fbpx
Porquanto ou por quanto? Quando usar cada um

Porquanto ou por quanto? Quando usar cada um

Equipe Flávia Rita

As expressão porquanto ou por quanto são motivo comum de dúvidas entre os usuários da Língua Portuguesa. Não raro, elas costumam aparecer em textos de maneira inadequada. Com isso em mente, vamos ver como usar cada uma delas de acordo com as normas da gramática normativa.

Porquanto ou por quanto?

A palavra “porquanto” e a expressão “por quanto”, embora possuam a mesma pronúncia, não apresentam o mesmo sentido. Mais do que isso, são enquadradas em classes gramaticais distintas, desempenhando funções específicas na frase.

O termo “porquanto”, por exemplo, liga orações coordenadas entre si, a fim de estabelecer uma relação causal ou uma explicação. Já a locução “por quanto” ocorre sempre que se deseja expressar uma quantidade ou indicar um valor.

Com isso, quando devemos usar cada uma delas? Vamos ver mais detalhadamente cada caso.

Quando usar por quanto

A locução “por quanto” é uma expressão composta pelo pronome indefinido “quanto” e pela preposição “por”. É empregada sempre para indicar uma quantidade ou um valor ou para formar uma pergunta. Por exemplo:

Por quanto tempo ele ficará de férias?

Ela comprou o sapato naquela loja por quanto ?

Vocês andaram por quantos minutos?

É interessante notar que, diferentemente da conjunção, a locução “por quanto” poderá variar para acompanhar o nome. Nesse caso, é possível que o pronome seja flexionado no gênero ou no número. Confira:

Ele ficou desaparecido por quantos anos?

Por quantas horas elas caminharão na trilha?

Você quer fazer o livro por quanto?

Quando usar porquanto

As expressões porquanto ou por quanto apresentam diferenças profundas também no que diz respeito à função frasal.

Diferentemente da locução acima, o termo “porquanto” é classificado como uma conjunção coordenativa causal ou explicativa. Ou seja, é empregada para indicar a causa de uma oração ou para dar uma explicação em relação a ela.

No que diz respeito ao sentido, a conjunção “porquanto” equivale às formas “porque”, “pois”, “que”, “visto que”, “uma vez que”, “já que”, “por isso que”, entre outras. Veja os seguintes exemplos:

Não pude comparecer à festa porquanto tive de trabalhar até tarde. 

Porquanto não produzissem efeitos, as políticas do governo precisaram ser revistas. 

Os alunos não foram bem nas provas finais, porquanto não se dedicaram durante o semestre. 

Como se trata de um conector conjuntivo, não haverá qualquer flexão em relação aos termos da oração. Isso quer dizer que, independentemente do sujeito ou dos substantivos presentes, a conjunção seguirá invariável, não concordando em número nem em gênero.

Porquanto e outros casos de confusão!

Além das formas porquanto ou por quanto, é muito comum também ver algumas pessoas confundindo a conjunção coordenativa com a conjunção subordinativa concessiva “conquanto”. Veja que, ainda que a pronúncia possa ser semelhante, elas não possuem o mesmo sentido.

“Porquanto”, como dito, é uma conjunção explicativa, com sentido semelhante a “porque”, “pois”, “visto que” etc., e que é empregada para articular duas orações em relação de coordenação.

Já a forma “conquanto” se classifica como uma conjunção subordinativa concessiva, cujo valor equivale a “embora”, “apesar de”, “não obstante a”, entre outras formas. Nesse caso, ela articula duas orações em uma relação de subordinação. Por exemplo:

Ele não veio à festa, porquanto teve de trabalhar até mais tarde. (trabalhar até mais tarde é a razão porque ele não veio à festa).

Conquanto tenha saído mais cedo do trabalho, ele não veio a festa. (Veja que, aqui, a primeira oração traz um fato que contraria a expectativa da oração principal) 

Uma outra situação que costuma causar problemas aos usuáriuos da língua envolve a conjunção “porquanto” e a palavra “portanto”. Da mesma maneira que os casos acima, esses dois conectores desempenham funções distintas na frase.

A conjunção “portanto”, não obstante também ser coordenativa, é classificada como um nexo conclusivo, ou seja, articulando o fechamento de uma tese ou de um argumento. Confira:

O argumento da defesa não convenceu o juri. Portanto, a decisão foi pela condenação. 

A empresa corrigiu sua gestão e saneou suas contas. Portanto, recebeu investimentos. 

Agora não tem mais desculpas para usar essas formas incorretamente, não é mesmo?

Alguma dúvida?

O qua achou? Simples, não é mesmo? Se ainda ficou alguma dúvida depois dessa explicação, você pode nos contar nos comentários! Além disso, caso você queira ver mais conteúdo de português sobre regência verbal, dicas de redação (introdução desenvolvimento), pontuação ou de escrita jurídica, confira nossos outros textos!

Precisa aprender português para o ambiente corporativo?

Então você estava escrevendo um texto e ficou em dúvida quanto a regência de uma palavra? Ou quando ao uso da vírgula?

Bom, se você está começando uma carreira corporativa, com certeza já percebeu que o domínio da Lingua Portuguesa pode ser um diferencial no seu dia a dia, certo? Portanto, não atrase mais sua qualificação e seu futuro na empresa!

A professora Flávia Rita Coutinho Sarmento, referência na disciplina de Língua Portuguesa, oferece um curso específico de português para o ambiente corporativo. Ministrado na forma on-line, você poderá estudar de acordo com o seu tempo e com a sua disponibilidade.

Quer conhecer mais? Então confira uma de nossas aulas agora mesmo e conheça nossa metodologia!

Você pode assistir também diretamente do nosso canal do YouTube clicando AQUI.

O curso on-line português corporativo/empresarial tem foco nas questões práticas da Língua, conforme as dúvidas que surgem no dia a dia. Assim, você irá obter resultados rápidos e perceptíveis já em pouco tempo. Não há dúvida de que um bom domínio do português é um diferencial na carreira de qualquer profissional, ajudando a obter uma melhor colocação no mercado de trabalho. Aproveite a oportunidade para incrementar o seu currículo e aprender português sem dificuldade.

No curso, você terá acesso a um conteúdo teórico e a uma parte prática. Além disso, será disponibilizado material de apoio no formato PDF.

O objetivo é que você treine exatamente aquilo que precisará no dia a dia de seu trabalho.

Clique aqui para conhecer o curso on-line português corporativo/empresarial.

Sobre o assunto português corporativo, não deixe de conferir:

Assim, caso ainda tenha interesse em outros cursos de Língua Portuguesa, não deixe de entrar em contato conosco pelos telefones

Se você ainda tem algum assunto que gostaria de ler por aqui, deixe sua sugestão na seção de comentários.

Deixe seu Comentário

Comentários

CONTINUE LENDO