/Concurso TJMG 2ª instância 2019: IBFC será a organizadora. Edital iminente!


Concurso TJMG 2ª instância 2019: IBFC será a organizadora. Edital iminente!

10933

por: Equipe Flávia Rita

Atenção: a banca IBFC foi definida como organizadora do concurso do Tribunal de Justiça da 2ª instância de Minas Gerais.

O concurso TJMG 2ª instância 2019 é um dos mais aguardados, e o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC) será o responsável pelo certame. A banca foi escolhida por meio do pregão eletrônico no dia 08 de janeiro. O contrato entre as partes deve ser assinado nos próximos dias.

O pregão para escolha da banca organizadora do concurso TJMG 2ª instância começou no dia 11 de dezembro, e as empresas participantes enviaram as suas ofertas. Porém, a sessão foi suspensa e a previsão é que seja retomada no dia 13 de dezembro, a partir das 15h.

As seguintes bancas enviaram as propostas:

  • Instituto Nosso Rumo
  • Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação
  • Consulplan
  • Empresa de Seleção Pública e Privada
  • Fundação Guimarães Rosa
  • Instituto AOCP
  • Locaflex Eireli
  • Instituto Nacional de Concurso Público
  • Cebraspe

Concurso TJMG 2ª instância 2019: outras notícias

Apesar de ter sido divulgado o projeto básico para a contratação da banca responsável pelo concurso TJMG 2ª instância, a sessão que estava prevista para acontecer no dia 19 de setembro foi suspensa:

O motivo foi para a readequação do projeto básico de acordo com a Coordenação de Apoio à Licitação do TJMG. Por isso, o projeto para a escolha da banca deverá ser, novamente, publicado. Os interessados devem manter o foco nos estudos, pois a suspensão não inviabilizará a ocorrência do certame.

O concurso vai oferecer oportunidades para o cargo de Técnico Judiciário, nível superior, e Oficial Judiciário, nível médio.O valor da inscrição será de R$ 70,00 para os cargos de nível médio e R$ 90,00 para superior. O quantitativo das vagas ainda não está definido, por isso, não perca tempo e comece a sua preparação.Confira o documento do projeto básico!

Concurso TJMG 2ª instância 2019: especialidade dos cargos

O concurso TJMG 2ª  2019 instância deve contar com as seguintes oportunidades:

Oficial Judiciário – Especialidade: Assistente Técnico de Controle Financeiro
Conteúdos da prova objetiva:
– Língua Portuguesa
– Noções de Direito
– Noções de Informática
– Conhecimentos Específicos (por especialidade)
– Raciocínio Lógico-Matemático

Oficial Judiciário – Especialidade: Assistente Técnico de Sistemas
Conteúdos da prova objetiva:
– Língua Portuguesa
– Noções de Direito
– Inglês Técnico
– Conhecimentos Específicos (por especialidade)
– Raciocínio Lógico-Matemático

Oficial Judiciário – Especialidade: Oficial Judiciário
Conteúdos da prova objetiva:
– Língua Portuguesa
– Noções de Direito
– Noções de informática
– Atos do ofício
– Raciocínio Lógico-Matemático

Oficial Judiciário – Especialidades: Enfermeiro, Engenheiro Civil, Engenheiro Eletricista, Engenheiro Mecânico, Estatístico e Médico
Conteúdos da prova objetiva:
– Língua Portuguesa
– Noções de Direito
– Noções de informática
– Conhecimentos Específicos (por especialidade)
– Raciocínio Lógico-Matemático

Técnico Judiciário – Especialidade: Administrador de Banco de Dados, Administrador de Rede e Analista de Sistemas
Conteúdos da prova objetiva:
– Língua Portuguesa
– Noções de Direito
– Inglês Técnico
– Conhecimentos Específicos (por especialidade)
– Raciocínio Lógico-Matemático

Técnico Judiciário – Especialidade: Técnico Judiciário
Conteúdos da prova objetiva:
– Língua Portuguesa
– Noções de informática00
– Conhecimentos Específicos (por especialidade)
– Raciocínio Lógico-Matemático

Concurso TJMG 2019: comissão para o certame

A comissão  para o concurso foi formada segundo o Ofício do desembargador Wagner Wilson Ferreira, que é o segundo vice-presidente e solicitou o sorteio do nome de dois desembargadores para integrarem a Comissão  Examinadora do próximo Concurso Público para provimento de vagas do Quadro de Pessoal da Secretaria do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais.

