/FUNDATEC – Perfil da Banca com foco na disciplina de português


perfil-banca-fundatec

FUNDATEC – Perfil da Banca com foco na disciplina de português

210

por: Equipe Flávia Rita

A FUNDATEC é uma banca responsável por organizar concursos públicos, normalmente nos estados do Sul do país. Entretanto, em alguns momentos, organiza também certames em outros estados, o que deixa muitos candidatos preocupados e interessados em conhecer o perfil da banca. Por isso, vamos entender, aqui, como a FUNDATEC costuma cobrar os conteúdos de língua portuguesa e, ao final, vamos treinar com as questões comentadas da prova de Perito Criminal do Institutos de Perícias do Rio Grande do Sul.

Características da Banca FUNDATEC

A FUNDATEC é uma organizadora de provas e processos de seleção criada na década de 70 no estado do Rio Grande do Sul e responsável pela realização de pesquisas na área da educação e pela organização de diversos processos seletivos de pequeno e médio porte, sobretudo na região sul, como os certames para a Brigada Militar, a Polícia Civil, a Defensoria Pública do Estado, prefeituras, entre outros.

A FUNDATEC apresenta um perfil de prova mais simples, com baixo grau de dificuldade, sendo as questões normalmente compostas por cinco alternativas.

Portanto, estudar para a FUNDATEC exigirá dos interessados uma estratégia diferente em relação às demais bancas mais complexas, como o Cespe, a FCC ou a FGV.

Perfil da Prova de Português da FUNDATEC

A prova de português da FUNDATEC apresenta uma preferência por questões de itens, nas quais os candidatos deverão analisar a combinação de alternativas corretas ou incorretas, sendo recomendável um curso focado na resolução de várias questões para se familiarizar com as principais estratégias de cobrança. Caso o aluno ainda não tenha uma base de língua portuguesa consolidada, o melhor será fazer um curso de teoria com resolução de questões focado na banca, de maneira a entender as matérias sob a ótica da organizadora.

É comum haver questões em que se pede a marcação dos itens incorretos, de forma que os candidatos devem se manter sempre atentos ao preencher o gabarito.

Em termos de conteúdo, a FUNDATEC mostra costume em exigir tanto conteúdos de gramática normativa como de interpretação de texto, embora esse seja, normalmente, utilizado como oportunidade para análise de sintaxe textual.

Por fim, as questões discursivas e as provas de redação trazem um maior peso do critério de expressão, de maneira que eventuais incorreções gramaticais poderão custar muitos pontos para os candidatos.

Conteúdos de Português mais relevantes para a FUNDATEC

A FUNDATEC tem por hábito privilegiar conteúdos de morfossintaxe, nos quais se questiona a respeito das classes gramaticais e de alguns processos de formação de palavras. Além disso, questões de fonética, com ênfase nas regras de acentuação, são bastante comuns nas provas da FUNDATEC.

Assim, em seus estudos, procure dar preferência para as seguintes matérias:

  • inferência simples, nas quais se exigem dos candidatos a interpretação de trechos do texto base;
  • vocabulário, com a apresentação de sinônimos e possibilidades de substituições;
  • tipologia textual, nas quais deverão ser identificados os tipos do texto (texto narrativo, descritivo, injuntivo…);
  • classes de palavras – advérbios, pronomes, conjunções (valor das conjunções em questões de substituição)
  • fonética, com ênfase em dígrafos e fonemas
  • ortografia, com preferência para o uso do -s, -z e -ç em palavras retiradas do texto;
  • crase, em que se questiona a respeito do correto uso do sinal grave em lacunas normalmente deixadas no texto.

Na matéria de sintaxe, a FUNDATEC dá preferência para os seguintes conteúdos:

  • análise do período simples, em que se requer a identificação do sujeito, do predicado ou de demais elementos oracionais;
  • análise do período composto, em que se aborda tanto as orações coordenadas quanto as orações subordinadas, com ênfase, aqui, às orações subordinadas adjetivas;
  • Na matéria específica de análise sintática, os conteúdos mais recorrentes são pontuação, período composto, regência, crase e concordância;
  • Pontuação, com maior incidência de questões a respeito do uso correto da vírgula no período;
  • Regência, a partir do questionamento do emprego correto de preposições ou da substituição de umas pelas outras em certos períodos retirados do texto base.

