/7 dicas de crase para concurso!


7 dicas de crase para concurso!

por: Equipe Flávia Rita

Estudar crase para concurso é um desafio para muitos candidatos. Conteúdo recorrente nos editais de concurso público, é fundamental compreender as regras e as exceções. Mas, você sabe o que é a crase? Como usá-la corretamente? Nesse post, você vai aprender as melhores dicas.

Crase para concurso: o que é?

A crase nada mais é do que a fusão de duas vogais. É a fusão entre o artigo “a” e a preposição “a”, ou também pode acontecer entre a preposição “a” com os pronomes “aquele”, “aquela”. É representada por um acento grave (`). Achou confuso?

Observe:

  • Obedecemos à norma

Relembrando:

O artigo tem a função de acompanhar o substantivo, e será o responsável por indicar se está sendo empregado de maneira definida ou indefinida.

  • A vaca ( artigo definido)
  • Uns peixes ( artigo indefinido)

Preposição tem a função de estabelecer sentido e dependência entre palavras e orações. As principais são:  ante, a, até, sobre, para, perante, entre outras.

A crase consiste na fusão entre o artigo e a preposição.

Crase: quando ocorre?

Fig.1 – Quando ocorre crase?

Está se sentindo mais confiante para aprender de uma vez crase para concurso? Preste muita atenção, porque vamos começar a explicar as principais regras. A crase ocorre:

  • Quando o termo regente exigir a preposição a
  • Quando o termo consequente admitir o artigo a ou ser um demonstrativo iniciado pela a

Exemplo:

  • Referiu-se ( a+a ) à mulher
  • Conheci a ( somente artigo) mulher

Crase para concurso: casos proibidos

Prepare um café, e preste muita atenção neste tópico. É um dos preferidos das organizadoras de concurso público.

Não se usa crase :

Antes de palavras masculinas no geral:

  • Pagamentos a prazo devem ser discutidos na empresa

Antes de artigos indefinidos ( um, uma, uns, umas):

  • Referiu-se a uma decisão do vereador.

Entre palavras repetidas que façam parte de expressões idiomáticas

  • boca a boca
  • cara a cara

Muito cuidado para não confundir, quando a crase se tratar de um objeto indireto:

Comparou (VTDI) sua boca (OD) à boca de outras moças (OI)

Antes de numerais cardinais ( exceção de horas):

  • Minha fazenda fica a dois quilômetros da cidade.
    De 20 a 30 de dezembro ocorrerá o evento da empresa.

Antes de nomes próprios completos

  • Referia-se a Flávia Rita Coutinho Sarmento

Antes de uma palavra plural quando o “a” estiver no singular

  • Os brasileiros não obedecem a leis de trânsito

ATENÇÃO:
Se o mesmo a vier seguido por S no plural, terá crase:
Era favorável às decisões judiciais

Depois de preposição ( exeto até)

  • Jurou perante a justiça falar a verdade
    A reunião foi marcada para as duas horas da tarde

Em sujeito:

  • A medida que o governo usou foi adequada.

Antes de pronomes pessoais ( eu, tu, ela..)

  • Era favorável a ela, mas não a mim.

Antes de pronome de tratamento ( exceto senhora e senhorita)

  • Enviou o parecer a sua senhoria

Antes de pronomes indefinidos ( cada, alguma, nenhuma, qualquer, tudo ..)

  • Preferia a sua ideia a cada opinião diferente.

Antes de verbos no infinitivo:

  • Aprender a estudar

Crase para concurso: casos especiais!

Dentro dos conteúdos de crase para concurso, esse, também, é um tópicos mais importantes. Por isso, muita atenção, e aproveite para conferir as melhores dicas sobre concordância nominal. 

Antes das palavras casa, terra e distância TERÁ crase se houver determinante:

  • Voltaram à terra natal depois de alguns anos.

Antes de topônimos ( nomes de lugar), femininos admitem crase (da)

  • Voltaram à Bahia ontem

Nas formas a qual e as quais terá crase sempre que o termo consequente exigir a preposição a:

  • A lei à qual o homem se referiu já não tinha mais valor

Quando a crase é facultativa?