Nesse sentido, os seguintes desembargadores demonstraram interesse: Carlos Henrique Perpétuo Braga, Desembargador José Américo Martins Costa, Desembargador Pedro Coelho Vergara; Desembargador Edison Feital Leite e Desembargador Paulo Calmon Nogueira da Gama. Foram sorteados e aprovados os desembargadores: José Américo Martins da Costa e Pedro Coelho Vergara

Sobre o último concurso TJMG 2ª instância

O último concurso TJMG 2ª instância ocorreu em 2011 e foi organizado pela FUMARC. A oportunidade contou com cadastro reserva e a remuneração variava de R$ 2.057,67 a R$ 3.222,39. 

O concurso TJMG teve oportunidades para nível médio e superior em diversas áreas. Os candidatos foram avaliados por meio de provas objetivas, em que foram cobradas as seguintes disciplinas:

 

Na ocasião, os todos os candidatos foram avaliados por meio de provas objetivas, mas para o cargo de técnico judiciário – áreas específicas – também teve redação. As provas foram aplicadas em Belo Horizonte, e teve o tempo de duração de 4 horas.  As provas objetivas do concurso TJMG tiveram 70 questões.

TJMG : cargos vagos

De acordo com o portal transparência do TJMG, existem 42 servidores que atuam no cargo de Técnico de Apoio Judiciário de 2ª instância e para o cargo de Oficial Judiciário são 835 cargos vagos

Confira o último edital do TJMG 2ª instância!

Sobre o último concurso TJMG 1ª instância

Em 2017, foi divulgado o edital do concurso TJMG 1ª instância. Descubra a diferença entre a 1ª e a 2ª instância, agora! Foram oferecidas 15 vagas imediatas, além da formação de cadastro reserva. No total, o concurso TJMG contou com 10 vagas para o cargo de Oficial de Apoio Judicial ( classe D) e 5 para Oficial Judiciário (classe D) – comissário de infância e juventude.

As provas para o concurso TJMG foram aplicadas no dia 24 de setembro em Belo Horizonte, Governador Valadares, Diamantina, Juiz de Fora, Montes Claros, Uberlândia e Varginha. Para o cargo de Oficial de Apoio Judicial também teve prova prática de digitação, que foi de caráter eliminatório.

Como estudar para o concurso TJMG 2ª instância?

Como o edital ainda está previsto e a banca organizadora não está definida, este é o melhor momento para começar a sua preparação para o concurso TJMG 2ª instância.

É necessário que você tenha um foco, ou seja, não adianta atirar para todos os lados. Se o seu foco é o concurso TJMG 2ª instância, direcione os seus estudos para ele, mas se durante a sua preparação surgir outra prova que tenha conteúdo semelhante tente. Quem sabe você não garante a sua aprovação?

Não é só estudar, mas estar disposto a pagar o preço. É necessário dar o melhor de si para conseguir excelentes resultados, por isso, mantenha o foco em você e não se compare com as outras pessoas. Lembre-se de que cada um é responsável pelo seu próprio caminho e tem as suas dificuldades e limitações.

Enquanto você estuda para o concurso TJMG 2018 2ª instância, não abra mão e atividade física. Separe um tempo para andar, caminhar ou fazer qualquer outra atividade que goste. Isso vai ajudar na memorização, viu?

No seu planejamento deixe uma parte para descansar e ficar com as pessoas que ama. Descansar e fazer pausas é essencial para relaxar a mente e vai fazer muito bem a você. O segredo do sucesso é o equilíbrio e a persistência.

Vamos começar os estudos para o concurso TJMG? Que a prioridade a partir de agora seja a sua posse! 

Também, temos cursos específicos para ambos os cargos:

Curso on-line: Teoria + Exercícios para concurso – TJMG 2ª Instância – Cargo de Oficial Judiciário – Especialidade Oficial Judiciário – Todas as Disciplinas

  • Língua Portuguesa / Flávia Rita
  • Técnico de Estudos / Flávia Rita
  • Direito Constitucional / Augusto Vieira
  • Direito Administrativo / Barney Bichara
  • Noções de Informática
  • Regimento Interno / Carol Mesquita
  • Atos de Oficio Penal / Luciana Buval
  • Atos de Oficio Cível / Luciana Matos

Aproveite para assistir a uma aula GRATUITA , agora!

