fbpx

O que é um plano de desenvolvimento pessoal?

Equipe Flávia Rita

Como estudar para concurso público e fazer um plano de desenvolvimento pessoal? O plano é uma ferramenta extremamente útil para a sua organização e desenvolvimento pessoal nos seus estudos. Além disso, ajudará a otimizar a sua rotina e manter o equilíbrio, sobretudo se você precisa conciliar os estudos com o trabalho, por exemplo. Sabia que a organização é muito importante para o seu sucesso? Nesse post, você confere as melhores dicas. A nossa sugestão é que você salve esse post, para consultar sempre que for importante ou você precisar rever algum detalhe do conteúdo, combinado? Uma ótima leitura para você e muito sucesso.
O que é um plano de desenvolvimento pessoal

Um plano de desenvolvimento pessoal (PDP) é uma ferramenta essencial na realização de qualquer objetivo. Sem uma organização consciente e direcionada, é muito provável que venhamos a perder energia, prolongando, demasiadamente, o tempo que precisaríamos para atingirmos nossas metas. Por isso, vamos entender o que é o PDP e por que ele é importante para você, sendo uma excelente ferramenta para quem almeja conquistar uma vaga na carreira pública. 

 

Afinal, o que é o plano de desenvolvimento pessoal?

O chamado plano de desenvolvimento pessoal (PDP) nada mais é do que uma técnica de organização e controle do tempo, do estudo e dos objetivos. Trata-se de instrumento bastante utilizado em diversas universidades, sobretudo em países como EUA, Inglaterra e Alemanha.

Ao adotar um plano de desenvolvimento pessoal, doravante PDP, você terá maior facilidade ao avaliar seu aprendizado e, consequentemente, o atingimento aos objetivos estabelecidos. Como estudar para concurso por meio do PDP? É o que vamos conversar nas próximas linhas. 

 

Como estudar para concurso com o PDP?

Basicamente, ao se adotar um PDP, você terá como objetivo:

  • Registrar suas qualidades pessoais, suas conquistas e suas habilidades, de maneira a conseguir monitorar seu desenvolvimento;
  • Tornar claros seus objetivos pessoais e profissionais;
  • Entender de maneira mais completa o que você está aprendendo e qual a melhor maneira de aprender;
  • Assumir a responsabilidade pelo seu próprio desenvolvimento, estabelecendo você mesmo seus objetivos pessoais e profissionais e avaliando seu progresso ao longo do tempo;
  • Melhorar sua empregabilidade no futuro ou, no caso dos candidatos a concursos públicos, tornar mais eficiente os períodos de estudo, diminuindo o tempo de aprovação;
  • Reunir informações para o seu CV e evidências que o auxiliem tanto na obtenção de emprego ou na ascensão na carreira;
  • Dar início a um processo de contínuo crescimento profissional na área da sua escolha.

É interessante, ainda, pontuar que diversos estudos realizados em universidades estrangeiras sugerem que alunos e profissionais que adotam um PDP costumam apresentar uma performance melhor ao longo de seus estudos e de suas carreiras. Além disso, percebeu-se que aqueles que seguiram um planejamento pessoal ou profissional possuíam mais motivação, mais autoconsciência e maior entendimento sobre as possibilidades da carreira.

 

E como você pode fazer o seu planejamento de desenvolvimento pessoal?

Elaborar o seu próprio PDP envolve adotar as seguintes condutas:

  • Refletir sobre onde você se encontra agora, por quais áreas você se interessa, quais são as suas facilidades e as suas dificuldades e quais objetivos você gostaria de atingir;
  • Planejar onde você quer chegar, quais habilidades e conhecimentos você precisa para chegar lá e como você os pode adquirir.
  • Agir estabelecendo seus objetivos e suas metas específicas, sem ignorar o monitoramento em relação a eles;
  • Rever seus objetivos até aqui atingidos e decidir quais outras áreas você necessita trabalhar para o seu desenvolvimento pessoal ou profissional.

Deve-se ter em mente que a adoção do PDP envolve uma mudança de comportamento, sendo, por isso, muito mais um ciclo contínuo de autorrevisão do que um evento esporádico.

Vamos tentar deixar mais claro a adoção do PDP por meio de dois exemplos:

(1) um candidato ao concurso público da magistratura; e Vivemos em uma realidade paralela. 

(2) um profissional que deseja crescer em sua carreira.

