fbpx

O que é adequação vocabular? Entenda agora!

Equipe Flávia Rita

Adequação vocabular corresponde à adaptação do discurso aos melhores preceitos gramaticais para o contexto. Entenda melhor quais elementos devem ser considerados na seleção das palavras e como ela se manifesta.
O que é adequação vocabular? Entenda agora!

Tipos de adequação vocabular

Tipos de adequação vocabular

Bom, estando claro o que se entende por adequação vocabular e como ela se diferencia da expressão textual, vamos entender o que influenciará na seleção do vocabulário. Como visto no exemplo acima, o contexto será o determinante para a escolha de palavras. Porém, não só ele terá essa função, pois há mais elementos a serem considerados ao longo da elaboração da mensagem.

Podemos apontar, de forma geral, quatro determinantes do vocabulário, as quais deverão ser consideradas pelo autor:

  • o gênero textual;
  • a interlocução pretendida;
  • o ambiente ou o contexto da mensagem;
  • o posicionamento assumido pelo autor.

Vamos ver de forma mais detalhada cada uma dessas determinantes, de forma a entender como funcionam.

Adequação pelo gênero textual

O primeiro item que o autor deve considerar é em qual gênero o seu texto se enquadra. Tratando-se, por exemplo, de um texto mais científico, algumas palavras poderão apresentar um sentido específico, diferente do uso comum da língua. Veja o seguinte caso adaptado de uma questão de Física:

Em uma competição de salto, um atleta de 70kg tem, imediatamente antes do salto, uma velocidade na direção horizontal de módulo 15m/s. Ao saltar, o atleta empurrar o chão na direção vertical, de forma que produz energia de 600J, sendo 65% desse valor em forma de energia cinética.

Observe que, por se tratar de um texto científico, o vocábulo direção foi empregado com um significado próprio da ciência. Na Física, a palavra direção está ligada à posição do movimento do objeto, ou seja, se ele se move na horizontal, na vertical, na diagonal etc.

O termo sentido, por outro lado, exprime a ideia de orientação do móvel, seja de cima para baixo, seja da esquerda para a direita.

Essas mesmas palavras exprimiriam, contudo, sentido diferente em outras modalidades textuais. Em uma reportagem, por exemplo, o vocábulo direção não traduziria uma ideia tão precisa quanto à da Física. Veja o seguinte trecho retirado do portal Diário Rio Online:

“A partir do Trapiche de Icoaraci, as embarcações que levavam os passageiros em direção à Ilha de Cotijuba saíam à medida que atingiam a lotação.

Aqui, como é possível notar, o termo não tem o sentido equivalente ao do primeiro exemplo. No trecho acima, a palavra direção foi empregada apenas para indicar um movimento para a ilha de Cotijuba, de maneira que seu significado se mistura com o conceito de sentido visto na Física.

Veja esse outro exemplo:

Sob a direção de um forte general, não haverá jamais soldados fracos.

Sócrates

Perceba que o vocábulo direção foi utilizado com um sentido mais amplo, apresentando um campo semântico equivalente à palavra comando. Ou seja, o termo não se enquadra em nenhuma das situações anteriores, mas ainda assim é inteligível pelo leitor.

Assim, a escolha do vocabulário deve ser definida com base no tipo de texto que será escrito, uma vez que certos termos terão um sentido próprio, diferente do usual.

 Adequação pela interlocução pretendida

Outro ponto a se pensar sobre adequação vocabular diz respeito à interlocução entre os atores da comunicação. Em termos gerais, interlocução corresponde à transmissão de uma mensagem compreensível entre o emissor e o receptor. De nada adianta discorrer sobre um dado assunto se ele sequer sequer pode ser entendido pelo público destinatário.

Com isso, quando se refere à interlocução, o autor/emissor deverá avaliar qual o público destinatário da mensagem. Imagine a situação de um professor universitário que vá conversar com alunos que ainda esta~eo em processo de alfabetização. Não se pode pensar, nessa situação, que o vocabulário empregado será o mesmo de quando esse professor palestra em congressos internacionais.

Um outro elemento que deve ser considerado ao longo da seleção vocabular tem relação com o grau de intimidade entre os interlocutores. Situações em que os receptores da mensagem sejam mais próximos do emissor poderão permitir o uso de um léxico mais informal ou prosaico. Nessa hipótese, será possível empregar até mesmo gírias ou expressões de comum conhecimento dos agentes comunicativos, o que não seria recomendável, por óbvio, em eventos com público desconhecido e de maiores formalidades.

Basta pensar na famosa “conversa de botequim”, a qual reúne, em um ambiente informal, amigos próximos. Nesse caso, seria até mesmo estranho se utilizar de um vocabulário rebuscado ou técnico.

Adequação a partir do contexto da mensagem

Tal como dito acima, o vocabulário será definido a partir de uma avaliação do contexto da mensagem. Uma comunicação realizada em ambiente formal, como uma palestra acadêmica para pares de pesquisa, não apresentará a mesma expressão de uma desenvolvida durante festas de família.

Assim, em contextos mais formais, é recomendável empregar termos mais precisos ou técnicos, além de pronomes de tratamento adequado quando se referir a determinada pessoa.

 Adequação decorrente do posicionamento do autor

Algumas comunicações são realizadas com a intenção precípua de convencer seus destinatários, ao passo que outras procuram apenas relatar determinado fato. Qualquer que seja o caso, o vocabulário deverá ser adaptado segundo o posicionamento e o desejo do emissor.

Imagine, aqui, uma situação em que um advogado tenta convencer um juiz por meio de uma peça escrita. Obviamente as palavras serão empregadas para defender sua tese, de maneira que poderá mesmo haver o recurso de adjetivações.

Caso completamente diferente seria o de um físico que relata seu novo experimento em um artigo científico. Não só o emprego de adjetivos seria condenado, como a própria postura deve ser mais descritiva que argumentativa.

Contents

CONTINUE LENDO