Curso on-line: Teoria + Exercícios para concurso – TJMG 2ª Instância – Cargo de Oficial Judiciário – demais especialidades

  • Língua Portuguesa / Flávia Rita
  • Técnico de Estudos / Flávia Rita
  • Direito Constitucional / Augusto Vieira
  • Direito Administrativo / Barney Bichara
  • Regimento Interno / Carol Mesquita
  • Noções de Informática

 

 

 Questões de prova

A última organizadora do concurso TJMG 2ª instância foi a banca FUMARC. A organizadora do próximo certame ainda não está definida, mas separamos algumas questões da FUMARC para você treinar e conferir como está o seu desempenho. Vamos lá?

 

2016 – Câmara de Lagoa da Prata – FUMARC

Há hiato em:

a) caixa

b) lei

c) moinho

d) sauna

Gabarito: letra B 

2011 – Prefeitura de Ouro Preto – FUMARC

A alternativa, cujos vocábulos recebem acento gráfico, pelas mesmas razões dos indicados a seguir, é:

a) plúmbeo – monástica – francês – j

b) você – asiática – levá-la – lá.

c) correspondência – Cláudia – recém – é.

d) súbito – ecumênica – céu – à.

e) libertárias – África – está – há.

Gabarito: letra E

2013 – TJMG – FUMARC

  1. Faltai, em suma, a vossa palavra, se vos convierdes, mas não aviltais o Rio Grande na ignonímia do saque. Fazei a guerra, se quiserdes, mas guerra honesta, se honesta pode ser uma guerra sem ideais e sem princípios. Ficais certo que o Brasil inteiro se levanta, nesta hora, representando nos seus valores, como um só homem, para defesa e sustentação da ordem constitucional em todo território da República.(Faltai, em suma, à vossa palavra, se vos convier, mas não avilteis o Rio Grande na ignomínia do saque. Fazei a guerra, se quiserdes, mas guerra honesta, se honesta pode ser uma guerra sem ideais e sem princípios. Ficai certo de que o Brasil inteiro se levanta, nesta hora, representado nos seus valores, como um só homem, para defesa e sustentação da ordem constitucional em todo o território da República.)
  2. Não regateemos ao Brasil o nosso auxílio desinteressado. Nos momentos de crise nacional, a soma de todas, as pequenas e grandes, renúncias, suportadas estoicamente pela totalidade do país, dá o valor de uma pátria. A nossa salva de um regime de opróbios e de mentiras, graças à abnegação de seus filhos, é uma nobre pátria, dadivosa e boa, merecedora de todos sacrifícios.(Não regateemos ao Brasil o nosso auxílio desinteressado. Nos momentos de crise nacional, a soma de todas as pequenas e grandes renúncias, suportadas estoicamente pela totalidade do país, dá o valor de uma pátria. A nossa, salva de um regime de opróbrios e de mentiras graças à abnegação de seus filhos, é uma nobre pátria, dadivosa e boa, merecedora de todos os sacrifícios.) 
  3.  Não preciso indicar nem ampliar os perigos os quais nos rodeiam. Os povos fracos, herdeiros de base territorial vasta e rica, são, naturalmente, presa cobiçada. E não é apenas pela invasão manu- militari, que podem perder a sua independência e sofrer ameaças à sua soberania. Também isso acontece quando pela alienação das indústrias-chave se cedem os materiais estratégicos e se confia a mãos alheias os fatores capitais da defesa nacional.(Não preciso indicar nem ampliar os perigos que nos rodeiam. Os povos fracos, herdeiros de base territorial vasta e rica, são, naturalmente, presa cobiçada. E não é apenas pela invasão manu militari que podem perder a sua independência e sofrer ameaças à sua soberania. Também isso acontece quando pela alienação das indústrias-chave se cedem os materiais estratégicos e se confiam a mãos alheias os fatores capitais da defesa nacional.) (Textos disponíveis em: . Acesso em 28 jul. 2013.)

As intervenções propostas pelos revisores para os trechos acima, registradas nas transcrições entre parênteses, são ACEITÁVEIS em:

a) I e II, apenas.

b) I e III, apenas.

c) II e III, apenas.

d) I, II e III.

Gabarito: D

2010 – CEMIG TELECOM – FUMARC

Tendo em conta que, nos termos do Acordo Ortográfico de 1990, o “i” e o “u” não levam acento gráfico quando, em paroxítonos, ocorrem antecedidos de ditongo e que os ditongos abertos “ei” e “oi” não são acentuados nas palavras paroxítonas, assinale a alternativa em que TODAS as palavras tenham sido CORRETAMENTE grafadas.

a)miudos – distraido – conteúdo – juiz – úmido – joia – geleia – colmeia

b)Coréia – jiboia – estreia – gratuíto – tipoia – saída – graúdo – baús

c)Piauí – tuiuiús – feiura – juízes – assembleia – herói – coronéis – girassóis

d)reúnem-se – trairas – heroico – anzóis – papéis – suínos – fluido – plateia

Gabarito: C

2018 – PCMG – Escrivão

Regência Nominal é a relação existente entre um nome (substantivo, adjetivo ou advérbio) e os termos regidos por esse nome.
INDIQUE a alternativa que apresenta Regência Nominal INCORRETA.

