/Como estudar Português para o Cespe/Cebraspe


Como estudar Português para o Cespe/Cebraspe

829

por: Equipe Flávia Rita

Você já fez ou anda pensando em fazer um concurso cuja banca organizadora é o Cespe/Cebraspe? Ficou com medo da fama e das famosas “uma falsa anula uma verdadeira”? Então vamos ver como você deverá estudar para a sua prova de português de forma a não perder nenhum ponto! Aqui você verá quais são os conteúdos mais cobrados pela banca e poderá treinar com algumas questões comentadas dos últimos certames realizados! Vamos lá?

CESPE/CEBRASPE – CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISA EM AVALIAÇÃO E SELEÇÃO E DE PROMOÇÃO DE EVENTOS

O Cespe/Cebraspe – Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos – é uma das organizadoras mais conceituadas no universo dos concursos públicos. Responsável pela realização de diversos grandes certames, como TRT’s, tribunais superiores, carreira diplomática, Ministério Público, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal, entre tantos outros, a banca se notabiliza pela cobrança de conteúdos elaborados e pela estrutura de prova que penaliza a resposta aleatória.

Trata-se de uma instituição de educação destinada a realizar avaliações, seleções, certificações e pesquisas.

CARACTERÍSTICAS DA PROVA DE PORTUGUÊS APLICADA PELO CESPE/CEBRASPE

As provas do Cespe/Cebraspe são caracterizadas por trazerem questões diretas mais analíticas, no perfil certo ou errado. Ocasionalmente, há questões de múltipla escolha, com cinco alternativas. Nas questões de certo ou errado, é comum uma resposta errada anular uma certa, de forma a diminuir a aleatoriedade das respostas e, com isso, selecionar de forma mais precisa os candidatos que possuam conhecimento dos conteúdos.

CONTEÚDOS DE PORTUGUÊS MAIS RELEVANTES PARA O CESPE/CEBRASPE

Como outras bancas, o Cespe/Cebraspe tem um rol de conteúdos preferenciais, que costumam aparecer com maior frequência em suas provas. Entender esses conteúdos e dominá-los poderá garantir aqueles pontos determinantes para a aprovação no concurso.

Então, quando estiver estudando, procure dar preferência para as seguintes matérias:

  • Oração adjetiva – justificativa para o sinal de pontuação e mudança de sentido;
  • Verbo Haver – correção sintática na substituição pelo verbo existir e análise sintática;
  • Substituição dos sinais de pontuação;
  • Justificativa para o emprego de sinais de pontuação;
  • Conectores – substituição, carga semântica, inclusive conectores;
  • Conectores especiais – ajuste gramatical na substituição de conectores semanticamente semelhantes;
  • Crase – caso facultativo e justificativa para o uso da crase;
  • Concordância – alteração da frase do singular para o plural, justificar concordância e sugerir alteração;
  • Classificação do “se” e do “que”;
  • Reestruturação das frases – passagem da voz ativa para a voz passiva, passagem da oração reduzida para a oração desenvolvida, vocabulário e aspectos gramaticais variados.

QUESTÕES APLICADAS PELO CESPE/CEBRASPE COMENTADAS

(Cespe. MPC-PA. Analista Ministerial. 2019) No período em que aparece no texto CG2A1-I, o segmento “devido à brusca queda na taxa de mortalidade” (l.2 e 3) expressa uma

a) condição.

b) concessão.

c) consequência.

d) conformidade

e) causa

Gabarito: Letra E

Comentário: O trecho “Na década de 1960, o mundo passou por um aumento populacional inédito devido à brusca queda na taxa de mortalidade, o que gerou preocupações sobre a capacidade dos países em produzir comida para todos” apresenta uma relação causal entre as orações, pois a segunda traz a razão para a primeira. Ou seja, “a brusca queda na taxa de mortalidade” foi a causa para o “aumento populacional inédito”. Portanto, a alternativa correta é a letra E.

(Cespe. MPC-PA. Analista Ministerial. 2019) No texto CG2A1-I, o termo “a questão” (l.14 e 15) remete à

a) pobreza

b) concentração de renda.

c) fome

d) produção de alimentos.

e) queda na taxa de mortalidade.

