá-las logicamente. Nesse caso, empregar-se-ão as conjunções, que poderão exprimir um sentido ou de coordenação ou de subordinação. Alguns exemplos são:

  • Conjunções coordenativas: aditivas (e, mas ainda, mas também), adversativas (contudo, entretanto, mas, não obstante), alternativas (já… já, seja… seja, ora… ora), conclusivas (assim, então, logo, portanto, por conseguinte) e explicativas (porquanto, porque, que).
  • Conjunções subordinativas: Empregadas quando há uma subordinação de sentido entre uma oração e outra. Podem ser: causais (haja vista, visto que, porquanto), concessivas (embora, conquanto, apesar de), condicionais (se, desde que, caso), comparativas (como, que nem), finais (para que, a fim de que), proporcionais (à proporção que, à medida que, quanto mais… mais), temporais (quando, enquanto, assim que, até que), consecutivas (de modo que, de forma que, de sorte que), conformativas (conforme, como, segundo, de acordo com) e integrantes (que, se, como).

OBS: Conjunções integrantes não possuem carga semântica!

Assim, empregar conectores é um recurso adequado tanto para estabelecer sentido entre as palavras e orações como para se manter a articulação dos argumentos e, com isso, a própria coesão textual.


Viu como a articulação do texto é importante para manter uma boa coesão e, a partir disso, gerar clareza e capacidade de convencimento? Não deixe de treinar essas dicas e utilizar bastante conjunções no seu texto! Com certeza isso irá contribuir para a articulação e para o encadeamento das ideias.

Deixe seu Comentário

Comentários