Os arquivos do convênio não estão acessíveis à consulta.

O interrogado mostrou-se insensível pelas perguntas feitas.

O aluno é residente na Avenida Afonso Pena.

Devo obediência aos meus pais.

Gabarito: B

2018 -FUMARC – PCMG

As palavras dispostas nas orações exercem diferentes funções sintáticas, de modo a possibilitar a transmissão da informação.
INDIQUE o termo da oração que NÃO consta na frase a seguir:

“Trata-se de uma atividade dialógica de seleção, reordenação e reconstrução de sentidos.”

A) Adjunto Adverbial.

Complemento Nominal.

Objeto indireto.

Sujeito indeterminado.

Gabarito: letra A

2018 – FUMARC – Câmara de Pará de Minas

A concordância nominal está CORRETA em:

É necessário a atenção de todos para a leitura do texto.

Ela tomou decisões o mais sensatas possíveis.

Somente após bastantes ameaças, ele arrumou o quarto.

Quando a moça terminou de arrumar as malas, já era meio-dia e meio.

Gabarito: letra C

2018 – FUMARC – Câmara de Pará de Minas

Com relação às regras de colocação do pronome oblíquo, a posição do pronome é facultativa em:

“Dedicamo-nos, então, a uma frenética corrida contra os ponteiros do relógio.”

“Os ritmos que nos são impostos e que aguçam algumas das nossas faculdades […]”.

“Todos nos beneficiamos e nos orgulhamos das conquistas da vida moderna […].”

“Uma reflexão que se sabe condenada a desenvolver-se num exíguo prazo predeterminado […].

Gabarito: D 

2018 – FUMARC – Câmara Pará de Minas

Os termos destacados têm natureza adverbial, EXCETO:

“Mudanças que antigamente levavam séculos para se efetivarem […].”

“O pensamento que se formula rapidinho não tende a ser sempre meio oco?”

“Quando não em poucas semanas, ou até em poucos dias.”

“Um dos expoentes do espírito pragmático da modernidade, o americano Benjamin Franklin, já ensinava no século XVIII […].”

Gabarito: B

2018 – FUMARC- COPASA

A divisão silábica está correta, EXCETO em:

a.lhei.o

con.fi.den.ci.a.da

cri.a.dor

so.li.da.rie.da.de

Gabarito: D

2018 – FUMARC- COPASA

A posição do pronome oblíquo é facultativa em:

“[…] com a taça de vinho emprestada de alguém, num hotel onde não se hospedaram”.

“Alguns se contentam botando posts no Instagram, inventando uma vida que não têm […]”.

“Isso me ajudou a desenvolver um certo talento”.

“Mas a questão é que a pobre Fantine teve de vender os dentes e se prostituir devido à avidez da fofoca”.

Gabarito: D

2018 – FUMARC – COPASA

O valor da fofoca

Walcyr Carrasco

Dos aspectos negativos da fofoca, todos sabemos. Em Os miseráveis, Victor Hugo conta a história de Fantine, que se torna prostituta. Quem só viu o filme ou só assistiu ao musical não sabe muito bem como ela vai para as ruas. O livro conta: fofoca! Fantine é operária. Mas tem uma filha, sendo solteira, em época de moral rígida. Paga uma família para cuidar da menina, Cosette. Mas não sabe ler. Para enviar os pagamentos e pedir notícias, usa os trabalhos de um homem, que escreve e envia o dinheiro. As amigas desconfiam. Especulam. O homem não conta, mas uma consegue ver o endereço numa carta. E se dá ao trabalho de ir até o local onde vive Cosette. Volta com a história completa e conta às amigas. A história chega à direção da fábrica e Fantine é demitida por ser mãe solteira. Vende os dentes, os cabelos, torna-se prostituta, morre no hospital. Jean Valjean, que se esconde da polícia, era o dono da fábrica. Culpa-se pela insensibilidade, busca Cosette e a cria. Mas a questão é que a pobre Fantine teve de vender os dentes e se prostituir devido à avidez da fofoca. Hoje, em tempos menos rígidos, a intimidade de uma pessoa, confidenciada entre lágrimas, pode virar piada no próximo jantar de amigos. Ou seja: longe de mim defender a fofoca em si. Mas ela tem seu valor, psicológico e criativo.

