fbpx

Técnicas de leitura para otimizar seu estudo

Equipe Flávia Rita

Confira agora 10 técnicas de leitura para otimizar os seus estudos de textos teóricos.
Técnicas de leitura para otimizar seu estudo

Por mais que possa parecer algo simples ou corriqueiro que fazemos quase no automático, ler não é uma tarefa simples. Quem nunca terminou um texto qualquer e, ao final, se perguntou: “o que mesmo eu acabei de ler?”

Essa situação é mais comum do que se pode imaginar. É muito frequente, sem que percebamos, acabar um parágrafo qualquer sem ter realmente compreendido as ideias nele contidas.

Por diversos hábitos que sequer percebemos, acabamos incorrendo em vícios que minam toda a nossa experiência com a leitura. E por que isso ocorre?

Talvez por mero preconceito com certa ideia defendida pelo autor… talvez por falta de vocabulário, sem que, contudo, paremos para entender a palavra… ou mesmo talvez por haver certa estrutura sintática mais complexa que dificulta a leitura. De qualquer forma, o resultado é o prejuízo ao nosso entendimento do texto.

Se você se identificou com a situação acima ou se quer apenas aprender algumas técnicas que podem ajudar a melhorar a sua leitura, continue com a gente, pois separamos algumas dicas que com certeza vão ajudar você a tirar muito proveito mais dos seus estudos.

Objetivos das técnicas de leitura

Ler com o intuito de aprender exige mais do que olhar para o papel e ver as palavras passando. Trata-se de uma atividade que pede prática e método. Mais do que isso, necessita também de um conhecimento sincero do leitor sobre ele mesmo. Isso porque muitas horas de leitura costumam ser desperdiçadas em razão de um preconceito específico frente às ideias do livro.

Portanto, tenha atenção às técnicas aqui selecionadas, mas, mais do que isso, atente-se antes ao que você pensa sobre assunto. Tenha em mente que o objetivo não é apenas otimizar o aprendizado. Queremos, na verdade, corrigir alguns dos vieses de leitura que possam existir sem termos consciência.

Dito isso, vamos ver agora dez dicas para melhorar sua prática de leitura.

Técnicas de leitura

Técnicas de leitura

Leia um livro

#1 Corrigir vieses de leitura

Já demos a primeira das técnicas de leitura dica e talvez não tenha percebido! Por isso, vamos reforçar.

O primeiro passo ao começar uma leitura é identificar os vieses subjetivos que temos. Em outras palavras, devemos procurar entender quais tipos de preconcepção temos a respeito do tema que estamos lendo.

Procure pensar em um livro de filosofia. A partir dele, procure avaliar o que você já escutou sobre o autor ou sobre o pensamento dele. A ideia que lhe surge gera algum tipo de reação? Sente-se incomodado ou animado? As sensações são importantes para conseguirmos identificarmos nossos vieses.

Para exemplificar, vamos pegar o caso específico envolvendo os pensadores Adam Smith e Karl Marx. É comum vermos hoje um preconceito em relação ao pensamento dos dois grandes autores. Embora ambos tenham sido pensadores revolucionários que alteraram a forma de se entender a ciência econômica, não raras vezes, são notadas críticas infundadas em face de suas obras. Entretanto, essas manifestações são, normalmente, motivadas por um interesse subjetivo do leitor.

Esse interesse subjetivo de querer a priori provar um determinado ponto de vista é que chamamos de vieses de leitura. Voltando ao exemplo, perceba que quem possuir uma pré-compreensão dos autores tenderá a ler suas respectivas obras de maneira enviesada. O resultado disso será, necessariamente, um entendimento ruim do texto.

Por isso, ao iniciar a leitura, procure entender seus sentimentos e pensamentos a respeito do texto e do autor. A partir disso, identifique os preconceitos que possam existir e contaminar sua leitura, para, então, conseguir sanear sua prática.

Com certeza, ler um texto de forma aberta e sem projetar nele nossas preconcepções irá tornar a experiência mais rica. Com isso, você otimizará seu tempo de estudo, pois poderá aprender os conteúdos de forma mais rápida.

#2 Fuga do desconhecido

A segunda dica relaciona-se com nosso verdadeiro desconhecimento conceitual. Diferentemente da primeira, em que tratamos do enviesamento literário, aqui estamos falando em termos de conceitos. Portanto, não se trata de uma postura enviesada, mas sim da total falta de informação.

Nesse caso, ela ocorre sempre que estamos lendo um texto e nos deparamos com um conceito mais denso. Por desconhecermos o seu significado, acabamos seguindo com a leitura de maneira a não a prejudicar.

Com certeza você já passou pela situação de ler uma palavra difícil e pensar: “depois eu confiro o significado disso”. O problema é que disso decorre diversos prejuízos para a leitura, pois muitos outros conceitos podem derivar da palavra desconhecida.

Portanto, procure sempre buscar o significado quando se deparar com um termo ou conceito novo. Isso, ainda que quebre a leitura, com certeza ajudará a aumentar a compreensão do texto.

Caso você ache interessante, você poderá anotar o conceito na lateral do texto, de forma a voltar nele com mais facilidade, sempre que tiver dúvida. ultra aprendizado. 

#3 Assimilar a posição do autor

A terceira das nossas técnicas de leitura diz respeito à assimilação da posição do autor. Isso quer dizer que você deve buscar entender qual o posicionamento geral dele a respeito do tema.

Imagine, por exemplo, que você está lendo um texto jurídico de um advogado que é favorável a uma dada tese. Sabendo dessa posição, você conseguirá entender melhor algumas das estratégias argumentativas empregadas na elaboração do texto.

