fbpx

5 dicas de redação para o ENEM

Equipe Flávia Rita

Então você irá prestar o vestibular esse ano, mas não se sente preparado para a prova de redação do ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio? Não se preocupe! Nada que uma boa preparação direcionada para o certame não resolva! Mas para ajudar todos aqueles que ainda não sabem por onde começar ou como fazer uma redação, separamos cinco dicas com o objetivo de dar um primeiro norte! Lembre-se de que é na prova de redação que você terá a chance de melhorar média da sua nota. Portanto, não deixe seus estudos para a última hora!

Estude e pratique a redação com foco no ENEM constantemente

Todos nós estudamos para as provas objetivas, correto? Matemática, Língua Portuguesa, Ciências Humanas, Ciências da Natureza… todas elas recebem diariamente parte de nossa atenção, de modo a aprendermos solidamente os conceitos mais importantes e a forma como eles costumam ser cobrados em questões de múltipla escolha. Entretanto, não é incomum ver muitos alunos deixando para treinar a redação nas semanas finais, quando a prova já se aproxima. E por que isso ocorre?

Bom, gostamos de imaginar que redação é algo simples de ser dominado, uma competência quase intuitiva que temos, afinal, escrevemos desde que fomos alfabetizados, não é mesmo? Nada mais distante da realidade….

Quem já se encontrou na posição de, em pouco mais de uma hora, ter de reduzir um amontoado de informações de forma clara e conexa em 30 linhas sabe que não se trata de uma tarefa fácil. Muito pelo contrário. Parece que, quando temos a necessidade de passar para o papel todo o nosso conhecimento sobre um determinado assunto, é o momento em que mais nos faltam ideias e palavras.

Por isso, a única forma de evitar esses “brancos” na hora da prova do ENEM, de conseguir manter a calma para selecionar ideias e argumentos relevantes para sua redação e, o mais importante, conseguir transcrevê-los de forma clara, coesa e coerente é treinando diariamente.

Organizando seus estudos de redação para o ENEM

Tal como fazemos com as outras matérias, assim deve ser feito com a redação. Procure separa algumas horas na semana, divididas, de preferência, em três dias. Em cada um desses, faça uma redação sobre um tema aleatório que o curso preparatório tenha oferecido ou que você imagine que possa ser cobrado em sua prova.

Nos outros dias, quando você não se dedicar a produzir um texto novo, separe um tempo para estudar técnicas de redação dissertativa-argumentativa. Nesse caso, leia, por exemplo, recomendações para a construção de parágrafos ou dicas de como articular as orações e as palavras no texto. Tudo isso, ao longo do tempo, se tornará um ativo valioso em sua produção de texto.

Além disso, procure estudar os últimos textos bem avaliados no ENEM. Ver como as outras pessoas escreveram e como conseguiram uma boa nota pode oferecer várias boas ideias para a sua redação.

Leia, assista a filmes e amplie seu repertório cultural

Tudo bem, muitos alunos já sabem que é importante treinar a redação diariamente escrevendo sobre os mais variados temas a fim de chegar preparado para a prova. Contudo, ao tentar fazer isso, eles acabam paralisados em frente a folha branca, sem saber o que escrever ou como escrever. E dai surge a pergunta: “como treinar a redação se eu não sinto que tenho o conhecimento necessário sobre o tema?”

Bom, essa é a parte boa de se preparar com antecedência. Ao identificar essa defasagem de conteúdo, será possível se dedicar para ampliar o seu acervo cultural, o qual oferecerá os argumentos para redação. Para fazer isso, não há outra saída se não ler mais jornais e periódicos, assistir a filmes mais críticos e ler livros de conteúdo mais filosóficos.

Imagine, por exemplo, um tema sobre “limites da liberdade”. Como você poderá apresentar argumentos novos, consistentes e pertinentes sem, ao menos, mencionar um ou outro filósofo responsável pela compreensão do conceito de liberdade? Ou então, citando o caso do tema de redação do ENEM 2019 – “Democratização do Acesso ao Cinema” –, como o aluno conseguirá separar informações relevantes se não possuir noções básicas da história do cinema, dos benefícios do acesso e da promoção dessa arte ou mesmo das políticas públicas desenvolvidas para incentivar o setor? Veja que todos esses pontos colaboram para a seleção dos argumentos que serão desenvolvidos na redação.

Dicas de onde conseguir mais informação para a redação do enem

Com isso em mente, ainda restam algumas dúvidas, como, por exemplo, onde encontrar materiais que sirvam para ampliar o acervo cultural sem perder o foco na elaboração de uma redação para o ENEM? Para isso, o mais interessante é fazer uma Oficina de Redação específica para o Exame Nacional. Nela, você receberá, junto com uma série de temas variados, um material destinado, exatamente, a municiá-lo de argumentos relevantes para cada assunto.

Além disso, você deve criar o hábito de ler jornais e revistas, sobretudo a parte de editoriais e artigos de opinião, pois elas servirão para apresentar uma visão mais crítica sobre determinado tema. Nesse caso, recomendamos que você acompanhe periódicos como Folha de São Paulo, BBC Brasil, Nexo ou El País.

Para temas mais filosóficos, caso você sinta dificuldade em compreender as principais correntes de pensamento e não conheça alguns dos principais pensadores, você pode procurar manuais de filosofia que apresentem uma síntese do assunto, como o Convite à Filosofia, de Marilena Chauí, ou a História do Pensamento Ocidental, de Bertrand Russell.