Gabarito: Letra C

Comentário: O termo questão se refere à “fome”, como se observa na análise do período: “Em 1981, o indiano ganhador do Prêmio Nobel de Economia, Amartya Sen, em seu livro Pobreza e Fomes, identificou a existência de populações com fome mesmo em países que não convivem com problemas de abastecimento. O economista indiano traçou então, pela primeira vez, uma relação causal entre fome e questões sociais como pobreza e concentração de renda. Tirou, assim, o foco de aspectos técnicos e mudou o tom do debate internacional sobre a questão e as políticas públicas a serem tomadas a partir daí”.

(Cespe. MPC-PA. Analista Ministerial. 2019) Sem alteração da correção gramatical e da coerência do texto CG2A1-I, o segmento “que não convivem com problemas de abastecimento.” (l.10) poderia ser reescrito da seguinte maneira:

a) em que não existe problemas de abastecimento.

b) onde não se coexistem com problemas de abastecimento

c) em que não têm registros de problemas de abastecimento

d) que não acontecem problemas de abastecimento.

e) onde não costuma haver problemas de abastecimento.

Gabarito: Letra E

Comentário: A letra A apresenta erro de concordância no emprego do verbo “existir”, pois ele deveria concordar em número com o sujeito plural “problemas de abastecimento”. A letra B apresenta tanto erro gramatical, no emprego do pronome reflexivo “se” em conjunto como verbo “coexistir”, quanto erro de sentido, já que esse foi alterado a partir do uso do verbo mencionado. A letra C apresenta mudança do sentido original, pois não ter registro não equivale a dizer que não convivem com o problema. A letra D também alterou o sentido original do texto, uma vez que problemas de abastecimento pontuais podem ocorrer sem que isso implique conviver com desabastecimentos. A letra E, por fim, está plenamente de acordo com as regras da norma culta, não tendo ocorrido alterações de sentido.

(Cespe. MPC-PA. Analista Ministerial. 2019) A correção gramatical do texto CG2A1-I seria preservada se fosse inserido sinal indicativo de crase em

a) “a demanda” (l.28)

b) “as políticas públicas” (l.15).

c) “a uma dieta” (l.21).

d) “a Terra” (l.29).

e) “a produção local” (l.35).

Gabarito: Letra A.

Comentário: A letra A está gramaticalmente correta, uma vez que é possível o emprego de crase na expressão “atender à demanda”. A letra B incorre em erro ao propor uso de crase depois da preposição “sobre”, que está elíptica no trecho, o que é proibido pela norma-padrão – “Tirou, assim, o foco de aspectos técnicos e mudou o tom do debate internacional sobre a questão e sobre as políticas públicas”. A letra C está errada, pois é proibido o uso de crase antes de artigo indefinido. A letra D é incorreta porque o verbo habitar é transitivo direto, não havendo preposição “a” para a contração da crase. A letra E, tal como a alternativa anterior, não está correta por inexistir preposição “a” nos verbos empregados, ambos transitivos diretos.

(Cespe. MPC-PA. Analista Ministerial. 2019) Cada uma das opções a seguir apresenta proposta de reescrita para o seguinte trecho do texto CG2A1-I: “Embora os números absolutos estejam caindo, o tema ainda é um dos mais delicados da agenda internacional.”(l.36 e 37). Assinale a opção em que a proposta de reescrita apresentada mantém os sentidos e a correção gramatical do texto.

a) Visto que os números absolutos estão caindo, o tema ainda é um dos mais delicados da agenda internacional.

b) O tema ainda é um dos mais delicados da agenda internacional contanto que os números absolutos estejam caindo.

c) À medida que os números absolutos caiam, o tema ainda será um dos mais delicados da agenda internacional.

d) Apesar de os números absolutos estarem caindo, o tema ainda é um dos mais delicados da agenda internacional.

e) O tema ainda será um dos mais delicados da agenda internacional consoante os números absolutos estejam caindo.

Gabarito: Letra D.