Existem alguns casos em que o uso da crase é facultativo. Sugiro que acrescente no seu resumo:

Antes de pronomes possessivos femininos no singular que NÃO subentendam palavra:

  • Referiu-se a sua ideia.
    Era favorável a nossa atitude.
Isso também pode lhe interessar:
  Edital concurso TRT GO:nível médio e superior. Remuneração até R$ 12 mil!

Depois da preposição até

  • Depois de até a preposição a será facultativa
  • Chegou até o colégio

Antes de nomes próprios femininos ( sem sobrenome)

  • Refiro-me a Maria

Crase para concurso: casos obrigatórios

Fig.2 Atenção! Casos obrigatório de crase

Se houver fusão entre a preposição a e um artigo definido a

  • Dirigia-se à direção da escola

Se houver fusão entre a preposição a e um pronome demonstrativo iniciado pela letra a ( aquele, aquela)

  • Preferia isso àquele produto

Em expressões adverbiais, prepositivas ou conjuntivas ( circunstâncias) formadas por palavras femininas:

à noite, à tarde, à medida que (…)

Em indicações de horas:

  • Chegou às duas horas.

Em expressões que subentendam as palavras moda/maneira de

  • Escrevia à Machado de Assis
    ( à maneira de)

Atenção: 

Não se usa crase em expressões como:

  • a partir de 16 a 20 de setembro ou de 16 a 20 de setembro
  • Entre numerais: 20% a 15%

Dicas de estudo

Como estudar crase para concurso? Para memorizar todas as regras, exceções e conhecer o perfil de cobrança da sua organizadora, o segredo é treino e dedicação. Desta forma, assim que terminar de estudar a parte teórica sobre crase, faça exercícios, principalmente da banca organizadora do seu concurso.

Lembre-se de que não basta apenas resolver questão, é fundamental que você meça o seu percentual (%) de acerto e erro. Você pode fazer uma planilha simples, por exemplo. Faça isso para todos os conteúdos, para conhecer os seus pontos fortes e fracos.

Sempre resolva o máximo de questões que puder, e coloque no seu resumo as regras de crase. No seu ciclo de revisão, é só ler e relembrar as regras. Pode ter certeza de que o conteúdo ficará na sua cabeça. Para ajudar, confira esse material GRATUITO sobre crase. 

Confira algumas questões que já foram cobradas em prova:

2018 – FUNDEP ( Gestão de concursos) – CODEMIG

Releia o trecho a seguir:
“São afetos ligados à projeção de um horizonte de expectativas.”

Sobre o acento indicativo de crase nesse trecho, assinale a alternativa CORRETA.

a) O acento é obrigatório, pois o substantivo “projeção” não está determinado.
b) O acento é facultativo em função da regência do verbo “ligar”.
c) O acento é facultativo, apesar de ser regido pela palavra “ligados”.
d) O acento é obrigatório e resulta da contração de um artigo com uma preposição.

Gabarito: letra E

2018 – Cespe – CGM de João Pessoa/ PB

Acerca das propriedades linguísticas do texto precedente, julgue o item subsequente.

No trecho “Diga não às ‘corrupções’ do dia a dia”, seria correto o emprego do sinal indicativo de crase no vocábulo “a” em “dia a

( ) Certo ( ) Errado

Gabarito: errado

2018 – Consulplan – CMBH

O uso do acento grave indicador de crase só é opcional em
 a) “Os melhores dados com relação à existência de outros planetas vêm do satélite da NASA Kepler […]”
b) “Agora que temos a certeza de que existe um número enorme de planetas com características físicas semelhantes às da Terra […]”
 c) “Marcando o tempo que demora para o planeta passar em frente à estrela […] é possível determinar o tamanho e massa do planeta.”
 d) “[…] quando um planeta passa em frente à sua estrela (por exemplo, Vênus passando em frente ao Sol) o brilho da estrela é ligeiramente diminuído.”