Com isso, seu entendimento da obra melhorará, além de tornar a leitura mais leve e fluida.

#4 Sanar dúvidas de vocabulário,

A quarta dica que separamos pode parecer com a segunda. Contudo, ela não se refere a conceitos teóricos, mas, sim, à falta de vocabulário do leitor.

Aqui, a recomendação é a mesma. Se você se deparar com uma palavra que desconhece, pare a leitura e pegue um dicionário! Seguir lendo sem entender algumas das palavras pode comprometer toda a compreensão do texto.

#5 Sanar as dúvidas de sintaxe

Além do vocabulário, as estruturas frasais podem ser mais complexas do que o normal, dificultando a leitura. Se esse for o caso, não desista. Procure ler uma, duas, três vezes, até ficar clara a ideia.

Contudo, sintaxe é algo um pouco mais complicado, já que precisamos estar familiarizados com a forma de organização a fim de entendermos o sentido construído. Por isso, se depois de algumas leituras a ideia não ficar clara, não se preocupe. Marque a parte do texto que deu problema e volte a ela depois de algum tempo.

Isso ajudará você a se acostumar com o estilo do autor sem prejudicar muito a leitura.

#6 Sanar as dúvidas de referência

Outro ponto que se deve dar atenção diz respeito às referências empregadas no texto. É muito comum o autor se utilizar de outras obras para construir seu argumento, o que pode prejudicar quem desconhecer algumas das ideias importadas de outros livros.

Por isso, caso você se veja na situação de lidar com um conceito específico, próprio de outro autor, separe um tempo para entendê-lo melhor. Como a referência é utilizada na construção de um raciocínio, você poderá buscar apenas a ideia geral. Afinal, não é necessário tornar-se um especialista em um dado autor apenas para entender certa ideia.

Atualmente, com a internet, esses esclarecimentos ficaram mais simples. Assim, você poderá buscar diretamente o conceito empregado ou a ideia geral do autor referenciado. O importante, contudo, é não deixar passar termos mal compreendidos ou assimilados.

#7 Numere os parágrafos

Uma técnica útil para quem está estudando um certo texto é numerar os parágrafos. Isso dará uma visão geral de como o autor estruturou seu texto e organizou seus argumentos.

Imagine, por exemplo, um texto sobre política de drogas, em que o autor trata do tema em 5 parágrafos. Você sabendo disso, apenas com a visualização, já consegue imaginar que o desenvolvimento estará a partir do segundo parágrafo, certo? Mais do que isso, você, após a leitura, conseguirá entender melhor a progressão argumentativa realizada.

Obviamente, isso pode parecer desnecessário e cansativo em um primeiro momento. Contudo, saiba que, para textos mais complexos, que exigirão leituras e releituras, a numeração dos parágrafos será bastante útil.

Portanto, quando você estiver pegando aquele livro de conteúdo mais denso, separe um tempo no seu cronometro para numerar os parágrafos. Você verá como toda a esquematização nas leituras seguintes será bem mais fácil.

#8 Reunir em blocos temáticos e atribuir um título para cada parte.

Nossa oitava dica, dentro as técnicas de leitura que separamos, só poderia vir depois de falarmos da numeração dos parágrafos. Isso porque identificar os temas tratados em cada parte do texto é uma tarefa mais simples quando se tem uma visão geral da organização adotada pelo autor.

Tendo lido o texto e numerado os parágrafos, procure anotar em cada seção o assunto tratado. Por exemplo, em um texto de 15 parágrafos, o autor tratou de três temas, dispostos, respectivamente, nos parágrafos 1-3, 4-10 e 11-15. Tem isso claro, você deverá atribuir à cada seção um título que resuma do assunto tratado.

Feito isso, ao fim, você conseguirá ter uma visão geral dos pontos centrais trabalhados pelo autor, o que possibilitará entender o raciocínio desenvolvido por ele na argumentação.

#9 Identificar a estrutura lógico-conceitual

Vamos ver agora a última das nossas técnicas de leitura. Tendo numerado os parágrafos e atribuído os títulos mais pertinentes a cada um deles, você conseguirá identificar a estrutura lógico-conceitual do autor. E o que isso significa?

Bem, estrutura lógico-conceitual corresponde tanto ao desenvolvimento argumentativo das teses, ou seja, às relações lógico-causais elaboradas, quanto aos conceitos empregados e analisados. Em outras palavras, você procurará entender a forma como o autor elaborou seu pensamento.

Por exemplo, se, no primeiro parágrafo, ele apresentou um conceito base retirado de outro autor e, no segundo, relacionou-o a um novo conceito, demonstrando a pertinência temática entre eles, você terá uma, então, uma parte da estrutura lógico-conceitual.

#10 Não se esqueça de que ler é uma atividade prazerosa

Para terminar, não se esqueça do mais importante! Ler é uma atividade prazerosa, ainda que alguns textos possam exigir mais em alguns casos. Portanto, lembre-se: você pode se divertir enquanto estuda o seu texto!  🙂

Depois dessas explicações, aposto que você vai ler seus textos com outra postura, não é mesmo? Contudo, como dúvidas são algo bastante persistente, se ainda tiver algum ponto que não tenha ficado claro, não deixe de nos contar nos comentários! Além disso, caso você queira ver conteúdos mais direcionados para gramática de português, como regência verbal, redação (introdução desenvolvimento) ou pontuação, confira nossos outros textos!

Para ter informações sobre nossos cursos, entre em contato conosco pelos telefones

Caso tenha algum assunto que gostaria de ler por aqui, deixe sua sugestão na seção de comentários. 🙂

Deixe seu Comentário

Comentários

CONTINUE LENDO