Comentário da prova aplicada pela FUNDATEC para Perito Criminal – Psicologia (Instituto de Perícias do RS)

Instrução: As questões de números 01 a 15 referem-se ao texto abaixo. Os destaques ao longo do texto estão citados nas questões.

 As melhores notícias que não chegam até nós

  1.           O mundo está uma bagunça, com bilhões de pessoas prisioneiras de inescapáveis ciclos
  2. de guerra, fome e pobreza, com o maior número já visto de crianças morrendo em decorrência
  3. da fome, da doença e da violência.
  4.           Essa descrição parece ser a única coisa em torno da qual os americanos estariam de
  5. acordo; em relação a todos os demais tópicos, o que se vê é a ………….. Várias pesquisas de
  6. opinião, no entanto, descobriram que 9 de 10 americanos acreditam que a situação da pobreza
  7. global piorou ou se manteve a mesma nos 20 anos mais recentes.
  8.           Com lideranças de todo o mundo se reunindo para a Assembleia-Geral das Nações Unidas,
  9. todas as evidências indicam que estamos num momento histórico de inflexão. O número de
  10. pessoas vivendo na pobreza extrema (US$ 1,90 pessoa/dia) caiu pela metade em duas décadas,
  11. e o número de crianças pequenas morrendo teve queda semelhante – são seis milhões de vidas
  12. salvas todo o ano pelas vacinas, incentivo ao aleitamento materno, remédios para pneumonia e
  13. tratamentos contra diarreia!
  14.           Os historiadores podem concluir que o processo mais importante desenrolado no mundo
  15. no início do século 21 foi uma impressionante redução no sofrimento Eis os dados.
  16.           Até recentemente, em 1981, 44% da população mundial vivia na extrema pobreza, de
  17. acordo com o Banco Agora, pensa-se que essa mesma proporção seja inferior a 10%, e
  18. a queda “Essa é a melhor notícia do mundo atual”, disse Jim Yong Kim, presidente do
  19. Banco Mundial.
  20.           Durante toda a história da humanidade até os anos 60, a maioria dos adultos era
  21. Agora, 85% dos adultos de todo o mundo foram alfabetizados, e a proporção está
  22. aumentando.
  23.           Embora a desigualdade tenha aumentado nos Estados Unidos, a tendência global é mais
  24. animadora: no panorama internacional, a desigualdade está em queda por causa dos ganhos
  25. conquistados pelos pobres em países como China e Índia.
  26.           A ONU tem como objetivo erradicar a pobreza extrema até 2030, e os especialistas
  27. acreditam que seja possível algo bem perto Em resumo, ainda no nosso turno, temos uma
  28. chance considerável de virtualmente eliminar os males que afetaram a humanidade por milhares
  29. de gerações, do analfabetismo até a mais …………….
  30.           Mas o público acredita no oposto: que a pobreza está Uma pesquisa de
  31. opinião divulgada pela firma holandesa Motivaction revela que apenas 1% dos americanos
  32. participantes tinha consciência            a pobreza extrema global tinha sido reduzida pela
  33. metade num período de 20 Eu me pergunto se nós do universo do jornalismo e das
  34. agências humanitárias não erramos ao dedicar tanta atenção para o sofrimento humano a ponto
  35. de dar ao público a impressão equivocada segundo a qual tudo está sempre piorando.
  36.           Já cobri histórias de massacres no Sudão do Sul, campos de concentração em Mianmar e
  37. casos generalizados de crianças com o desenvolvimento prejudicado pela má nutrição na Índia,
  38. mas também é importante reconhecer o contexto de progresso Caso contrário, o público
  39. pode vir a enxergar a pobreza como algo sem solução e desistir de continuar na luta – justamente
  40. no momento estamos obtendo as melhorias mais aceleradas              se tem notícia.
  41.           Os cínicos apontam que, se mais vidas de crianças forem salvas, estas vão crescer e ter
  42. mais filhos, causando novos ciclos de pobreza e Não é verdade! Quando os pais têm a
  43. garantia os filhos sobreviverão, eles optam por ter um menor número Conforme
  44. as meninas recebem educação e métodos contraceptivos se tornam disponíveis, a taxa de
  45. natalidade cai – exatamente como ocorreu no
  46.           Assim, logo voltaremos às urgentes necessidades globais, da guerra à mudança climática
  47. e aos Mas, primeiro, façamos uma pausa de um nanossegundo de silêncio para
  48. reconhecer os maiores ganhos no bem-estar humano jamais vistos na história de nossa espécie
  49. não para que isso nos inspire ………….., mas para incentivar nossos esforços no sentido de
  50. acelerar aquela que pode ser a mais importante tendência do mundo atual.