Ambos irão adotar esse modelo de organização, contudo, embora ele seja semelhante em muitos aspectos, apresentará uma pequena variação no foco a depender do objetivo final.

Vamos ver.

Exemplo (1) – plano de desenvolvimento pessoal aplicado no estudo de concursos públicos

Quem estuda para concursos já sabe que é um caminho, muitas vezes, de médio e longo prazo. Passar em provas envolve se organizar, separar horas para leitura, para aulas, para revisão e para treino.

Os concursos para a magistratura apresentam ainda uma particularidade. Para posse, conforme o art. 93, I, da Constituição de 1988, o aprovado deverá comprovar o exercício de prática jurídica pelo período de três anos.

Ou seja, é um concurso que exigirá um planejamento específico, com visão de médio a longo prazo. Dito isso, quem deseja disputar uma vaga deve ter claro onde se encontra em termos do edital e do requisito da prática jurídica.

Ao adotar o plano de desenvolvimento pessoal (PDP), ele deverá seguir os seguintes passos:

  • Refletir sobre o seu conhecimento teórico a partir do edital, identificando as matérias que têm mais facilidade e as que têm mais dificuldade. Com isso, você deverá anotar quais disciplinas devem receber mais ou menos atenção durante a sua preparação.
  • Planejar onde se deseja chegar e quais as habilidades e conhecimentos são necessários para o seu objetivo. Aqui, está claro que o seu objetivo é a aprovação no certame.
  • Agir estabelecendo suas metas de curto prazo, as quais focaram nas matérias que você possui mais dificuldade e naquelas com maior peso na prova, quando for o caso. Observe que nessa etapa, você deverá organizar seus horários entre as matérias e as tarefas de treino e revisão, de modo a monitorar os resultados.
  • Refletir, periodicamente, e embasado nos resultados dos treinos, quais as metas já alcançadas.

Observe que o PDP tem a função de organizar a visão e o esforço do candidato. A finalidade, então, é tomar consciência da sua posição inicial, identificar fraquezas e monitorar os resultados, de modo a os conquistar mais rapidamente.

Exemplo (2) – plano de desenvolvimento pessoal aplicado na carreira

O caso do PDP aplicado ao profissional que deseja subir na carreira é um pouco diferente. Aqui, o planejamento varia conforme a empresa e as expectativas do funcionário. Imagine a situação de um trainee do Itaú que deseja crescer dentro do banco.

Nesse caso, ao elaborar seu plano de desenvolvimento pessoal (PDP), ele deverá:

  • Refletir sobre o seu conhecimento das operações da empresa, sobre o mercado e sobre as competências exigidas em cada cargo. A partir disso, deve identificar quais áreas ele ainda apresenta deficiências, segundo os interesses do banco, e em quais ele possui um diferencial em relação aos seus colegas de trabalho. Ademais, deve ter claro quais os caminhos são necessários para cada cargo pleiteado.
  • Planejar onde se deseja chegar, avaliando as facilidades ou habilidades e as dificuldades ou desvantagens que possui no momento. Aqui, o objetivo será chegar a um determinado cargo, o qual envolverá tanto uma mudança na atitude do funcionário no ambiente corporativo quanto uma preparação teórica, quando necessária a obtenção de certificações.
  • Agir estabelecendo suas metas de curto prazo, como, por exemplo, obtendo as certificações necessárias para galgar nos quadros da empresa.
  • Refletir, periodicamente, com base nos retornos dados pela empresa, sobre os resultados já observados. Com isso, caberá avaliar quais posturas devem ser adotadas ou alteradas.

Veja que o PDP é adaptável a qualquer caso, sofrendo apenas algumas alterações conforme as particularidades.

 

Como estudar para concurso focando o PDP

E como você pode começar a montar seu plano de desenvolvimento pessoal? Os professores Jonathan Wyers e Kathleen McMillan apresentam cinco questões que você deve responder, a fim de conseguir se posicionar em suas expectativas.