Gabarito: letra D

2018 – Consulplan – CMBH

O despreparo da geração mais preparadaA crença de que a felicidade é um direito tem tornado despreparada a geração mais preparada. Preparada do ponto de vista das habilidades, despreparada porque não sabe lidar com frustrações. Preparada porque é capaz de usar as ferramentas da tecnologia, despreparada porque despreza o esforço. Preparada porque conhece o mundo em viagens protegidas, despreparada porque desconhece a fragilidade da matéria da vida. E por tudo isso sofre, sofre muito, porque foi ensinada a acreditar que nasceu com o patrimônio da felicidade. E não foi ensinada ___ criar _____ partir da dor.Há uma geração de classe média que estudou em bons colégios, é fluente em outras línguas, viajou para o exterior e teve acesso à cultura e à tecnologia. Uma geração que teve muito mais do que seus pais. Ao mesmo tempo, cresceu com a ilusão de que a vida é fácil. Ou que já nascem prontos – bastaria apenas que o mundo reconhecesse a sua genialidade.Tenho me deparado com jovens que esperam ter no mercado de trabalho uma continuação de suas casas – onde o chefe seria um pai ou uma mãe complacente, que tudo concede. Foram ensinados a pensar que merecem, seja lá o que for que queiram. E quando isso não acontece – porque obviamente não acontece – sentem-se traídos, revoltam-se com a “injustiça” e boa parte se emburra e desiste.

Isso também pode lhe interessar:
  Concordância Nominal para concursos!

Como esses estreantes na vida adulta foram crianças e adolescentes que ganharam tudo, sem ter de lutar por quase nada de relevante, desconhecem que a vida é construção – e para conquistar um espaço no mundo é preciso ralar muito. Com ética e honestidade – e não a cotoveladas ou aos gritos. Como seus pais não conseguiram dizer, é o mundo que anuncia a eles que: viver é para os insistentes.

Por que boa parte dessa nova geração é assim? Penso que este é um questionamento importante para quem está educando uma criança ou um adolescente hoje. Nossa época tem sido marcada pela ilusão de que a felicidade é uma espécie de direito. E tenho testemunhado a angústia de muitos pais para garantir que os filhos sejam “felizes”. Pais que fazem malabarismos para dar tudo aos filhos e protegê-los de todos os perrengues – sem esperar nenhuma responsabilização nem reciprocidade.

Nossa classe média parece desprezar o esforço. Prefere a genialidade. O valor está no dom, naquilo que já nasce pronto. Dizer que “fulano é esforçado” é quase uma ofensa. Ter de dar duro para conquistar algo parece já vir assinalado com o carimbo de perdedor. Bacana é o cara que não estudou, passou a noite na balada e foi aprovado no vestibular de Medicina. Este atesta a excelência dos genes de seus pais. Esforçar-se é, no máximo, coisa para os filhos da classe C, que ainda precisam assegurar seu lugar no país.

Da mesma forma que supostamente seria possível construir um lugar sem esforço, existe a crença não menos fantasiosa de que é possível viver sem sofrer. De que as dores inerentes a toda vida são uma anomalia e, como percebo em muitos jovens, uma espécie de traição ao futuro que deveria estar garantido. Pais e filhos têm pagado caro pela crença de que a felicidade é um direito. E a frustração um fracasso. Talvez aí esteja uma pista para compreender a geração do “eu mereço”.

(Eliane Brum. Disponível em: http://www.portalraizes.com/28-2/. Fragmento.)

No primeiro parágrafo, há lacunas que devem ser preenchidas, de acordo com a norma-padrão da língua portuguesa, com, respectivamente:
a) a / a.
b) a / à.
c) à / a.
 d) à / à.
Gabarito: letra A

Cada organizadora tem um tipo diferente de cobrança, por isso, é essencial que você treine para conhecer as particularidades de cada uma.

Conseguiu aprender crase para concurso? Leia esse post com muita atenção e faça um resumo dos principais tópicos. 

Qual conteúdo de português você tem dificuldade? Envie o seu comentário para a gente!

Equipe Flávia Rita