/Redação FCC – Como a FCC corrige uma redação?


Redação FCC – Como a FCC corrige uma redação?

309

por: Equipe Flávia Rita

Se você se prepara para concursos da FCC – Fundação Carlos Chagas –, com certeza já teve algumas dúvidas com relação à redação. Então hoje vamos entender os critérios de correção da banca para você chegar preparado para gabaritar a prova!

REDAÇÃO PARA FCC – PARTICULARIDADES

A FCC é uma banca com várias peculiaridades e, em suas questões discursivas de redação, caracteriza-se por cobrar, normalmente, temas de conteúdo mais geral e filosófico. Ao contrário do CESPE, que costuma cobrar assuntos mais práticos e com uma grade de conteúdo mais fechada, na FCC os candidatos terão mais margem para argumentar seus pontos de vista, porém sem fugirem ao tema principal.

Os textos são sempre analisados de acordo com 3 critérios:

  • CONTEÚDO
  • ESTRUTURA
  • EXPRESSÃO

Vamos ver cada um deles?

Se seu foco é a Fundação Carlos Chagas, não deixe de conferir nossos cursos e materiais!

Não deixe de ver nossa aula de lançamento para conhecer nosso PREPARAÇÃO PERMANENTE FCC 2019!

CRITÉRIOS DE CORREÇÃO

CONTEÚDO

No conteúdo, o candidato será analisado segundo 3 aspectos:

  1. PERSPECTIVA ADOTADA NO TRATAMENTO DO TEMA – quer dizer, se o ponto de vista do candidato é pertinente ao recorte apresentado pelos textos motivadores ou pelo tema em si;
  2. CAPACIDADE DE ANÁLISE E SENSO CRÍTICO EM RELAÇÃO AO TEMA PROPOSTO – aqui, analisa-se a capacidade argumentativa do candidato, ou seja, se os argumentos são relevantes e se ele apresenta capacidade de problematizar a situação proposta;
  3. CONSISTÊNCIA DOS ARGUMENTOS, CLAREZA E COERÊNCIA NO SEU ENCADEAMENTO – nesse aspecto, analisa-se o domínio escrito do candidato, se ele consegue se expressar de maneira clara, articulada e sem entrar em contradição.

Vamos ver um exemplo de cada um para ficar mais claro?

1. PERSPECTIVA ADOTADA NO TRATAMENTO DO TEMA

Nesse primeiro critério, pode ocorrer de o candidato, ao redigir sua redação, imaginar estar tratando do tema cobrado, mas, na verdade, apenas tangenciá-lo com informações não tão importantes. Imagine que o tema exige uma dissertação a respeito da reforma da previdência. Haverá, então, uma série de assuntos correlacionados, como: regimes previdenciários, idade mínima, aposentadoria do trabalhador rural, regimes especiais, questão fiscal, entre tantos outros. Entretanto, se for abordada apenas a questão do envelhecimento da população, é possível que o candidato perca ponto, pois, não obstante haver certa pertinência temática, não tratará diretamente do tema. O mesmo pode ocorrer quando se dá mais relevância a um argumento secundário, desenvolvendo-o na maior parte do texto.

Portanto, tenha atenção de que a nota poderá ser prejudicada tanto em caso de fuga ao tema como no caso de abordagem parcial. Nesse sentido, será o candidato penalizado “proporcionalmente, caso ocorra abordagem tangencial, parcial ou diluída em meio a divagações e/ou colagem de textos e de questões apresentados na prova”.

2. CAPACIDADE DE ANÁLISE E SENSO CRÍTICO EM RELAÇÃO AO TEMA PROPOSTO

Nesse quesito, o candidato deve demonstrar dominar o tema, ou seja, deverá apresentar boa capacidade de problematização, por meio do desenvolvimento de diferentes pontos de vista. Para isso, podem ser utilizadas diferentes estratégias argumentativas, que o permitam desenvolver seus argumentos em direções diferentes. Imagine, por exemplo, trabalhar três estratégias: causa e consequência, contraposição e soluções possíveis.

A partir delas, o candidato demonstrará que entende as razões que originam o problema, assim como os efeitos dele decorrentes. Mas não só, pois, ao o contrapor com outros elementos, demonstrará entender as particularidades do tema. Já, ao apresentar soluções, deixará claro que tem senso crítico e capacidade de problematização.

3. CONSISTÊNCIA DOS ARGUMENTOS, CLAREZA E COERÊNCIA NO SEU ENCADEAMENTO

Com esse critério, são analisadas as competências de escrita do candidato, mais precisamente, sua capacidade de articular os argumentos, de forma coerente e pertinente. Deve-se perceber, principalmente, que esse quesito permite a dedução da nota por aspectos gramaticais, ou seja, caso seja computado algum erro referente à norma culta, o candidato poderá ser penalizado tanto na expressão, como no conteúdo.

Observe, por exemplo, o seguinte trecho:

  • O espanhol, por exemplo, é uma das línguas mais faladas no mundo, sobretudo na América Latina, atrás do mandarim, esta está relacionada à quantidade de pessoas habitantes da china, país mais populoso do mundo, com grande poderio econômico e militar, e que desenvolve, hoje em dia, políticas de expansão cultural, aquela já relaciona-se à importância estratégica dos países que têm o idioma espanhol como o oficial.

Ao ler esse trecho, você irá perceber que há um problema na estruturação do período, pois há muitas informações intercaladas. Isso acaba por prejudicar a cadência e a clareza do texto, uma vez que se afasta as informações secundárias das principais. E, como essa retomada é feita por meio de pronomes demonstrativos, a referência não fica muito clara, prejudicando a coesão e, por fim, o sentido.

Além disso, as informações intercaladas não acrescentam à informatividade do texto, pois não agregam ao tema exigido – a evolução línguas na atualidade.