Comentário: Observa-se no trecho “Embora os números absolutos estejam caindo, o tema ainda é um dos mais delicados da agenda internacional” uma relação de concessão entre ambas as orações. Desse modo, para a correção da reescrita, é necessário que se mantenha o sentido a partir do emprego de termos concessivos. A letra A estabelece uma relação causal com a conjunção “visto que”, alterando o sentido original. A letra B traz uma locução conjuntiva subordinativa condicional – contanto que – que não atende ao comando da questão. A letra C apresenta uma relação de proporção com a locução conjuntiva “à medida que”, o que modifica o sentido do trecho original. Além disso, a correlação entre os tempos verbais está inadequada. A letra D é o gabarito da questão porque preserva o sentido com o uso da conjunção concessiva “apesar de”. A letra E traz uma conjunção conformativa – consoante, o que altera o sentido original.

(Cespe. MPC-PA. Analista Ministerial. 2019) No texto CG2A1-I, seriam preservados a correção gramatical e os sentidos do trecho “Um exemplo da extensão do problema está na declaração dada em 2017 pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), segundo a qual 1,4 milhão de crianças, de quatro diferentes países da África — Nigéria, Somália, Iêmen e Sudão do Sul —, corre risco iminente de morrer de fome” (l.38 a 42) se

a) os travessões fossem substituídos por parênteses.

b) uma vírgula fosse empregada logo após “problema”.

c) o segmento “segundo a qual” fosse isolado entre vírgulas.

d) a vírgula empregada logo após “crianças” fosse suprimida.

e) o travessão logo após “África” fosse substituído por dois-pontos.

Gabarito: Letra A.

Comentário: O duplo travessão desempenha a mesma função dos parênteses ou das vírgulas, de modo que pode ser substituído por esses sem qualquer incorreção gramatical. Assim, a letra A mostra alternativa adequada às regras da norma culta e ao comando da questão, sendo, por isso, o gabarito. A letra B está errada porque sugere uma vírgula entre o sujeito e o predicado, o que é proibido pela gramática normativa. A letra C apresenta proposta de pontuação que contraria a norma-padrão. Já a supressão da vírgula proposta pela letra D implicaria alteração de sentido, uma vez que a oração subordinada adjetiva explicativa passaria a ser adjetiva restritiva. Por fim, a letra E incorre em erro de pontuação, já que a substituição proposta ainda manteria o travessão após “Sudão do Sul”.

(Cespe. MPC-PA. Analista Ministerial. 2019Embora busque chamar a atenção para o problema da fome, o autor do texto CG2A1-I reconhece que ela foi reduzida em nível mundial. Para enfatizar no texto o que essa redução representa, o autor

a) transcreve a opinião de especialistas sobre as medidas de combate à fome ao

b) apresenta dados estatísticos da FAO que alertam sobre a dimensão do problema da fome em nível mundial.

c) cita diversos países africanos onde a fome assola a maioria da população pobre.

d) compara à população total brasileira a parcela da população mundial que, em menos de trinta anos, superou a fome.

e) indica a obra Pobreza e Fomes, que rendeu ao autor indiano Amartya Sen o Prêmio Nobel de Economia em 1981.

Gabarito: Letra D.

Comentário: Segundo o terceiro parágrafo do texto: “As últimas décadas foram de grande evolução no combate à fome em escala global. Nos últimos 25 anos, 7,7% da população mundial superou o problema, o que representa 216 milhões de pessoas. É como se mais que toda a população brasileira saísse da subnutrição em menos de três décadas”. Com isso, percebe-se que a estratégia argumentativa utilizada pelo autor foi a comparação quantitativa entre a população brasileira e o número de pessoas que abandonaram a fome. Portanto, correta a letra D.


 (Cespe. MPC-PA. Analista Ministerial. 2019)

A correção gramatical e os sentidos do texto CG1A1-I seriam mantidos se a expressão “mas também” (l.49 e 50) fosse substituída por

a) tanto quanto.

b) inclusive

c) assim como.

d) senão também.

e) porém.