(Fonte: Nicholas Kristof, http://economia.estadao.com.br/noticias, publicado em 26/9/2016 – texto adaptado)

QUESTÃO 01 – Analise as afirmações que seguem, relativamente aos vocábulos que completam as lacunas pontilhadas das linhas 05, 29 e 49.

I. O vocábulo polari ação (l. 05) deve ser grafado com s, visto tratar-se de um vocábulo cognato derivado de um verbo formado com o sufixo –isar.

II. A palavra ab eta (l. 29) deve ser grafada com g, assim como a palavra abgeção, sendo, portanto, cognatas.

III. O vocábulo compla ência (l. 49) deve ser grafado com c, visto que se deriva de complacente, ambos pertencentes à mesma família etimológica.

Quais estão corretas?

a) Apenas I.

b) Apenas II.

c) Apenas III.

d) Apenas I e II.

e) Apenas II e III.

Comentário. Termos cognatos correspondem às palavras derivadas da mesma família etimológica. Com isso em mente, nota-se que o item I está errado, pois o vocábulo “polarização” deve ser grafado com “-z” em razão de derivar do verbo “polarizar”, igualmente escrito com a letra “-z”. O item II também se encontra incorreta, uma vez que o termo deve ser escrito com a letra “-j”, tal como seu cognato “abjeção”. Por fim, o item III está correto, já que ambas as palavras – “complacente” e “complacência” – derivam da mesma família etimológica, sendo, por isso, grafadas com a letra “-c”. Resposta correta – Letra C: A assertiva é o gabarito da questão, uma vez que identifica corretamente a única alternativa correta.

QUESTÃO 02 – Assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas  tracejadas  das   linhas   32,   40 (duas ocorrências) e 43.

a) que – que – que – que

b) que – no qual – de quem – que

c) que – no qual – que – de que

d) de que – em que – de que – de que

e) de que – que – do qual – de que

Comentário. Usa-se preposição antes do pronome relativo sempre que o termo posposto a ele exigir. No trecho da linha 32, a lacuna deve se preenchida pela forma “de que” em razão da regência da locução “ter consciência”, que exige a mencionada preposição. Na linha 40, as lacunas devem ser preenchidas, respectivamente, pela forma “em que”, devido à regência da locução “momento em que”, e pela locução “de que”, em razão da preposição regente da expressão “ter notícia de”. Na linha 43, por fim, também será preenchida pela forma preposicionada por “de”, em decorrência da expressão “ter garantia de”.  Resposta correta – Letra D: Assim, a alternativa D é o gabarito da questão por apresentar o correto complemento das lacunas.

QUESTÃO 03 – Considere as afirmações que seguem a respeito de determinados vocábulos do texto:

I. A ocorrência da palavra mesma nas linhas 07 e 17 tem igual valor sintático e morfológico.

II. As duas ocorrências da palavra uma (a primeira na linha 01, e a segunda na 15) pertencem à idêntica classe gramatical, ambas são artigos indefinidos.