Simples. A fofoca é uma forma de criar.

Sempre digo que as pessoas têm tanta necessidade de ficção na vida como do ar que respiram. Por isso precisam ler romances, assistir a filmes, novelas. Até mesmo conferir revistas sobre celebridades, uma forma de exercitar a imaginação, já que a vida real é muito mais árdua do que aparece nas reportagens. Criar também faz parte da natureza humana. Alguns se contentam botando posts no Instagram, inventando uma vida que não têm, com a taça de vinho emprestada de alguém, num hotel onde não se hospedaram. Outras preferem criar sobre a vida alheia. Aquela mulher que conta à outra sobre uma terceira, colega de escritório.

– Sabe que ela está saindo com um rapaz 20 anos mais jovem? E sustenta!

Pode ser verdade. Ou ela apenas viu a moça com o sobrinho, saindo do trabalho. O resto, inventou. Nem todo mundo é escritor, mas todo mundo pode criar ficção. Eu mesmo aprendi muito com a fofoca. Morava em um prédio onde vivia uma mulher já madura. De dia, recebia um, que a sustentava, dava carro, conforto material. De noite, recebia outro, que amava. Era a fofoca do prédio.

Acontece que era feia. Garanto, feia de verdade. Os dois senhores, pavorosos. Aliás, o que ela amava, um velho bem mais feio que o outro, o rico. Eu, que tinha certo preconceito estético, aprendi que beleza não é o mais importante. Havia amor, dinheiro e paixão naquela história de pessoas maduras. A fofoca me fez entender mais da vida. Em outra época, soube que o filho da vizinha não era filho, mas neto. Filho da moça que considerava irmã, mãe solteira. Toda a vila onde morava sabia, menos o menino. Isso me fez entender mais sobre os pais, que são capazes de acolher, dar solidariedade num momento difícil. Suponho que o garoto deve ter levado um susto quando soube. Mas é outra história.

Minha mãe, quando eu era criança, tinha um bazar. Pequeno, típico de interior, em Marília. Era o centro de informações sobre a vida alheia do bairro. Todas as mulheres passavam, comentavam. Eu tentava ouvir. Mamãe me punha para fora quando a história era mais pesada. Isso me ajudou a desenvolver um certo talento. Quando fiz faculdade de jornalismo, e mais tarde trabalhei no ramo, era ótimo com as perguntas ao entrevistar. Destemido. Fiz sucesso com colunas, jornalismo comportamental. Isso me ajuda até hoje. Quando vou construir uma história, falo com pessoas, converso. Extraio segredos. Conto por meio dos personagens. Vejam que ligação bonita saber da vida alheia tem com o ato de criar.

O que é uma grande biografia, a não ser a vida de alguém? Uma fofoca autenticada, impressa e aplaudida pela crítica?

Há um porém: a fofoca, mesmo real, passa pelo crivo de quem conta. Pelo meu, pelo seu, pelo nosso olhar. É a velha história – alguém me oferece meio copo de suco de laranja e posso dizer.

– Adorei, ganhei meio copo de suco refrescante.

– Odiei, imagine, me dar só meio copo? Era resto!

Quando ouvir uma fofoca, abra as orelhas. O que alguém diz sobre o outro revela mais sobre quem fala do que sobre o alvo em questão. Uma fofoca, como todo ato de criação, tira a máscara do criador.

Disponível em: https://epoca.globo.com/sociedade/walcyr-carrasco/noticia/2017/10/o-valor-da-fofoca.html. Acesso em: 08 maio 2018.

Os referentes dos termos destacados estão corretamente identificados entre parênteses, EXCETO em:

 

A) Filho da moça que considerava irmã, mãe solteira.” (moça)

“Isso me fez entender mais sobre os pais, que são capazes de acolher […]”. (sobre os pais)

“Morava em um prédio onde vivia uma mulher já madura.” (prédio)

“Toda a vila onde morava sabia, menos o menino”. (Toda a vila)

 Gabarito: B

Mantenha o foco e acredite no seu potencial para conquistar a sua classificação. Eu acredito, mas você precisa estar disposto a pagar o preço. Combinado? 

 

Compartilhe o conteúdo nas suas mídias sociais e muito sucesso nos seus estudos!

Não perca:

TJMG 1ª e 2ª instância: entenda a diferença antes de prestar o concurso!

Concurso TJMG 1ª instância: AOCP apresenta a melhor proposta!

Deixe seu Comentário

Comentários