Gabarito: Letra D

Comentário: A expressão “mas também” é classificada como uma locução conjuncional correlativa aditiva, sendo empregada em conjunto com as formas “não só” ou “não apenas”. Nesse sentido, percebe-se a ideia de adição no trecho “A bioeconomia contempla não apenas setores tradicionais como agricultura, silvicultura e pesca, mas também setores como as biotecnologias e bioenergias”, a qual será preservada com o emprego da locução “senão também”. As demais alternativas não apresentam proposta de substituição adequada, pois alteram o sentido o original.


(Cespe. Prefeitura de Boa Vista. Procurador Municipal. 2019)

A respeito dos aspectos linguísticos do texto CB1A1-II, julgue o item subsecutivo.

Os termos “da contribuição de brancos, negros e índios” (l.4) e “de escravos” (l.20) desempenham a mesma função sintática nos períodos em que ocorrem.

  • Certo
  • Errado

Gabarito: Errado.

Comentário: A questão está errada, pois o trecho “O Brasil celebra a mistura da contribuição de brancos, negros e índios na formação da nacionalidade […]” desempenha função sintática de complemento nominal, uma vez que se encontra preposicionado, acompanhando substantivo abstrato. Por sua vez, os termos destacados do trecho “Essa mistura não era desejável, pois se tratava de escravosexerce a função de objeto indireto, uma vez que complementam o sentido de um verbo transitivo indireto – “tratar de”. Portanto, a afirmação de que a função sintática desempenhada por ambas as expressões seria a mesma é incorreta.


(Cespe. CGE-CE. 2019)

No texto CB1A1-I, o sujeito da oração “Era custoso” (l.5) é

a) o segmento “acreditar que morasse alguém naquele cemitério de gigantes” (l. 5 e 6).

b) o trecho “alguém naquele cemitério de gigantes” (l.6).

c) o termo “custoso” (l.5).

d) classificado como indeterminado.

e) oculto e se refere ao período “Nem o ar tinha esperança de ser vento” (l. 4 e 5).

Gabarito: Letra A

Comentário: O sujeito da oraçãoEra custoso acreditar que morasse alguém naquele cemitério de gigantes” é oracional, sendo representado pelo segmento “acreditar que morasse alguém naquele cemitério de gigantes”. Desse modo, tem-se como única alternativa correta a letra A. As demais identificam termos que não atuam como o sujeito da oração.


(Cespe. Instituto Hospital Base do Distrito Federal. Técnico de Enfermagem. 2018)

Considerando os aspectos linguísticos do texto precedente e as informações nele veiculadas, julgue o próximo item.

O sujeito da forma verbal “é” (ℓ.4) está elíptico e retoma “um chamado” (ℓ.2), o que justifica a flexão verbal na terceira pessoa do singular.

  • Certo
  • Errado

Gabarito: Errado

Comentário: A questão está parcialmente correta, pois o sujeito encontra-se, sim, elíptico. Entretanto, o termo retomado, não é “um chamado”, mas “a real situação”.

(Cespe. Instituto Hospital Base do Distrito Federal. Técnico de Enfermagem. 2018) Considerando os aspectos linguísticos do texto precedente e as informações nele veiculadas, julgue o próximo item.

Na linha 10, os termos “um amigo” e “preparados” exercem a mesma função sintática nos períodos em que se inserem.

  • Certo
  • Errado

Gabarito: Errado

Comentário: O termo “um amigo” exerce a função de objeto direto do verbo transitivo direto “encontrar”. Já “preparados” atua, no período seguinte, como predicativo do sujeito ““condutores, técnicos de enfermagem, enfermeiros e médicos”. Como as funções sintáticas não são equivalentes, o item encontra-se incorreto.


Texto CB1A1AAA

(Cespe. STJ. Analista Judiciário. 2018) Com relação às ideias e aos aspectos linguísticos do texto CB1A1AAA, julgue o próximo item.

No terceiro parágrafo, com o emprego de “porém” (l.17), o autor expressa uma oposição entre a ideia de “racionalização e secularização” (l.16) do conceito de dignidade humana e a manutenção da “igualdade de todos os homens em dignidade e liberdade” (l. 17 e 18).

  • Certo
  • Errado

Gabarito: Errado.