III. O vocábulo o, nas linhas 5 e 8, pertence à mesma categoria gramatical.

Quais estão corretas?

a) Apenas I.

b) Apenas II.

c) Apenas III.

d) Apenas I e II.

e) Apenas II e III.

Comentário. O item I está errado, pois a palavra “mesma”, em suas ocorrências nas linhas 07 e 17, ainda que tenha sido empregada, morfologicamente, como pronome, não apresenta a mesma função sintática. Na primeira, ela ocorre como núcleo do sujeito, ao passo que na segunda, é empregada como adjunto adnominal do sujeito proporção. O item II está correto, uma vez que em nenhuma de suas ocorrências há relação numérica, de modo que atua como artigo indefinido e não como numeral. O item III, por fim, também se mostra errada, dado ser o vocábulo “o” empregado, na linha 5, como pronome demonstrativo e, na linha 8, como artigo definido. Resposta correta – Letra B: Portanto, a letra B é o gabarito da questão.

QUESTÃO 04 – Assinale a alternativa cuja afirmação esteja INCORRETA em relação a determinadas situações textuais.

a) O nexo no entanto (l. 06) exprime ideia de oposição.

b) Embora (l. 23) poderia ser substituído por conquanto, sem que isso provocasse erro ou alteração de significado no parágrafo.

c) mas também (l. 38) poderia ser substituído por no entanto, sem provocar erro estrutural ou alteração de significado.

d) Sem tardança poderia substituir correta e adequadamente logo (l. 46).

e) A expressão Mas (l. 47) poderia ser substituída por Todavia, sem que isso provocasse alteração no parágrafo em que está inserida.

Comentário. A letra A faz afirmação correta, uma vez que a locução “no entanto” se classifica como uma conjunção coordenativa adversativa. A letra B está correta, dado serem as conjunções “embora” e “conquanto” concessivas, o que permite a substituição sem implicar erro gramatical ou prejuízo ao sentido original. Resposta correta – Letra C: A locução “mas também”, ainda que se inicie pela conjunção adversativa “mas”, exprime sentido de adição, de maneira que não pode ser substituída por “no entanto” sem prejudicar o sentido ou sem incorrer em erro estrutural. Portanto, a letra C é o gabarito da questão. A letra D está correta, pois a locução “sem tardança” pode ser corretamente substituída por “logo”. A letra E, por fim, está correta porque ambas as conjunções exprimem sentido adversativo, de modo que podem ser substituídas sem incorrer em alteração de sentido.

QUESTÃO 05 – Avalie as afirmativas a seguir, relativamente ao uso da crase no seguinte fragmento do texto:

Assim, logo voltaremos às urgentes necessidades globais, da guerra à mudança climática e aos refugiados.  (l. 46-47)

I. A primeira ocorrência da crase atende à regra geral: o verbo voltar exige o uso da preposição a, e o vocábulo urgentes permite o uso do artigo definido feminino.

II. A expressão o ato de mudar, ao substituir a palavra mudança, implicaria a supressão da crase.

III. A substituição de voltaremos por teremos de volta implicaria alteração de regência.

Quais estão corretas?

a) Apenas I.

b) Apenas II.

c) Apenas III.

d) Apenas I e II.

e) Apenas II e III.

 Comentário. O item I está incorreto, pois, embora a preposição decorra da regência do verbo “voltar”, o artigo definido feminino é empregado em razão do vocábulo “necessidades” e não, como afirmado, “urgentes”. O item II está correto, uma vez que a crase deve ser suprimida por ser proibido seu uso antes de palavra masculina. O item III está também correto, dado que o verbo “ter” é transitivo direto, sendo impossível a crase por ausência da preposição “a”. Resposta correta – Letra E: Por estarem corretos os itens II e III, a letra E é o gabarito da questão.


O que achou da prova? Acertou todas as questões ou sentiu dificuldade em alguma em especial? Não deixe de nos contar nos comentários 🙂 Caso você queira ler algum conteúdo em específico ou gostaria de ver alguma prova comentada, nos avise que iremos elaborar um texto sobre ela!

Deixe seu Comentário

Comentários