Revise, reescreva e melhore

Mas apenas escrever textos novos não é o suficiente para garantir uma boa nota na sua redação para o ENEM. Afinal, você pode escrever 100 novos textos incorrendo sempre nos mesmos erros. Por isso, é de suma importância voltar nas redações já corrigidas, avaliar em que ponto estão os problemas de escrita e, o mais importante, reescrever aquelas que você sentiu mais dificuldade de apresentar os argumentos. A prática de rever e reescrever os textos antigos é essencial para melhorar a escrita e assegurar uma boa nota na hora da prova.

Imagine, por exemplo, uma situação em que o aluno apresente pouco domínio das regras de pontuação, de maneira que sempre incorra em usos equivocados de vírgulas ou no sinal de dois-pontos. Pode-se prever que, a cada redação escrita, essas falhas se repetirão, uma vez que, para ele, não há o entendimento de qualquer erro. Isso, contudo, não será o caso quando se fizer revisões constantes das últimas redações corrigidas, pois o professor, ao identificar os desvios gramaticais, irá assinalá-los ao aluno de maneira que eles não se repitam.

Portanto, não deixe de também separar algumas horas na semana, preferencialmente em dois dias, para revisar as redações corrigidas e reescrevê-las com atenção. Isso irá permitir compreender os motivos dos erros e, com isso, evitar incorrer neles no futuro.

Organize suas ideias antes de escrever

Você já sabe o que vai escrever, mas, no momento de passar para o papel, fica perdido, sem conseguir sequer começar o texto? Bom, não se preocupe, isso é bastante comum e tenha certeza de que aflige vários candidatos.

Exatamente por conta desse bloqueio é que o treino é tão importante! Ao praticar, você não reforça apenas seus conhecimentos de gramática e de organização textual, mas, sobretudo, acostuma-se a esquematizar previamente seus argumentos. Isso irá facilitar a transposição das ideias para o papel de uma forma mais ordenada, melhorando a própria paragrafação do texto.

Para organizar suas ideias, primeiramente, você deve ler os textos motivadores e selecionar os principais assuntos neles discutidos. Tenha sempre em mente que muitos temas exigem uma abordagem mais restrita, o que ocorre quando pedem aos candidatos para discorrerem sobre uma dada situação num espaço ou tempo determinado. Por exemplo, tratar da segurança pública no Brasil atual ou sobre a imigração no mundo contemporâneo.

Perceba que, nesses casos, tratar da segurança pública em outros países ou da imigração apenas no Brasil levaria, respectivamente, a uma fuga parcial do tema e a uma insuficiência argumentativa. Nesses casos, deve-se delimitar adequadamente o tema, a fim de se evitar prejuízos na nota de conteúdo.

Como organizar as ideias de seu texto 

Feito isso, está na hora de traçar um esboço geral de seu texto, ou seja, definir qual a estratégia argumentativa será adotada, se, imaginemos, uma análise das causas e das consequências ou se uma crítica às políticas implementadas para um certo problema social e uma avaliação dos resultados observados. Em termos mais práticos, você irá separar um pedaço de folha e nele irá dispor as teses a serem tratadas em cada parágrafo de desenvolvimento.

Assim, você conseguirá ter uma visão geral da sua argumentação e de em quais momentos determinada tese irá ser desenvolvida. Não se esqueça de que essa preparação para o texto deve ser feita de maneira rápida, pois há um limite de tempo para elaborar a redação. Além disso, caso você sinta que, no meio da escrita, existe um argumento mais relevante, isso não impede que seja alterado o plano inicial, desde que, é claro, não comprometa a tese geral do texto nem a coesão.

Para ter uma ideia melhor de como você pode organizar as ideias do seu texto, confira nossa aula sobre a estrutura básica do texto dissertativo para o ENEM:

Apresente os argumentos com clareza

Organizados os argumentos que serão desenvolvidos no texto, está na hora de começar a escrever. Lembre-se de que o principal objetivo de um texto dissertativo-argumentativo é defender uma tese ou um ponto de vista. Por isso, a clareza é fundamental, uma vez que somente o que pode ser compreendido pode convencer.

Mas como conseguimos manter a clareza do texto? Simples! Há algumas recomendações que, se seguidas, garantirão esse atributo. Vamos ver três basilares.

Primeiramente, deve-se procurar evitar vocabulário complexo, composto por arcaísmos, jargões ou gírias. Uma expressão simples, com palavras de uso comum, empregadas de maneira precisa, garantirá que seu leitor não se perca em determinado trecho.

Em segundo lugar, desenvolva os períodos de forma direta e objetiva, ou seja, sem empregar excessivamente orações ou locuções intercaladas ou deslocadas às principais. Quanto mais expressões se tem dentro de uma frase, mais complicado fica entendê-la com facilidade.

Por fim, organize seu texto em parágrafos bem definidos, cujas funções estejam claras para o leitor – introduzir, desenvolver e concluir. Prefira, no caso do ENEM, uma estrutura em cinco parágrafos, com três desenvolvimentos. Isso lhe possibilitará diversificar as estratégias argumentativas, além de tornar clara a disposição de cada abordagem no texto.


Então, gostou das dicas? Sentiu que elas ajudaram você a pensar melhor em como melhorar sua redação? Conte para a gente suas impressões! E se quiser saber dos nossos cursos, não deixe de entrar em contato com os nossos consultores. Eles estarão prontos para ajudar na escolha do melhor curso para você! Você pode entrar em contato pelos pelos telefones:

Além disso, se houver algum assunto que gostaria de ler por aqui, não deixe de nos dar sua sugestão na seção de comentários!

Deixe seu Comentário

Comentários

CONTINUE LENDO