Comentário: Com relação ao terceiro parágrafo do texto, o emprego da conjunção adversativa “porém” estabelece uma relação de oposição entre a ideia de mudança que ocorre no “procedimento de racionalização e secularização” e a ideia de manutenção da “noção básica da igualdade de todos os homens em dignidade e liberdade”. Ou seja, a relação de oposição não se estabelece entre as ideias de “racionalização e secularização”, como asseverado pela questão, mas, sim, entre as noções de procedimento/mudança desses fenômenos e de manutenção da “noção básica da igualdade”. Lembre-se sempre que conjunções estabelecem relações lógicas entre orações e não entre palavras. Portanto, por não haver a forma verbal indicativa de “mudança” no trecho inicial do item, a assertiva encontra-se incorreta.

(Cespe. STJ. Analista Judiciário. 2018) Com relação às ideias e aos aspectos linguísticos do texto CB1A1AAA, julgue o próximo item.
Conclui-se do texto, especialmente pelo emprego de “Incensurável” (l.20), que seu autor considera correto o posicionamento de Kant sobre a dignidade humana.

  • Certo
  • Errado

Gabarito: Certo.

Comentário:Conforme o texto, o uso da palavra “incensurável”, classificada como adjetivo, expressa a opinião do autor, de modo que é correta a assertiva, conforme se observa do seguinte  trecho: “Nesse período, destaca-se a concepção de Emmauel Kant de que a autonomia ética do ser humano é o fundamento da dignidade do homem. Incensurável é a permanência da concepção kantiana no sentido de que a dignidade da pessoa humana repudia toda e qualquer espécie de coisificação e instrumentalização do ser humano”.

(Cespe. STJ. Analista Judiciário. 2018) Com relação às ideias e aos aspectos linguísticos do texto CB1A1AAA, julgue o próximo item.A correção do texto seria mantida caso o pronome “se”, em “poder-se-ia falar” (l.5), fosse deslocado para imediatamente após a forma verbal “falar”, escrevendo-se poderia falar-se.

  • Certo
  • Errado

Gabarito: Certo

Comentário: No trecho, tem-se uma estrutura composta com o verbo “poder” no futuro do pretérito do indicativo e com o verbo “falar” no futuro do presente do indicativo. O primeiro, em razão de seu tempo verbal, aceita a formação de mesóclise, o que torna correta a forma apresentada. Caso a partícula “se” fosse deslocada para antes do verbo, a forma não estaria incorreta, embora não fosse recomendada em face da regra de próclise após a vírgula. Quanto à alteração proposta pela questão – “poderia falar-se” –, está de acordo com a norma culta da língua e com as regras gramaticais, pois a colocação será sempre facultativa por motivo de o verbo encontrar-se no infinitivo.

(Cespe. STJ. Analista Judiciário. 2018) Com relação às ideias e aos aspectos linguísticos do texto CB1A1AAA, julgue o próximo item. Seria mantida a coerência do texto se o trecho “a partir das” (l.8) fosse substituído ou por com base nas ou por desde as, embora essas duas expressões tenham sentidos distintos.

  • Certo
  • Errado

Gabarito: Certo.

Comentário: Observe que a questão exige apenas a manutenção da coerência textual, o que permite entender ser possível pequenas alterações de sentido. Com isso, conforme a estrutura sintática presente no texto, a alteração do trecho “a partir das(“a partir das formulações de Cícero”) por “com base nas(“com base nas formulações de Cícero”) ou por “desde as(“desde as formulações de Cícero”) não implicará erro gramatical nem prejuízo à coerência textual, embora apresente pequenas variações de sentido. Portanto, a questão está correta porque se encontra de acordo com as regras de gramática.

Está se preparando para concursos do Cespe? Não deixe de conhecer a nossa Preparação Permanente para Concursos Cespe!


Acertou todas as questões? Teve alguma dificuldade? Por isso é importante sempre treinar com questões, pois é o momento em que você identifica os conteúdos mais deficientes e que, por isso, necessitam de revisão. Se você achou esse texto interessante, não esqueça de deixar sua opinião nos comentários 🙂 e caso você tenha algum tema que queira ler por aqui, nos avise, que iremos tentar escrever um texto exclusivo para ele!

Leia mais:

Deixe seu Comentário

Comentários