Assim, pegue um papel e uma caneta e responda, com sinceridade:

  • Quais são suas aspirações e objetivos pessoais? Você pensa no curto, no médio e no longo prazo? Por exemplo, onde você gostaria de estar, em termos profissionais, daqui a 10 anos? Qual tipo de formação você precisa para dar os primeiros passos rumo à sua meta? Quais as primeiras medidas você pode tomar dentro do período de um ano?
  • Quais interesses e motivações você tem? Aqui, você deve pensar tanto em interesses pessoais, como hobbies, quanto em atividades ocupacionais, as quais são mais direcionadas a uma competência específica com fins profissionais. Não ficou claro? Pense, por exemplo, nos fatores que o motivam, como a vontade de ficar rico, de ensinar, de ajudar os mais desfavorecidos ou mesmo de mudar o mundo. Trata-se de uma questão bastante pessoal, portanto, seja totalmente sincero com você.
  • Quais as habilidades chaves você está desenvolvendo agora – seja nos seus estudos, seja nas atividades extracurriculares?
  • Quais os traços de personalidade e quais as qualidades pessoais você tem e como elas podem o ajudar a atingir seus objetivos?
  • Qual é o seu estilo de aprendizado? Sente mais facilidade ao ler fazendo anotações? Prefere aulas presenciais? Ou fica mais confortável resolvendo questões?

 

A importância da autoavaliação

Estudar para concurso público exige disciplina, foco e constância. Por isso, o plano de desenvolvimento pessoal será uma ferramenta incrível na sua jornada, e facilitará o seu aprendizado e a conquista das suas metas. 

Além disso, é importante que você separe tempo para fazer uma reflexão sobre si mesmo, ou seja, uma autoavaliação, e procure perceber como está mensurando as suas metas, os seus objetivos. Assim, é por meio da autoavaliação que você conseguirá ajustar os seus pontos fracos e fortalecer os fortes. 

Outros métodos de começar o seu plano de desenvolvimento pessoal

Além dessas perguntas, há outros métodos que podem ajudar em seu planejamento. Os pesquisadores mencionados, por exemplo, sugerem colocar no papel, respondendo os seguintes tópicos, conforme dispostos na tabela:

Tópico Situação atual Pontos de ação Data de cumprimento Notas
Aspirações e objetivos de longo prazo        
Objetivos de médio prazo        
Metas de curto prazo        
Interesses chaves e motivações        
Habilidades chaves – facilidades e áreas a serem desenvolvidas        
Traços de personalidade importantes e qualidades pessoais        
Estilo de estudo preferido e demais preferências        

Alguma dúvida? Podemos ajudar você?

O que achou? Simples, não é mesmo? Se ainda ficou alguma dúvida depois dessa explicação, você pode nos contar nos comentários! Além disso, se você está iniciando sua preparação agora e precisa de norte de como começar, não deixe de conferir nossos textos sobre técnicas de estudo e técnicas de leitura! Com certeza eles lhe darão mais luz no processo!

Agora, caso você queira ver mais conteúdo de português sobre regência verbal, redação (introdução e desenvolvimento) ou pontuação, confira todos nossos outros textos! 🙂

 

Como estudar para concurso e gabaritar português

Português é uma matéria recorrente em, praticamente, todas as provas de concurso público. Ou seja, o conteúdo é cobrado em certames de nível fundamental, médio e superior, por isso, quanto mais cedo você iniciar a sua preparação, melhor. Por quê? 

  • O conteúdo é extenso e cada banca tem a sua forma de cobrança. 
  • É necessário tempo para construir a sua base no conhecimento 
  • Você precisa aprender, revisar e resolver exercícios. 

Dessa forma, estudar para concurso é uma escolha e você precisa se comprometer com o seu sucesso. Lembre-se de que você é o único responsável pela sua nomeação, então está preparado? 

Por isso, será necessário dedicação, estudo e muito foco, sobretudo se você precisa conciliar o estudo com outras atividades como trabalho, por exemplo. Mas, eu te garanto: se você não desistir e continuar, colherá os resultados. 

Como estudar para concurso e gabaritar português? Com planejamento e, por isso, pode contar comigo. 

 

Dicas finais: 

  • Assista às aulas com atenção e cuidado. 
  • Faça anotações 
  • Estude com calma e tranquilidade 
  • Respeite o seu ritmo e não perca seu tempo se comparado com ninguém 
  • Confie no seu potencial para conquistar a SUA aprovação e não desista até chegar aonde realmente deseja, combinado?

Ficou alguma dúvida sobre como estudar para concurso público? Deixe o seu comentário e compartilhe o conteúdo nas suas mídias sociais. Bons estudos e muito sucesso!

 

Deixe seu Comentário

Comentários

CONTINUE LENDO