ESTRUTURA

A estrutura, por sua vez, avaliará os conhecimentos de gênero textual do candidato, assim como sua capacidade de organizar e de desenvolver suas ideias. Conforme a grade de correção, são observados, nesse critério, os seguintes aspectos:

  1. RESPEITO AO GÊNERO SOLICITADO;
  2. PROGRESSÃO TEXTUAL E ENCADEAMENTO DE IDEIAS;
  3. ARTICULAÇÃO DE FRASES E PARÁGRAFOS (COESÃO TEXTUAL).

1. RESPEITO AO GÊNERO SOLICITADO

O respeito ao gênero solicitado exigirá que seja atendida a forma textual da questão, a qual será, normalmente, a dissertativa-argumentativa. Nesse caso, o candidato é penalizado ao desenvolver um texto que fuja ao gênero textual por conter traços predominantes de um tipo de texto diverso, como um descritivo ou um narrativo. Por isso é tão importante dominar a modalidade dissertativa e suas principais estratégias de argumentação e de organização, já que isso tonará claro o gênero elaborado.

O gênero dissertativo-argumentativo é caracterizado pela defesa de uma tese. Entretanto, muitos alunos, ao desenvolver seu ponto de vista, procuram se utilizar de estratégias que podem prejudicar o texto sob o aspecto do gênero textual. Um exemplo que se vê normalmente é o emprego da primeira pessoa como forma de atrair o leitor para o que se está sendo discutido. Embora isso seja considerado, sim, uma estratégia de argumentação válida, ela não é adequada à modalidade dissertativa-argumentativa padrão, pois, nesse caso, deve-se optar sempre pela forma mais impessoal, como a terceira pessoa do singular.

2. PROGRESSÃO TEXTUAL E ENCADEAMENTO DE IDEIAS

A progressão textual e o encadeamento de ideias sujeita o candidato à avaliação dos elementos coesivos empregados na evolução dos argumentos. Nesse quesito, poderá haver dedução da nota pela progressão inadequada de seus argumentos, como ocorre, por exemplo, quando se salta de uma tese para outra sem, contudo, estabelecer o processo necessário à conclusão.

Além disso, esse quesito irá ensejar a penalização pelo emprego inadequado de articuladores e demais elementos coesivos, pois disso decorrerá incorreções lógicas. Um exemplo se percebe na utilização de termos anafóricos para fazer a retomada de uma ideia, porém, em razão da organização frasal, essa referência ocorre de maneira ambígua. Veja esse caso:

  • A filha disse à mãe que ela não gosta de fígado. (ela quem? A mãe ou a filha?)
  • A cidade estava cheia por conta da sinfonia. Dela ecoava muito barulho. (Dela quem? Da cidade ou da sinfonia? Observe que o uso da palavra “barulho” enseja a ambiguidade, pois estabelece um sentido também pertinente à cidade).

No quesito progressão textual e encadeamento é avaliada também a coerência dos argumentos.

Você gostaria de saber mais a respeito do assunto e se aprofundar no tema articulação textual? Não deixe de conferir nossos outros posts:

Veja também os textos de gramática para dominar todos os aspectos da sua redação!

3. ARTICULAÇÃO DE FRASES E PARÁGRAFOS (COESÃO TEXTUAL)

Na articulação de frases e parágrafos, também é avaliada, em um aspecto mais sintático, a capacidade de construção e de manutenção da coesão textual. Nesse sentido, serão avaliados os diferentes recursos sintático-coesivos utilizados no texto, assim como a organização das frases e dos parágrafos. Aqui, muitos alunos não sabem, mas poderão ser penalizados pela estruturação de parágrafos frasais, ou seja, um parágrafo estruturado apenas em uma frase, pois haverá uma articulação deficitária, já que nesse caso não é possível existir articulação entre parágrafos.

Novamente, deve-se ter atenção a cada uma dos critérios de correção, pois a desatenção a um deles poderá levar à penalização da nota também nos outros.

EXPRESSÃO

No critério de expressão, é importante destacar que a avaliação não será feita de modo estanque o mecanismo, mas sim de acordo com sua estreita correlação com o conteúdo desenvolvido”. Para isso, considerar-se-á, simultaneamente,

  • desempenho linguístico de acordo com o nível de conhecimento exigido para o cargo/área/especialidade;
  • adequação do nível de linguagem adorado à produção proposta e coerência no uso;
  • domínio da norma culta formal, com atenção dos seguintes itens: estrutura sintática de orações e períodos, elementos coesivos; concordância verbal e nominal; pontuação; regência verbal e nominal; emprego de pronomes; flexão verbal e nominal; uso de tempos e modos verbais; grafia e acentuação.

Nesse quesito, serão avaliados o respeito à norma culta e o domínio linguístico do candidato, ou seja, se o vocabulário é adequado ao texto e ao nível de conhecimento exigível e se as normas gramaticais estão sendo devidamente atendidas. Erros como emprego incorreto do “se”, construção falha da “voz passiva” ou concordância verbal ou nominal equivocada implicam dedução da nota.

Deve-se notar que a norma culta rege também o emprego dos sinais de pontuação, de maneira que o uso inadequado da vírgula, por exemplo, poderá ensejar dedução tanto no quesito de expressão quanto no de estrutura, já que a coerência e a coesão textual restarão, possivelmente, prejudicadas.

Não deixe de ver nossa aula gratuita do curso de OFICINA DE REDAÇÃO FCC 2019 e aprender como a banca corrige as provas de redação!


Esse conteúdo foi útil para você? Acredita agora que poderá garantir sua nota 100 nas próximas redações da banca FCC? Deixe sua opinião nos comentários e nos diga o que achou desse conteúdo!

Deixe seu Comentário

Comentários